Zika vírus avança e já chegou a 22 países

Entre 3 e 4 milhões de pessoas devem contrair o zika vírus em 2016 no continente americano, sendo que 1,5 milhão desses casos devem ser registrados no Brasil. A estimativa foi divulgada na quinta-feira (28) pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas.

O cálculo considera o número de infectados por dengue, doença transmitida pelo mesmo vetor, o mosquito Aedes aegypti, em 2015, e a falta de imunidade da população ao vírus.

Pelo menos 22 países e territórios já confirmaram a circulação autóctone do zika vírus, desde maio de 2015, segundo a Opas. A maioria está localizado no continente americano. São eles: Brasil, Barbados, Colômbia, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Guiana Francesa (França), Haiti, Honduras, Martinica (França), México, Panamá, Paraguai, Porto Rico (EUA), Ilha de São Martinho (França/Holanda), Suriname, Venezuela, Ilhas Virgens (EUA), Samoa e Cabo Verde.

2 comentários:

  1. Buenas, agora a incompetência de alguns desgovernos em controlar um simples mosquitinho dará munição às campanhas abortistas. Vão voltar com tudo e é bom notar que especialmente países latino-americanos e africanos serão considerados de risco. O interessante é que há mais de 100 anos, Oswaldo Cruz enfrentou o problema com muito menos recursos e muito mais competência.
    Então já que não conseguimos matar os mosquitos que matemos as crianças.

    ResponderExcluir
  2. O zica -virus eh mais uma conquista do governo Gilma, aquela do Pais de todos , que na verdade eh o pais deles, que comandam e tem a chave do cofre . O Ministerio da saude deve estar orgulhoso pela conquista . Seremos conhecidos como o Pais do Zica !!!

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.