Edinho e Giles Azevedo tomaram R$ 20 milhões de dinheiro sujo da Andrade Gutierrez para campanha de Dilma

CLIQUE AQUI para ler, também, "Giles Azevedo: o homem de Dilma no esquema".


Ao ministro Herman Benjamin, STJ,  Antonio Azevedo, Andrade Gutierrez, disse ontem que havia prática de doar ao PT 2% de todos os contratos das empresas com o governo federal — não só nos contratos com a Petrobras. Na última campanha de Dilma, ele sofreu pressão de Giles Azevedo e Edinho Silva para dobrar a aposta, contribuindo com R$ 20 milhões. 

Segundo ele, a praxe era a doação de propina ao Diretório Nacional do PT, que se incumbia de fazer a divisão internamente. Em 2014, declarou o ex-executivo ao ministro, foi feita doação de R$ 15 milhões, e uma parcela disso (R$ 1,5 milhão) foi declarada oficialmente pela campanha de Dilma como doação da Andrade Gutierrez. Além desse total que já tinha sido repassado ao PT, segundo Azevedo, a empresa programara doar mais R$ 10 milhões à campanha de Dilma. Mas, com as supostas pressões, aumentou o valor para R$ 20 milhões.

Segundo Azevedo, a pressão veio do ex-assessor de Dilma Giles Azevedo e de Edinho Silva, tesoureiro da campanha presidencial da petista em 2014 e depois ministro da Comunicação Social. Azevedo disse que a empresa aumentou o valor da doação porque sentiu a ameaça de perder contratos com o governo federal.

O ministro Herman Benjamin perguntou de onde vinha o dinheiro, e Azevedo respondeu:

- Nos governos Lula e Dilma, era estabelecido que a doação da empresa deveria ser de 2% de todos os contratos com estatais.

Leia mais na nota a seguir.

7 comentários:

  1. ESTA SERIA UMA DAS ANISTIAS QUE ONTEM TENTARAM VOTAR.

    CHEGARAM AO CÚMULO DE CORTAR SOM DAS TRANSMISSÕES, E PODEREM VOTAR TOTALMENTE ANÔNIMOS. GRAÇAS AO MIRO TEIXEIRA QUE O SOM ACABOU VOLTANDO.

    ResponderExcluir
  2. MUITO dinheiro ainda da PETROBRAS desviado para campanhas municipais da quadrilha travestida de partido.

    ResponderExcluir
  3. Delação amplia pressão contra Temer no TSE

    20/09/2016 - Brasil 247

    Otávio Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez, disse ter pago R$ 1 milhão à chapa Dilma-Temer, em 2014, como propina disfarçada de doação eleitoral, na ação que corre no Tribunal Superior Eleitoral e pede a cassação da dupla; se a ação vier a ser julgada neste ano, e houver a condenação, o Brasil terá novas eleições em 2016; depois de ser acusado de segurar esse processo para jogá-lo para 2017, quando haveria eleições indiretas, o ministro Gilmar Mendes disse que não controla o relógio do TSE e afirmou que, se o relator afirmar que o caso está pronto para votar, o colocará em pauta....

    OBA, não tendo o cabeça de chapa, dança que se locupletou e está no Presidência, ou seja, o traira. Afinal o que está em julgamento no TSE é a chapa (dilma/temer), da mesma forma que quando se elege o Presidente, elege o vice, não é assim que os blogueiros do blog defendem a legitimidade do traira?

    ResponderExcluir
  4. E destes 20 milhões, quantos foram para o laranjal dela? Pelo menos vinte por cento não seria razoável? Quatro milhões seria a palavra mágica?

    ResponderExcluir
  5. Atencao araraquara: Se edinbo vencer pra prefeito nao leva. Alguem me explica o Que ocorre naquela cidade? Edinho prefeito?

    ResponderExcluir
  6. Caro Políbio
    Do jeito que a coisa está andando , poderemos ter 3 presidentes da república em 4 anos. O 3º será algum ficha suja do Congresso Nacional, já que o Gilmar Mendes falou que a ação de cassação da chapa Dilma/Temer só será julgada no 2º semestre do ano que vem.O Brasil ficará como prostituta, passando de mão em mão.
    Esther

    ResponderExcluir
  7. CAMPANHA DE DILMA RECEBEU GRANA TAMBEM VINDA DE CONTA DE EXTERIOR O QUE É gravissimo = PROIBIDO , QUEM DELATOU Q A GRANA VEIO DE CONTA DO EXTERIOR FOI O PROPRIO MARQUETEIRO DELA O SANTANA

    CADEIA JA NA DILMENTIRA

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.