Até o momento, somente 9% das doações prometidas chegaram para recuperar a Notre-Dame

Ao contrário do que se imaginava, a maior parte dos recursos foi enviada por cidadãos comuns, e não as celebridades ou milionários, apesar das promessas e toda a publicidade em torno. Menos de um décimo das centenas de milhões de euros prometidos para ajudar a reconstruir a Catedral de Notre-Dame, em Paris, foi efetivamente registrado. 

A informação é do Ministério da Cultura francês.

Apenas 9%, do total de 850 milhões de euros anunciados, surgiram nos cofres franceses, passados meses desde o incêndio. O dinheiro que efetivamente chegou, 80 milhões de euros, ainda não é o suficiente. Até o arcebispo de Paris, Michel Aupetit, expressou preocupações sobre as promessas, dizendo que “a maior parte dessas doações ainda não se materializou”.

6 comentários:

  1. Paris ( c/ destruição de monumentos, ataques terroristas, coletes amarelos, simpatia ao socialismo, etc) deixando de ser ponto turístico em 3, 2, 1!

    ResponderExcluir
  2. Estão esperando o projeto de restauro estar pronto, a equipe definida, o custo real estipulado etc. etc...

    ResponderExcluir
  3. é o famoso oba-oba...

    tem uma penca de gente que adora aparecer na hora do agito, no calor do momento e depois, quando tudo esfria, desaparece...

    eu achei mesmo que havia muito católico ainda na França disposto a doar milhões para reconstruir essa obra prima do cristianismo...

    como sabemos, a França católica é hoje apenas uma fantasia, e a catedral servia apenas para entretenimento turístico...

    triste realidade para um país que foi um dos grandes responsáveis pela formatação do ocidente...

    ResponderExcluir
  4. Claro, foi incêndio encomendado!

    ResponderExcluir
  5. Para que doações? A França precisa? Claro que não!

    ResponderExcluir
  6. 9% de valor ou de doadores? Tinha um grande Empresário doador que tinha prometido muitos milhões de Euros, será que ele blefou, não acredito.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.