Sirotiskys venderam a RBS de SC para os bilionários Carlos Sanchexz e Lírio Parisotto

No Brasil, no ano passado, o grupo RBS também entrou na dança da venda de jornais para bilionários.

O grupo de Zero Hora vendeu suas operações de jornais, rádios e TV em Santa Catarina aos empresários Lírio Parisotto e Carlos Sanchez, controlador da empresa farmacêutica EMS. Parisotto deixou a sociedade meses depois.

12 comentários:

  1. NOTÍCIA REQUENTADA!

    ResponderExcluir
  2. E pelo jeito tão doidinhos para vender a operação do RS também ...

    ResponderExcluir
  3. ESTÃO PULANDO DA BARCA!!! QUANDO IRÁ CAIR A OPERAÇÃO ZELOTES COM POLÍCIA FEDERAL PRENDENDO DIRETOR AQUI NA RBS POA???

    ResponderExcluir
  4. Isto o Prévidi no seu blog antecipou muito antes de se concretizar. Notícia velha e surrada.

    ResponderExcluir
  5. Ao anônimo das 09h42 sugiro grafar RBS da mesma que eu faço, isto é, RB$

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nazista Loeffler ama é a Carta Capital, mantida com a mesada da Oderbrecht.

      Excluir
  6. Venderam porque? O editor poderia clarear a informação.

    ResponderExcluir
  7. sinal q a agua bateu na bunda? alguma outra explicaçao?

    ResponderExcluir
  8. e ai a viuva do Jobs vai la e me compra uma revista por milhoes de dolares, enquanto os jornais e as proprias revistas estao com os dias contados...

    negocio esquisito dessa mulher...

    ta com cara de ter rolo naquilo lá...

    ResponderExcluir
  9. A notícia pode ser velha, mas a impunidade ainda existente ainda não é, portanto vamos falar bem disto, pois todos os bandidos tem que ir para trás das grades e pagar pelos danos provocados.

    ResponderExcluir
  10. Lírio Parisotto foi laranja de quem???

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.