Artigo, Renato Sant'Ana - Direito sem juridiquês

Quem disse que ter noções de Direito é exclusividade de bacharéis? Oh, não! Há conceitos e valores que todo e qualquer cidadão responsável deveria cultivar. E não precisa incorrer no "juspedantismo", aquela língua estranha dos operadores do Direito. Vejamos em casos concretos.

São dois. No primeiro, uma senhora, que morava perto da linha do trem, chamou um marceneiro para prestar um serviço. "Quando o trem passa", disse ela ao artífice, "o meu roupeiro faz um barulho muito estranho, chega a dar medo."

Depois de examinar o móvel, ele propôs: "Vou entrar no roupeiro e, quando o trem passar, verei por dentro o que ocorre." E assim fez.

Aos poucos minutos, antes do trem, chegou o marido da senhora, que, por acaso, foi logo abrindo o roupeiro.

"Ah, meu amigo", disse o marceneiro, "se eu lhe disser que estou aqui esperando o trem, o senhor não vai acreditar!" E se lamentou: "Como poderei provar a verdade?"

Pois é. Às vezes, o que pare...

CLIQUE AQUI para ler tudo.

3 comentários:

  1. Olavo de Carvalho: “Se dependermos de Mourão, em menos de um ano a quadrilha petista estará no poder”:

    Brasil 29.01.19 17:03 - O Antagonista

    No Facebook, Olavo de Carvalho voltou a atacar Hamilton Mourão:

    “Enquanto os israelenses estavam socorrendo as vítimas da tragédia de Brumadinho, o Mourão estava trocando beijinhos com a delegação palestina, prometendo que a nossa embaixada NÃO vai mudar para Jerusalém.”

    ResponderExcluir
  2. Governo Bolsonaro joga a culpa no governador Zema pelo desprezo à ajuda das Forças Armadas:

    29/01/2019 - 15:46

    A informação do G1, agora, que de que o Planalto responsabiliza o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, pelo não acionamento das Forças Armadas brasileiras em Brumadinho, é um álibi para se justificar perante os militares.

    Desde o início da tragédia, o comando das operações estava com o governo federal. Aliás, em toda grande tragédia, a coordenação é da Defesa Civil, a partir de Brasília. E o principal agente das operações é a FAB (Força Aérea Brasileira) e divisões do Exército.

    Jair Bolsonaro foi ao local acompanhado de Ministros, criou dois gabinetes de acompanhamento que assumiram a coordenação das operações. Partiu dele o anúncio da vinda da ajuda de Israel.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.