General Villas Boas conta como foram os posts que obrigaram o STF a manter preso Lula da Silva

Em entrevista ao jornalista Igor Gielow, Folha de S. Paulo (CLIQUE AQUI para ler), o general Villas Boas, chefe das Forças Armadas, falou pela primeira vez sobre sua manifestação na véspera do dia em que o Supremo Tribunal Federal manteve a prisão em segunda instância e selou o destino do ex-presidente Lula, preso há sete meses por um processo amplamente questionado por juristas do Brasil e do mundo.

- Eu reconheço que houve um episódio em que nós estivemos realmente no limite, que foi aquele tuíte da véspera do votação no Supremo da questão do Lula. Ali, nós conscientemente trabalhamos sabendo que estávamos no limite. Mas sentimos que a coisa poderia fugir ao nosso controle se eu não me expressasse. Porque outras pessoas, militares da reserva e civis identificados conosco, estavam se pronunciando de maneira mais enfática. Me lembro, a gente soltou [o post no Twitter] 20h20, no fim do Jornal Nacional, o William Bonner leu a nossa nota.

Sobre as críticas recebidas, ele as relativizou. "Do pessoal de sempre, mas a relação custo-benefício foi positiva. Alguns me acusaram... de os militares estarem interferindo numa área que não lhes dizia respeito. Mas aí temos a preocupação com a estabilidade, porque o agravamento da situação depois cai no nosso colo. É melhor prevenir do que remediar", afirmou.

Eis osdois posts de 3 de abril, que assustou o STF e manteve Lula preso:


Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?
Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais.

32,4 mil pessoas estão falando sobre isso

9 comentários:

  1. O grande medo é que eles sabem de que lado o povo vai ficar. É difícil crer que Bolsonaro poderá resolver toda esta lama no outros poderes.

    ResponderExcluir
  2. O general bem que poderia soltar um tuitizinho contrário ao aumento do STF, e assegurar justiça aos quase três milhões de brasileiros que já assinaram contra essa indecência.

    ResponderExcluir
  3. Lembro disso! Foi um divisor de aguas!

    Principalmente partindo de um cidadão com uma doença degenerativa terrivel que vai trabalhar até o último dia do governo Temer!

    Parabens General!

    ResponderExcluir
  4. Hummm ..
    Não .... não ... não é tão convincente esse palavra; ao longo do período eleitoral sempre apareciam as "fontes do alto comando" que diziam que Bolsonaro não representava os militares - implicando em dizer que quem representava era Hadad - e outras bobagens. Ora, se essas "fontes" fossem advertidas, ficariam quietas, e não ficavam, por que? Que diga o senhor comandante.
    E tem pior: os meninos continuam a dizer que o Ministro da Defesa precisa ser um civil; ora, quem lhes perguntou?
    A verdade é que nesse período os meninos fizeram muito pouco, ou quase nada, de sorte que Villas Boas vir dizer isso ou aquilo? Ahhhhh .... depois da onça morta todo mundo vira caçador.
    O povão viu a inércia..... foi institucional? Foi pessoal? Pouco importa: o povão viu a inércia ..


    ResponderExcluir
  5. SR General. O Comandante em chefe das FAs é o Presidente da República.
    Isso é Democracia e Constituição.

    Ou a Democracia é a do fuzil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não petralha a democracia era a que tinha antes com Belém bestas quebrando as lojas e todos assistindo como cordeirinhos o rainha invadindo propriedade produtiva e stedeli ameaçando com o seu exército e Lula rindo...isso sim que é democracia

      Excluir
  6. o sujeito, de saída, ja quer tumultuar o novo governo...

    Bolsonaro deve ignora-lo...

    ResponderExcluir
  7. Onde esteve durante a Era da Mediocridade do PT? Ninguém que apareça agora é bravo. Muito conveniente arrostar bravura agora. Raus.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.