Sartori apela por solidariedade aos Poderes que não quebraram o Estado

O governador Ivo Sartori almoçará daqui a pouco com os chefes do Jusdiciário, Ministério Público, Assembléia e Tribunal de Contas.

Os servidores do Poder Judiciário e dos outros órgãos autônomos recebem em dia e têm dinheiro para pagar o 13o em dia, mas o governador quer que eles sejam solidários com a sua desgraça, que foi uma desgraça armada pelo seu antecessor, Tarso Genro, e não por TJ, TCE, MPE e TCE, que sempre mantiveram suas contas sob equilíbrio.

Quem quebrou o Estado foi o Poder Executivo - exclusivamente. Foi ele quem operou de modo perdulário, gastador, irresponsável, demagógico, patrimonialista, incompetente e populista

É pouco provável que os apelos de Sartori sejam aceitos.

O almoço será indigesto.

17 comentários:

Anônimo disse...

COM POSSIBILIDADE DE 'CAIXA ALTO' GOVERNADOS JÁ COMEÇA A 'CHORAR', OU SEJA POLÍTICOS SÃO TODOS IGUAIS.

Anônimo disse...

Solidariedade? os mesmos estão pedindo aumentos em plana crise, e arrecadação baixa, Sartori tem que ser firme com estes poderes e dizer agora NÃO, tem que haver princípio com a moral e a colaboração de todos, falam do governo federal, mas o mesmo está sendo exemplo ao vetar reajustes abusivos de categorias já bem equipadas e remuneradas, governo federal deu aumentos irrisórios e insignificantes, pedalando para 1 ano ainda este ajuste, e aqui no Estado onde a fonte já secou, vemos interesses corporativistas e grupos autocentrados , egocêntricos que não aceitam arredar o pé da fonte já seca, francamente onde vamos parar ? é todo ano projeto de reajuste destas categorias, isso é pago com dinheiro público de impostos, o economista Darcy sabe disso bem e o motivo principal para o Estado estar nessa penúria. Uma sociedade que está aos frangalhos perdendo emprego, reduzindo renda, até quando os marajás vão atuar como sangue-sugas desenfreadas?

Anônimo disse...

Corta os CC, secretarias, viagens, diárias antes de encher o saco dos outros.

Anônimo disse...

O gaúcho tem que se lascar. Não gostaram do gov.Yeda, que estava pondo em dia as finanças do estado e elegeram esse incompetente que saiu. Sujeito demagogo, perdulário, pouco se importando com o crescimento do estado. Governou SÓ PARA OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS E AÍ ESTÁ O FAMIGERADO CPERS(ganharam 76% de aumento salarial e ainda acham que ganham pouco).

- Agora o Sartori, quer ajeitar as contas do estado e não vai conseguir. Em 2018, dou como sugestão de os gauchos elegerem o EXTERMINADOR DO FUTURO, OLÍVIO DUTRA, que acabará de vez quebrar o estado em definitivo.

Anônimo disse...

Políbio,

O Sartori esta correto.

Todos tem que "pagar a conta" do Tarsinho.

Os "outros poderes" prevaricaram em permitir o "oba-oba" do PT.

Ferrem-se TODOS igualmente.

JulioK

Anônimo disse...

Caro Políbio, parabéns pelo blog. Muitas vezes concordo com suas opiniões, mas essa parece incorrer em ero (talvez por falta de informação do editor). De fato, concordo que tanto Poder Judiciário quanto o Poder Legislativo são muito bem geridos. Melhor do que o Executivo, pelo menos. Mas deve-se levar em consideração dois aspectos: atribuições e funcionários. O Poder Legislativo possui UMA atribuição - legislar; o Poder Judiciário possui UMA atribuição -julga. O Poder executivo fica com todas as outras 0- saúde, educação, segurança, etc (para citar as fundamentais). Assim, necessita de mais funcionários. O número de funcionário do Poder Legislativo e Judiciário menor em relação ao Poder executivo porque são menores as suas atribuições. Entretanto, não procede a informação de que quem "quebra o Estado" e o Poder Executivo. Vejamos: equipare-se o salário de mesmo nível de escolaridade entre os poderes. Por exemplo - analise-se os seguintes cargos, um do Poder Executivo outro do Ministério Público, ambos para 40 horas semanais: Salário de Inspetor de Polícia Civil - 1ª Classe - inicial R$3.825,83 (em novembro de 2015, conforme Tabela da Ugeirm) - exigência CURSO SUPERIOR DESDE MEADOS DOS ANOS 90; Consurso para Agente Administrativo do Ministério Público do RS (com inscrições abertas) - R$4.356,85 - exigência ENSINO MÉDIO. Ou seja caro editor, um concursado do Ministério Público, com ensino médio, custa ao Estado mais do que um Policial com curso superior (que ainda frequentam a Academia de Polícia antes da nomeação). Então editor, vale informar-se um pouco mais e deixar as questões políticas de lado, analisando caso a caso. Feito isso, será constatado que os servidores concursados estatutários do Poder Executivo ganham menos e (algumas vezes, como no caso) possuem maior grau de escolaridade do que dos outros poderes.
Aliás, a receita para pagamento sai dos impostos que todos pagamos, e em momento de crise, com policiais aprovados em concurso apenas esperando realização de curso de Formação para Academia, o Ministério Público realiza concurso. Assim, vale perguntar - Do que o Estado precisa no presente momento? Burocratas no Ministério Público (sem desrespeito aos Agentes Administrativos, que realizam lá suas atividades e são necessários ao Estado também) ou mais policiais nas ruas?

Anônimo disse...

O RS perdeu o rumo, infelizmente.
Anos e anos de farra com o suado dinheiro dos impostos, aumentos, gratificações, viagens e ... pouca produtividade.
Quebramos, o Paraná já passou, outros virão.

Anônimo disse...

O Tarso quebrou o Estado, mas esqueceram que a dívida do RS quase não aumentou em seu governo e quem governou o Estado por muitos governos foi o próprio PMDB.

Anônimo disse...

Ao Povo > aumentos.

Aos poderes > solidariedade.

Tudo certo, fim de semana tem jogo, então estamos bem.

Anônimo disse...

Duvido que o Judiciario e o Legislativo vai apoiar. A desfaçatez de um desembargador dizer que eles se sentem "constrangidos" e ter que parcelar seus sala´rios. Estado Islamico é aqui, aqui é que temos o Califado dos dois poderes que não geram recursos enquanto que o executivo que se lasque. Mas tudo tem um começa, meio e fim...
Joel

Anônimo disse...

O comentarista das 12:14 tem toda razao. Porém, é a grande massa de aposentados e pensionistas que provoca o desequilíbrio financeiro estadual. Mesmo com vencimentos insuficientes, nao há receita que alcance para sustentar todos, por que aposentam-se cedo (professores, p. ex.) e sobrevivem por mais tempo do que trabalharam. Sem entrar no mérito de seus direitos, impoe-se criar nova fonte de financiamento, seja um fundo de reserva, seja aumento de impostos.

Anônimo disse...

Senhor Editor,

gostaria que Vossa Senhoria buscasse informações para o seu público leitor acerca do resultado dessa reunião.

Capitão Tormenta disse...

Realmente, existem duas classes de servidores, a Alta Classe que é Judiciário, TC, Assembléia, MP, CC que podem ganhar aumento porque foram ungidos por super poderes de se auto-aumentarem quando acham que estão ganhando pouco, e os OUTROS, que são os funcionários de 2ª CLASSE que incluem todas as outras categorias, que são os culpados da situação caótica das finanças de que vive o Estado, o Governador se assinar estes aumentos não pode pedir mais nada, pois realmente se mostrou um grande incompetente em lidar e se curvar aos poderes da ALTA CLASSE, este estado não tem mais jeito.

Anônimo disse...

Quer dizer que os marajás do Estado. Aqueles que ganham rios e rios de dinheiro não foram os que quebraram o Estado. Que piada. Pode até ser que não foram os principais culpados, até porque não executam nada. Mas gastam muito e mal. Só olhar os milhões gastos em seus prédios, as inúmeras ajudas de custo, os muitíssimos imprestáveis CCs e ainda os muitos penduricalhos que se concedem. Agora os juízes, por exemplo, acham que são deputados federais e concederam a si mesmos em média R$ 750.000,00(retroativos) de mais um penduricalho que não entra no cálculo do teto. Dará mais de duzentos milhões de reais. Mas para o editor parece que isso não é nada. Faça-me um favor Políbio, tudo tem limite, o Tarso é um gastão, mas não foi o único a quebrar o Estado.

Anônimo disse...

Legislativo e judiciário tem culpa sim. E muita: legislam em causa própria, aprovam orçamentos fraudados, aprovam projetos populistas, são cabides de emprego, além de aprovar constantemente aumentos de salários por via indireta.
São co-responsáveis pela quebradeira do estado e se passam por inocentes.

Anônimo disse...

POLÍBIO,

O JUDICIÁRIO E O LEGISLATIVO AUMENTARAM SUAS PORÇÕES (PERCENTUAIS) DO DINHEIRO PÚBLICO. VEJA QUANTO CUSTA HOJE A FOLHA DESTES DOIS PODERES E QUANTOS FUNCIONÁRIOS ELES TEM (PERCENTUALMENTE).

UM FUNCIONÁRIO DO JUDICIÁRIO OU DO LEGISLATIVO CUSTA, NO MÍNIMO, 5 VEZES MAIS QUE UM FUNCIONÁRIO DO EXECUTIVO.

FAÇA AS CONTAS DE QUANTOS FUCNIONÁRIOS PÚBLICOS CADA PODER PAGA (ENTRE INATIVOS E ATIVOS) E QUANDO GANHA UM GANHA (EM MÉDIA). ENTRE OS TRÊS PODERES EXISTEM OS PRIMOS RICOS (JUDICIÁRIO), PRIMOS REMEDIADOS (JUDICIÁRIO) E PRIMOS MISERÁVEIS (EXECUTIVO).

NA MINHA ÉPOCA DE ESCOLA, O PODER JUDICIÁRIO FICAVA COM 3 POR CENTO DA ARRECADAÇÃO DOS IMPOSTOS. HOJE, SE NÃO ESTOU ENGANADO, LEVAM 11 POR CENTO, OU SEJA, QUASE 4 VEZES MAIS DO QUE HÁ 30 - 35 ANOS.

ASSIM É FÁCIL ADMINISTRAR E ATÉ MESMO FAZER SOBRAR DINHEIRO (COMO A ASSEMBLÉIA QUE TERIA DEVOLVIDO 42 MILHÕES AO EXECUTIVO) E AO JUDIÁRIO QUE FALA EM PAGAR O 13 SALÁRIO COM AS "ECONOMIAS" QUE FEZ.


Anônimo disse...

Nunca votei em petista,mas o que adiantou? Se o galo missioneiro se candidatar vou inaugurar meu voto na Ptzada, afinal...quando acabar o dinheiro de todos nem almoço vai ter.....