Abaixo assinado que defende veto ao aumento salarial do STF já tem 2,5 milhões de assinaturas

Um abaixo-assinado online contra o reajuste de 16,38% no salário dos ministros do (STF) Supremo Tribunal Federal atingiu 2,5 milhões de assinaturas na manhã deste domingo (11.nov.2018). A campanha foi criada pelo partido Novo com o objetivo de pressionar o presidente Michel Temer (MDB) a vetar a medida.

CLIQUE AQUI para também assinar.

6 comentários:

  1. é pouco...

    Só Sao Paulo tem mais de 20 milhões de habitantes...

    como não conseguimos nos mobilizar em massa contra um escarnio desses e que todos pagam a conta?

    ja era pra ter uns 10 milhões de assinaturas...

    ResponderExcluir
  2. Pq Bolsonaro não mobiliza as redes sociais? Estranho né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq Adady não mobiliza as redes sociais?
      Estranho né!!!

      Excluir
  3. Concordo, anônimo das 15:43!
    Essa conta não iremos pagar! Basta de mordomias, de super-salários, de penduricalhos, de viagens a Portugal, de convescotes em resorts!
    Já passou da hora de as "Excelências" pararem de se locupletar às nossas custas!
    Se não for demais, será que o partido Novo não encabeçaria um movimento nacional pelo fim desses absurdos?
    A imprensa noticiou que a bancada do Novo no Congresso Nacional e nas Assembleias estaduais vai adotar um regime de economia. O PSL declarou que vai seguir esse exemplo.

    ResponderExcluir
  4. Deve ter mais de um abaixo assinado rolando. Tem que juntar tudo. Já deve ter mais de 10 milhões de assinaturas, pelo amor de Deus!

    ResponderExcluir
  5. Quis assinar o abaixo assinado e respondi que quero me orgulhar de ser brasileira e que os políticos precisam de mais patriotismo. Legislar em prol do Brasil e não de si mesmos. Não dá para acreditar na desfaçatez deles!

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.