Ministério do Trabalho estoura terceirizados que faziam trabalho-escravo para Lojas Renner

O Ministério do Trabalho continuará investigando para verificar se outras terceirizadas também praticam trabalho-escravo para atender as necessidades das Lojas Renner.

. Ontem foi estourada uma oficina de São Paulo e libertados os escravos.

. Hoje os procuradores fornecerão detalhes em SP.

. Mais oficinas podem ter sido flagradas.

.A direção das Lojas Renner disse que sabia do caso, descredenciou o violador e avisou que não admite este tipo de crime.

3 comentários:

  1. O engraçado é que o MPT caça os terceirizados, mas inseriu na PL 7.919/13, a qual trata do plano de cargos e salários dos servidores do Ministério Público da União, a possibilidade da administração do órgão contratar terceirizados para função de motorista, segurança, recepcionista entre outros.

    ResponderExcluir
  2. E ainda tem puxa-saco falando sobre a excelencia da gestão nesta "fake" Lojas Renner!!!

    ResponderExcluir
  3. Essa turma era escravizada de que forma? Viviam em senzalas, com bolas de ferro nos pés??

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.