Entrevista, Edson Brum, PMDB - Operação Kilowatt poderá virar CPI no RS

Edson Brum, deputado PMDB do RS

Ninguém compareceu à reunião da Comissão de Serviços Públicos para falar sobre as fraudes em obras de reformas nas escolas estaduais, objeto da Operação Kilowatt, excessão do secretário da Educação, José Carlos Azevedo.
Foi uma manobra do governo. Se prosseguir nessa linha,uma CPI torna-se necessária.

Quem viria?
Além do secretário da Educação, também o secretário de Obras, o chefe de Polícia e as diretoras das escolas que reclamaram dos maus serviços.

Por isto a reunião foi suspensa?
Ficaria sem sentido. Queremos todos ao mesmo tempo, porque o chefe de Polícia conduz a Operação Kilowatt, diz que houve crime, tendo investigado em cima de denúncias feitas pelo secretário Azevedo, mas o secretário de Obras nega tudo de pés juntos.

O governo alega que hoje foi dia de mudanças de dez secretários, inclusive o de Obras e o novo chefe de Polícia.
Vamos convocar o novo chefe da Polícia Civil, delegado Guilherme Wondracek, que na época da denúncia das fraudes era titular do Deic (Departamento de Investigações Criminais) e afirmou publicamente que “existiu crime” na reforma das escolas.

Vocês não vão pedir o inquérito da Operação Kilowatt?
Primeiro vamos ouvir os secretários, o chefe de Polícia e os diretores de escolas. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.