Conheça as principais promessas de Michel Temer

Esta é a base parlamentar de Temer no Congresso: PMDB, 67 deputados e 19 senadores; PP, 47 deputados e seis senadores;PSDB, 51 deputados e 11 senadores; PSD, 34 deputados e quatro senadores: PR, 40 deputados e quatro senadores; DEM, 29 deputdos e quatro senadores;PPS, 9 deputados  e ums enador; PRB, 22 deputados e ums enador: SD, 14 deputados; PV, 7 deputados e um senador: PTB, 31 deputados e sete senadores.
Total - 369 deputados e 61 senadores.
A Oposição do PT, PCdoB e PSOL tem 45 deputados e 11 senadores.
REDE e PDT, divididos, mas linhas auxiliares do PT, como PCdoB e PSOL, possuem 24 deputados e quatro senadores.

Anote para cobrar estas promessas de Michel Temer

Economia - Privatizações, câmbio mais flexível, Camex turbinada para alavancar comércio exterior e  Apex no Itamaraty (condução de Serra), acordos comerciais Norte-Sul, fim das vinculações orçamentárias, mecanismo para conter gastos superiores às receitas, idade mínima revisada para aposentadoria, reajuste menor para aposentados, reforma trabalhista.

Administração pública - Transparência e combate à corrupção, redução do número de ministérios, mudança do pacto federativo, criação de comitê para medir a eficiência.

Políticas sociais - Combate à pobreza (Bolsa Família mantida), relançamento de programa de susídios para habitação popular, avaliação dos resultados do Pronatec, ampliação dos recursos para a saúde e medição de resultados, universalização do Programa Saúde da Família, nova política de remuneração para serviços do SUS, cartão de saúde com histórico.

Educação - Meritocracia para ganhar mais e prioridade para a qualidade do ensino.

14 comentários:

  1. O que se entende por câmbio mais flexível? Câmbio ou é mais valorizado ou mais desvalorizado.

    ResponderExcluir
  2. Incrível é a verdadeira tara que nossos políticos tem em relação a ferrar com aposentados, especialmente os da iniciativa privada.
    Motivo, a previdência tem muito dinheiro, dá margem para muito roubo.
    País de araque !

    ResponderExcluir
  3. MERITOCRACIA EM TUDO e não apenas no MEC, esta é uma das soluções para nosso País. Estes 13 anos petistas, em que foram indicados incompetentes, desqualificados, despreparados, malandros e aproveitadores, resultaram na destruição que estamos vendo em todos os setores. Mesmo nas Universidades federais, não houve nestes 13 anos indicações por mérito e competência, ao contrário, os conhecidos malandros e aproveitadores petistas, que estavam nos sindicatos de docentes e funcionários, foram recebendo cargos, funções e gratificações, sem qualquer mérito para tal. Como resultado, as Universidades federais se desqualificaram no Ensino, na Pesquisa e na Extensão.

    ResponderExcluir
  4. Continua tudo igual. Ou seja, quem vai pagar a conta dos desmandos e roubalheira é o trabalhador.

    Será que não existe outra fórmula.

    Aumentar impostos, vender patrimônio público, isso eu que não sou economista também sei fazer.

    ResponderExcluir
  5. NA ÁREA ECONÔMICA, SÓ VAI MELHORAR AS EXPORTAÇÕES SE REVOGAREM ESSAS FAMIGERADAS LEIS AMBIENTAIS E A LEVIANA NR 12......................

    ResponderExcluir
  6. PT, PC do B e PSOL com 745???? Acho que tem erro de digitação aí caro Políbio, não pode ser!!!?

    ResponderExcluir
  7. Polibio, corrige aí:
    A Oposição do PT, PCdoB e PSOL tem *145* deputados e 11 senadores.

    ResponderExcluir
  8. 745 deputados de oposiçao?? Erros de portugues são contantes neste site.

    ResponderExcluir
  9. 745 deputados de oposiçao?? Erros de portugues são contantes neste site.

    ResponderExcluir
  10. "Trasnparência e combate à corrupção" - Mas tem dez ministros respondendo à Lava Jato!

    Papel aceita tudo!

    ResponderExcluir
  11. Faltou o item:
    JUDICIÁRIO - construção de novas penitenciárias de segurança máxima; apenados cumprindo penas com trabalho para pagar os custos de suas estadias; ressocialização e devolução de valores roubados do patrimônio público e privado, com a devida correção monetária.

    ResponderExcluir
  12. Privatização e mexer nas aposentadorias, com essas medidas a Dilma voltará rapidinho ao poder.

    ResponderExcluir
  13. Até que enfim surgiu um governo que acredita que o país só irá para frente com a méritocracia. De nada adianta tanto estudo, conhecimento e na hora da escolha de um profissional, esse é indicação política. Foi isso que levou o país a ruína. Colocaram os incompetentes em cargos essencialmente " tecnicos" . Deu no que deu. E a ex presidentA acha que ainda tem toda razão. Chegou a um cargo que " JAMAIS " deveria ocupar. É o típico exemplo de falta de meritrocacia. Não tinha competência para ocupar um cargo de tamanha responsabilidade e conhecimento. O povo pagará caro por esta escolha.

    ResponderExcluir
  14. Perfeito o anônimo das 11:21. Os aposentados já pagam a conta, depois de 35, 40 e até 50 anos de contribuição, por "conta de fhc e à época sua ministra da administração e reforma do estado,´a sra. professora claudia costin (que parece que hoje vive nos EUA, por ter assumido em 2014 como diretora global de educação do Banco Mundial) que produziu a fórmula do famigerado "fator previdenciário", (recentemente discutido para substituição pela fórmula 85/95). O dito fator, para os que contribuíram com mais de um salário mínimo subtrai, retira, abocanha na hora da aposentadoria, desde então (2002?) em torno de 30 a 35% do valor a que teriam direito. A sugestão para os Senhores Presidente e Ministro da Fazenda É QUE DETERMINEM UMA PRÉVIA AUDITORIA, INDEPENDENTE E SÉRIA, NESSA "CAIXA PRETA" DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, ANTES DE CAUSAREM MAIS PREJUÍZOS AOS APOSENTADOS E AOS QUE ESTEJAM EM CONDIÇÕES DE FAZÊ-LO. Por outro lado, penso que já passou da hora dos aposentados se manifestarem no País. NOTA: O grafado com minúsculas, é proposital.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.