Governo Bolsonaro não flexibilizará exigências para adesão ao RRF dos Estados

O presuntivo ministro da Fazenda, Paulo Guedes, já mandou avisar aos governadores do Rio, Wilson Witzel, e Eduardo Leite, RS, que não flexibilizará nada na lei que criou o Regime de Recuperação Fiscal.

Witzel e Leite defendem mudanças no rol das exigências federais para autorizar acordos.

O que significa maior leniência com o dinheiro dos contribuintes brasileiros, que são os que pagam a conta pelos descaminhos de gestão pública dos governos do Rio e RS.

Paulo Guedes não quer saber de pepinos ainda maiores para o equilíbrio fiscal que buscará a ferro e fogo - e a curto prazo.

10 comentários:

  1. O governo Bolsonaro está correto, fiquei estarrecido com o que li neste blog sobre aposentadoria de ex-governadores e suas viúvas, cada estado e seu povo que cuide de seu quadrado.

    ResponderExcluir
  2. Dizem que foram os petistas que elegeram o Eduardo Leite no RS. Por considerarem-no manipulável, será verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem elegeu o Leite foi o Sr. Sartori. Ficou 4 anos amorcegando e não fez nada. Não terminou a 118, atrasou os salários e não conseguiu nem fazer um plebiscito. Um estado caótico na segurança, saúde e educação. Se elegeu dizendom para não olharmos pelo retrovisor mas ficou 4 anos reclamando da gestão anterior.

      Excluir
    2. OPA, pera lá! Não, nunca reclamou do Tarso e seu (des) governo. Petistas, parem de mentir! Basta! Chega!

      Excluir
    3. Ledo engano! Entre tantos, foi o Leite que não quis que aprovasse o plebiscito para as eleicoes, o que economizaria milhoes. Velha demagogia pra ganhar votos. Vai afundar junto com o PT que o elegeu! Não quero ver choro!!!!

      Excluir
  3. https://www.breitbart.com/europe/2018/11/11/poland-celebrates-100-year-anniversary-countrys-rebirth-independent-state/

    ResponderExcluir
  4. Chega de o Judiciário e Legislativo, comandados pela Maçonaria, determinarem o quanto devem ganhar de salário e que somente o Executivo tenha seus funcionários com salário parcelado. A Ordem vai atropelar o novato Governador. Sartori, com todos os seus defeitos, incluindo não ter bancado ir para prisão caso parcelasse o salários dos maçons, digo do Judiciário, Legislativo e Fiscais do ICMs, ainda era menos pior.

    ResponderExcluir
  5. E agora Leitinho, quero ver você renegociar o acordo como prometeu.

    ResponderExcluir
  6. Ano que vem o estado vai entrar numa crise sem precedentes e Leite será acusado de estelionato eleitoral, e a assembleia vai querer tira-lo do governo. Se for assim, poderemos fazer outra eleição para eleger alguém verdadeiramente responsável e que pense no RS. Leite se elegeu apenas para aparecer e arrumar alguma fonte de renda ja que nunca trabalhou na vida.

    ResponderExcluir
  7. Leite foi eleito com os votos da esquerda. A previsão dos vermelhos é que o pelotense é mais fraco e será mais fácil quebrar-lhe as pernas, abrindo caminho para um governo petista em 2022.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.