Entrevista, Romeu Tuma Júnior - Não escrevi nada que não possa provar

Romeu Tuma Júnior, autor do livro “Assassinato de Reputações”

Muitos leitores que não leram seu livro, reclamam da falta de provas no caso de revelações escabrosas que ele contém, como a que apesenta Lula como “Barba”, o alcaguete da ditadura militar recrutado por seu pai, Romeu Tuma.
O livro não é um inquérito, mas um livro. De qualquer forma, ele está fartamente documentado, inclusive com nomes, fatos, datas e horários. Eu sou policial há 35 anos, filho de policial, ex-secretário Nacional da Segurança e ex-deputado, o que quer dizer que não seria irresponsável ao ponto de descrever fatos gravíssimos sem poder provar.

Lula, Tarso Genro, Gilberto Carvalho e um sem número de dignitários dos governos do PT, aparecem muito mal na foto. Nenhum deles interpelou-o judicialmente?
Até agora, não. Acho que nem farão isso. Eles sabem que tenho prova de tudo e até mais do que tratei no livro. Não se esqueça que pertenci ao mais alto escalão da área de segurança pública do governo Lula, com acesso direto aos gabinetes do ministro da Justiça durante três anos.

Os governos do PT são mesmo uma fábrica de dossiês?
Você tem dúvida? O Brasil corre grave risco de desestabilização política, rumando a passos largos para um regime autoritário de corte bolivariano. Só falta dominar por completo o Poder Judiciário, mas isto nem parece longe de acontecer. Dilma poderá nomear dois novos ministros do STF, onde já tem maioria. Em outubro, estará em jogo o futuro da democracia e a liberdade do nosso povo.

CLIQUE AQUI para ler nota do editor sobre o capítulo do livro que revela como Lula foi recrutado para operar como alcaguete da ditadura militar.

Um comentário:

  1. Sabem o que é pior ??? Nada disso tem repercussão junto à massa ignara de votantes do bolsa qualquercoisa... Então, a melhor saída para o cidadão decente é o aeroporto, infelizmente...

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.