Artigo, Tito Guarnieri - Fora Temer !

Os 13 anos de governo Lula-Dilma estão mais para uma longa noite de horror do que para uma breve jornada de sol. Onde os petistas botaram a mão, sujou. As coisas se degradaram. Combate à corrupção? A impressão penosa que teima em permanecer é a de que nunca se roubou tanto na história deste País.

Na oposição, o PT botava a boca no trombone e batia o bumbo, ao menor sinal, à menor suspeita de que alguém tenha lesado os cofres públicos. Cada petista era um implacável Sérgio Moro – que tanto detestam -  no rigor com que eles denunciavam os desmandos, as malversações, o roubo. Os corruptos tremiam de medo. O PT era o partido da tolerância zero com as maracutaias, a palavra mágica que Lula cunhou e a companheirada adorava pronunciar – antes de se tornarem especialistas na matéria.

No governo, como se tivessem chegado com a sede de quem atravessou o deserto, foram ao pote. E que sede, companheiro, que sede!

CLIQUE AQUI para ler mais.

3 comentários:

  1. LEANDRO NARLOCH
    O CAÇADOR DE MITOS
    O caçador de mitos
    Uma visão politicamente incorreta da história, ciência e economia
    SOBRE
    Jornalista, foi editor da revista Superinteressante e repórter de ciência de Veja. Escreveu o bestseller Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, entre outros. É mestre em filosofia pela Universidade de Londres.
    MITOS ALEGORIAS
    Uma solução para o sindicato dos bancários: cortar o braço direitoO braço é uma tecnologia que facilita a vida e agiliza trabalhos, portanto rouba empregos. Se ele não existisse, milhares de vagas de trabalho seriam criadas
    Por: Leandro Narloch 20/09/2016 às 10:54
    Bancários estão em greve há duas semanas em protesto contra as agências digitais. A automação das agências, dizem os sindicalistas, tem eliminado empregos e direitos dos trabalhadores.
    Se essa lógica está correta, então os sindicatos deveriam exigir que todos os bancários cortassem o braço direito – ou o esquerdo, no caso dos canhotos.

    Ora, o braço é uma tecnologia que facilita a vida e agiliza trabalhos, portanto rouba empregos. Milhares de vagas de trabalho seriam criadas se os trabalhadores não tivessem o braço direito.
    Alguém poderia argumentar que a falta de um braço faria as pessoas produzirem menos enquanto trabalham. Como a produtividade define o teto dos salários (nenhum patrão vai pagar mais do que os trabalhadores produzem), a falta de um braço pressionaria os salários para baixo.
    Concordo. Do mesmo modo, a principal causa do enriquecimento dos trabalhadores é o aumento da produtividade criado pela inovação. Os sindicalistas em greve estão revoltados justamente com o fenômeno que possibilita aumentos de salários e prosperidade das nações.
    É verdade que a tecnologia causa desemprego e que muitas vezes a “destruição criativa” causada por ela não é suave. Mas os trabalhadores que perdem o emprego no banco acabam se realocando em empregos mais produtivos e criativos.
    Há três séculos, três quartos dos trabalhadores produziam comida. Se fôssemos nos preocupar com a preservação dos seus empregos, ainda estaríamos vivendo uma vida miserável de subsistência. E não haveria gente para ser analista de mídias sociais, youtuber ou… bancário.
    @lnarloch

    ResponderExcluir
  2. A INVEJA, o OLHO GRANDE e a INCOMPETÊNCIA, associados a MENTIRA e a ROUBALHEIRA são as palavras que dizem tudo sobre o que é o PT e seus asseclas do partido-quadrilha, inclusive os seus puxadinhos e os puxadões.

    ResponderExcluir
  3. O silêncio dos filiados do PT e demais apoiadores grita a toda goela:
    FICA, LULA, VIVA OS LADRÕES!!!!!!!!! VIVAAAAAAA!!!!!!!

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.