Tuma Júnior conta reação de Tarso frente a Dias Toffoli, no caso Battisti: "Covarde, covarde filho da puta !"

CLIQUE AQUI, também, para ler entrevista completa de Tuma Júnior
para a revista VOTO deste mês, já em circulação.

Título da entrevista: "Não tenho sangue de barata";

Tarso Genro, ao saber que Dias Toffoli (à esquerda) julgou-se impedido e não votou a seu favor no julgamento do recurso contra o refúgio concedido pelo então ministro da Justiça:
- Covarde, covarde filho da puta !

O então ministro da Justiça, Tarso Genro, depois de ver repelida pelo mais novo ministro do STF, Dias Toffoli, a investida dos seus enviados especiais, José Eduardo Cardozo, na época deputado, mais Luiz Paulo Barroso e Sigmaringa Seixas, que queriam seu voto para coonestar o refúgio concedido ao assassino italiano Cezare Battisti:
- Covarde, covarde filho da puta ! Um covarde !

. Esta reação intempestiva de Tarso Genro diante de um ministro que até há pouco era seu companheirinho de governo e de PT, deixou perplexo seu auxiliar, o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior. É o que ele conta na página 327 do seu livro "Assassinato de Reputação".

. O ex-secretário narra em 20 páginas como é que Lula e Tarso decidiram afrontar a lei, o governo italiano e até o STF, concedendo abrigo a um patife assassino, condenado à prisão perpétua em Roma.

. Por trás de todas as tramóias feitas pelo então ministro da Justiça, hoje governador do RS, e por Lula, esteve sempre o desejo pessoal de Lula, que queria porque queria atender um pedido pessoal do seu antigo advogado, pessoal e do PT, Luiz Eduardo Greenghald.

. Tuma Júnior não conta o caso como quem apenas ouviu falar. Leia o que ele explica (página 313):
- Quem conhece a questão sou eu, porque eu vivi todos esses caso.

. Ele deixa bem claro que o ministro Tarso Genro manobrou para que o Comitê Nacional para os Refugiados, Conare, 7 membros, rejeitasse o pedido de refúgio, para que num recurso posterior ele mesmo pudesse emplacar o apoio a Cezare Battisti, atendendo Lula. Tarso combinou tudo com Greenghald na véspera da reunião. O julgamento ocorreu no dia 28 de novembro de 2009. Em tudo, ajudou-o Vinicius Wu, seu assessor especial, e que agora o ajuda no Piratini.

. O caso foi tão escandaloso que a secretária-geral do Conare, Nara Conceição da Silva, há 20 anos na posição, demitiu-se.

. Depois da decisão do Conare e da revogação dela por Tarso Genro, o STF foi chamado a falar sobre o imbróglio e fulminou a decisão do ministro da Justiça.

. Curiosamente, quem defendeu Battisti no STF não foi Greenghald, um advogado medíocre, mas o atual ministro Joaquim Barroso, subestatelecido para o caso.

. O Supremo anulou o refúgio.

. No último dia do seu governo, Lula abrigou-o, concedendo-lhe residência permanente.

. Resta, ainda, o processo no qual Battisti é acusado de ter ingressado com passaporte falso no Brasil.

6 comentários:

  1. Ressuscitando o mesmo post pela enésima vez? Tudo isso é medo do Tarso?

    ResponderExcluir
  2. Parece que o peremPTório embu$teiro prevaricador também é amigo de um chinês.
    Se é assim, é bem provável que o amigo chinês de Romeu Tuma seja mais honesto, ético e honrado que o chinês que o pai do tabajarismo carrega à tiracolo.

    ResponderExcluir
  3. A foto é do Ministro Luis Fux e não do Min. Dias Toffoli.

    ResponderExcluir
  4. Caro Políbio........ Moro em /Campo Grande Ms e, depois de procurar o Livro do Tuminha na cidade inteira, desde o seu lançamento, consegui comprá-lo ontem em uma livraria no aeroporto............
    abraço

    ResponderExcluir
  5. Aos petralhas corruptos, pergunto qdo vão processar o delegado tuma junior, por injúria, calúnia e difamação.....??????????????

    ResponderExcluir
  6. Joaquim Barroso??? Não seria Luis Roberto Barroso?

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.