Agência publicitária do chefe da Secom de Bolsonaro tira nota para explicar conta de R$ 30 milhões da Apex

A empresa de Fábio Wajngarten, chefe da Secom no governo Bolsonaro, tirou nota para explicar como é que detém conta publicitária do governo (só a conta da Apex é de R$ 30 milhões, valor que a prefeitura de Porto Alegre pretende gastar durante um ano). No RS, um auxiliar do gênero seria demitido na mesma hora, mas nem seria nomeado para o cargo. A revista Época denunciou que há conflito de interesse, mas hoje Bolsonaro disse que ele ficará no cargo, mas há controvérsia. CLIQUE AQUI para ler a nota da revista.

Eis a nota da agência publicitária de Fábio:

“A Nova/SB concorreu com outras 11 empresas de publicidade, ficou em primeiro lugar na pontuação final, dentre as 6 classificadas. Durante o prazo de recurso, a Nova/SB respondeu a dois recursos impetrados por concorrentes. Após verificação dos argumentos e contrarrazões apresentados, a Nova/SB foi confirmada como vencedora, comprovando a qualidade técnica da sua proposta.”
A empresa, em 2019, teve seu faturamento reduzido em um terço no atendimento de contas do governo federal e demitiu muitos de seus funcionários. A empresa é a única do mercado brasileiro a deter o selo Pró-ética, concedido pela CGU".

16 comentários:

  1. Bolsonaro é muito estúpido. Benza-me Deus.

    ResponderExcluir
  2. Além de incompetente e reaça é ladrão igual aos governos anteriores. Acordem fascistopatas!!!

    ResponderExcluir
  3. mas nao se salva ninguem nessa praga de país..

    ô culturazinha do inferno essa a nossa...

    eu ja perdi completamente a esperança nesse país...

    ResponderExcluir
  4. Selo pró-ética, seria um têrmo de referência exigido na licitação?
    De qualquer forma pró-ética nem devia ter participado da licitação, haja vista o cargo que ocupa.
    É por estas e outras que cada vez mais há questionamentos quanto administração Bolsonaro.

    ResponderExcluir
  5. Anoniminho das 12:19: não tem como ser igual ao teu líder supremo. Em matéria de corrupção ele é imbatível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sujo falando do mal lavado... Seria diferente né? SQN! Só mudou de lado, agora é a direitalha roubando!

      Excluir
  6. Anônimal das 12:52, verdade que o PT (junto com o PMDB e outras gangues) foi imbatível na roubalheira. Mas o teu deus supera até a Dilma em burrice e incompetência, e agora perdeu a vergonha na cara, defendendo seus milicianos.

    ResponderExcluir
  7. Políbio aqui ao lado de novo Hamburgo, em São Leo tem um advogadinho filho de uma promotora petista e afiliado politico do promor-sambista de São Leopoldo, comprou um importado

    ResponderExcluir
  8. Está tudo dominado. Simples assim. https://www.oantagonista.com/brasil/alesp-assina-contrato-de-r-21-milhoes-com-empresa-de-reu-da-lava-jato-ligado-ao-pt/

    ResponderExcluir
  9. Anônimo das 12:19h! Concordo com o anônimo das 12:52h.

    ResponderExcluir
  10. Põe na Justiça por calúnia e pede danos morais.

    ResponderExcluir
  11. Impressionante ou piçionante ver o blogueiro apoiar tudo 102% do que acontece.

    ResponderExcluir
  12. Há dois graus de integridade moral. O primeiro é honestidade, isto é, não roubar ou mentir. O segundo, mais rigoroso, é o escrúpulo, ou seja, não tirar proveito de posição ou situação privilegiada. Se, no Brasil, o primeiro é escasso, do segundo nem se fala.

    ResponderExcluir
  13. Polibio tem muito petista ali dentro roubando mesmo, sindicato é fichinha, o parque é municipal

    ResponderExcluir
  14. Bolsonaro nunca mais. Já fez a parte dele, que era descontinuar os governos comunistas. è muito burro e não tem competência para o cargo.

    ResponderExcluir
  15. VIVA O NOSSO LÍDER BOLSONARO!!!!

    HERÓI DA NAÇÃO BRASILEIRA!!!!

    E PAU NO PT!!!

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.