Investigados pela polícia, 236 taxistas já foram suspensos em Porto Alegre

A EPTC já suspendeu a licença de 236 taxistas acusados de crimes ligados a furto, roubo, tráfico de drogas, sequestro, estelionato e agressão contra mulheres em Porto Alegre.

O número é surpreendentemente alto.

A Defensoria Pública do Estado defende os motoristas suspensos e ataca a EPTC.

A EPTC defende o público do Estado.

15 comentários:

  1. O Wanderlei Capellari (ex-petista)é o responsável por esse escândalo na frota de táxis. Bote irresponsabilidade nisso!!!

    ResponderExcluir
  2. e são contra o UBER...

    ResponderExcluir
  3. E eu agradeço a EPTC pela austeridade e pela preocupação com a segurança dos que usam taxi.
    Só pela violência com que estes taxistas lidam com a questão do Uber percebe-se que não estamos lidando com santos.

    ResponderExcluir
  4. O analfabetismo funcional desemboca em carreiras públicas.

    ResponderExcluir
  5. Caro Políbio
    Só essa que nos faltava, não poder andar de taxi sob pena de ser roubado, ou assassinado. Impensável. Fico "estarrecida", apesar de não ser a Anta, pois ando muito de taxi, ainda bem que aqui em São Paulo, onde jamais passou pela minha cabeça que poderia ser agredida, roubada ou sequestrada, como de fato nunca me aconteceu e nunca ouvi falar que tenha acontecido com alguém daqui. Ao contrário, o que acontece é taxista sendo agredido e assassinado por bandidos disfarçados de clientes. A que ponto chegou a insegurança ai. Valha-me Deus!
    Esther

    ResponderExcluir
  6. Não sou formado em Direito, mas acho injusto a Defensoria que é paga pelo meu imposto defender alguém que me assaltou.
    Ou seja, eu estou pagando um advogado ir contra mim e para isentar alguém que cometeu um crime contra a minha pessoa.

    ResponderExcluir
  7. que máfia!!!!
    ando de apé ou de ônibus, mas táxi em POA nunca mais...
    já passei por duas muito sinistras onde percebi claramente que tinha esquema.
    queriam me largar em um local diferente, próximo ao local certo, mas em
    lugares muito suspeitos, sem movimentação, com uns pintas estranhos parados
    na esquina...
    abram o olho!!!! tem uns ovelha negra que são bandidos mesmo

    ResponderExcluir
  8. Indecência. O motorista é funcionário com carteira assinada do dono do taxi. Táxi dá muito dinheiro. Por quê temos que pagar esta conta?

    ResponderExcluir
  9. CADEIA NESSES LIXOS

    ResponderExcluir
  10. Sou filho de taxista. ... meu pai trabalha a maus de 35 anos no táxi e hoje em dia, apenas motoristas jovens estão disponíveis pata o trabalho, pois a violência e a dureza do trabalho afastam os interessados...e a grande maioria desses jovens não estão preparados para isso. Sempre buscam a agressividade no trânsito.

    ResponderExcluir
  11. Quando chega neste ponto em que chegou a bandidagem inflitrada nos taxis, a única solução, é extinguir o serviço, e imediatamente abir nova licitação na qual o histórico criminal deve ser atributo prioritário.
    Os bons taistas que nos perdoem, mas eles deixaram a situação chegar neste ponto e são culpados solidários.
    E esta empresa EPTC também deve ser extinta e uma nova forma de regular e fiscalizar deve ser criada.
    Não adianta ficar com paliativos. Não funciona com bandidos.

    ResponderExcluir
  12. 236 em quanto tempo? Desde 1950?

    ResponderExcluir
  13. O TRAFICO DE DROGAS CAMPEIA AKI NO BAIRRO SÃO JOÃO NAS PORTAS DOS CONDOMINIOS NAS PROXIMIDADES DE COLEGIOS E ESCOLAS ESTADUAIS E PARTICULARES..

    ResponderExcluir
  14. Pessoas sem comportamento adequado à função de motorista de táxi sequer deveriam ter a chance de chegar perto de um carro onde inocentes que acreditam estar protegidos pelo Estado PAGAM para ser transportados.

    ResponderExcluir
  15. Moro no Rio de Janeiro e com familiares aqui no Sul. NUNCA fui assaltado no Rio, em Porto Alegre fui assaltado por um MOTORISTA DE TÁXI!!! Evito ir a Porto Alegre até para pegar avião. A cidade é muito perigosa.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.