Congresso Nacional começa o ano com 11 CPIs

A Câmara dos Deputados e o Senado Federal devem começar 2016 com, pelo menos, 11 Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs). No Senado, quatro já estão em funcionamento e duas aguardam instalação. A partir de fevereiro, as CPIs das Próteses, do HSBC, do Futebol e do Assassinato de Jovens retomarão os seus trabalhos, enquanto a dos Fundos de Pensão e a das Barragens poderão iniciar as atividades. 

Há ainda, pronto para ser lido no plenário da Casa, o requerimento para a criação da CPI do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que já existe na Câmara e investiga supostas irregularidades em empréstimos do banco, concedidos a empresas investigadas na Operação Lava Jato.

Ao contrário do Senado, onde não há limite para a instalação de CPIs, o regimento interno da Câmara dos Deputados só permite cinco comissões funcionando simultaneamente na Casa. Por isso, além da CPI do BNDES, devem continuar os trabalhos as CPIs do Crimes Cibernéticos, a de Maus-Tratos de Animais, Fundos de Pensão e também a da Funai e Incra. 


Outros três novos pedidos para criação de CPIs já estão prontos aguardando leitura em plenário para avançar a medida que outras forem encerradas: a do Conselho Administrativos de Recursos Fiscais (Carf), a da Fifa/Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a da Concessão de Seguro Dpvat.

2 comentários:

  1. Com o bando de vendidos e canalhas ideologizados que está no presente congresso, com ampla e a calada bancada de inertes e inócuos petistas gaúchos que nunca defenderam o RS e que até a pouco por extrema "coerência" só diziam fora FHC e impeachment já, não se pode esperar de nada decente saindo de lá, atualmente as partes mais decentes e limpas do nosso presente congresso são suas fétidas latrinas.

    ResponderExcluir
  2. MSN

    Cunha tem mais cinco contas no exterior, apontam delatores

    Dois empresários da Carioca Engenharia acusam o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de ter recebido propina em ao menos cinco novas contas mantidas no exterior. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, as contas eram até agora desconhecidas das autoridades brasileiras.

    Se estes casos forem confirmados, o deputado totaliza nove contas bancárias no exterior. Como recorda a publicação, em outubro do ano passado, foram descobertas quatro contas secretas mantidas por Cunha na Suíça.

    Os empresários contaram que pagaram propina para Cunha com o objetivo de obter a liberação de verbas do fundo de investimentos do FGTS para o projeto do Porto Maravilha, no Rio. A Carioca Engenharia obteve a concessão em consórcio com as construtoras Odebrecht e OAS.

    Segundo a publicação, foram transferidos US$ 3,9 milhões entre 2011 e 2014, saindo de contas na Suíça dos delatores para cinco contas no exterior que eles afirmam terem sido indicadas pelo próprio Cunha.

    Sugerido pela Windows Store


    Audio Recorder


        
        

    (4 Opiniões)

    Audio Recorder enables you to record and replay audio notes easily. Files are optionally stored in your SkyDrive account so…

    Obter o aplicativo

    "Em geral, seu filho [Ricardo Pernambuco Júnior] se reunia com Eduardo Cunha para saber em qual conta deveria ser feita a transferência", contou Ricardo Pernambuco em seu depoimento, prestado em 30 de setembro e ainda sob sigilo. "Todos os pagamentos feitos a Eduardo Cunha foram no exterior", afirmou.

    Novas contas

    Os empresários relataram que as contas que receberam propinas foram: Korngut Baruch no Israel Discount Bank (sede em Israel), Esteban García no Merrill Lynch (EUA), Penbur Holdings no BSI (Suíça), Lastal Group no Julius Bär (Suíça) e outra Lastal Group no Banque Heritage (Suíça).

    Ricardo Pernambuco Júnior disse que Cunha esteve pessoalmente no escritório da Carioca Engenharia em São Paulo em 10 de junho de 2014. Quinze dias depois, foi feita uma transferência no exterior para uma nova conta.

    Além disso, segundo o empresário, ele foi cobrado por Cunha, em encontros pessoais, quando passaram um período sem realizar transferências.

    "Nestas reuniões, o deputado dizia: 'Ricardo, vocês estão atrasados e vocês precisam regularizar os pagamentos'", relatou Pernambuco Júnior. (...)

    PS: E o Presidente da Camara dos Deputados, Eduardo Cunha do PMDB de Temer, Perondi, Simon, Terra, Fogaça, Sartori, Alceu Moreira, Brossard, Padilha, etc. Ou o Padilha, Temer, Simão, Perondi, Padilha, Sartori, alceu Moreira, não são do PMDB?

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.