Escândalo da refinaria Pasadena vira crise política no Planalto Central

Graça Foster, a presidente da Petrobrás, embala a herança maldita deixada por Gabrielli, seu antecessor controvertido, e Dilma, a então presidente do Conselho de Administração. 

A situação da presidente Dilma Roussef torna-se a cada momento mais delicada, porque ganhou combustão resistente o escândalo da compra da refinaria Pasadena, Texas, EUA, por parte da Petrobrás. Há evidente crise política no Planalto Central.

Ninguém sabe até agora por que razão Dilma tirou a nota que tirou, jogando pesado contra a diretoria anterior da Petrobrás, inclusive seu presidente, Sérgio Gabrielli. Como se sabe, Dilma tirou Gabrielli do cargo quando assumiu a presidência - e se sabe por que razões. O persidenciável Aécio Neves sugeriu CPI para o caso. No Senado, o presidente Renan Caclheiros rebate para o senador Delcídio Amaral (PT-MT) responsabilidade por indicação de Nestor Cerveró para a diretoria da Petrobras, em 2003.

Leia no texto da reportagem abaixo o papel jogado por Cerveró. Antes, petista empurrara ao peemedebista a indicação.

"Delcídio certamente não indicou Cerveró para roubar a Petrobras", disparou Renan Calheiros; "Mas agora tem de perdir a saída dele"; ex-diretor da área Internacional da companhia, Cerveró escreveu o parecer para a compra da refinaria de Pasadena, por R$ 1,2 bilhão, considerado "falho" e "omisso" pela presidente Dilma Rousseff.

Para compreender melhor o que rola neste momento, leia reportagem levada ao ar, ontem a noite, pelo Jornal Nacional: 

A informação de que presidente Dilma Rousseff, quando era ministra chefe da Casa Civil, aprovou a compra de uma refinaria de petróleo no estado americano do Texas repercutiu nesta quarta-feira (19) no Congresso Nacional. O negócio é alvo de investigações.

A informação foi publicada na edição desta quarta do jornal O Estado de São Paulo. Em 2006, quando era ministra da Casa Civil e presidia o Conselho de Administração da Petrobras, a presidente Dilma Rousseff votou a favor da compra de 50% da refinaria de Pasadena, no estado americano do Texas.

Um negócio em que a Petrobras teve um grande prejuízo e que hoje está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União, pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.

Segundo o jornal, a decisão de apoiar a compra da refinaria está na ata do Conselho de Administração da Petrobras de fevereiro de 2006, com aprovação unânime. O ex-ministro Antonio Palocci e o atual governador da Bahia, Jacques Wagner, também participavam do conselho.

Em 2005, toda a refinaria havia sido comprada por uma empresa belga, a Astra Oil, por US$ 42,5 milhões. 

Em 2006, a Petrobras pagou US$ 360 milhões por metade da refinaria. Uma diferença de mais de US$ 317 milhões.

Em 2012, a Petrobras, por causa de cláusulas contratuais, foi obrigada, pela justiça americana, a comprar a outra metade da refinaria. E a estatal acabou gastando quase US$ 1,2 bilhão, ou mais de R$ 2,7 bilhões.
Em nota, a presidência informou que Dilma apoiou a compra da refinaria com base em um resumo executivo elaborado pelo diretor da área internacional da Petrobras que trazia "informações incompletas". De acordo com a nota, "posteriormente, soube-se que o resumo era técnica e juridicamente falho, pois omitia qualquer referência às cláusulas" que, "se fossem conhecidas, seguramente não seriam aprovadas pelo Conselho".

O diretor da área internacional da Petrobras na época do negócio, Nestor Cerveró, não quis comentar o assunto. Nem o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli. No ano passado, em depoimento ao Congresso, Gabrielli afirmou que a compra foi feita com preços alinhados à situação do mercado na época.

Segundo fontes do governo, Nestor Cerveró foi indicado pelo PMDB e PT e saiu da Petrobras depois que o Conselho descobriu a existência dessas cláusulas. Mas em seguida virou diretor financeiro de serviços da BR Distribuidora. A diretoria internacional da Petrobras hoje é dirigida pela própria presidente da estatal, Graça Foster.

A nota do Palácio do Planalto foi redigida com participação direta da presidente Dilma. É a primeira vez que ela se manifesta publicamente sobre o assunto. Já a Petrobras não quis comentar o caso porque ele está sob investigação do Tribunal de Contas da União. O TCU quer esclarecer primeiro as suspeitas de superfaturamento.

“Esse assunto é extremamente grave. Isso merece uma investigação profunda, porque isso levou a um erro, e esse erro custou uma quantia vultosa à nação brasileira”, afirma Marinus Marsico, procurador do Ministério Público.

No Congresso Nacional, o senador Aécio Neves, do PSDB, foi à tribuna criticar a atuação da então ministra da Casa Civil Dilma Rousseff no Conselho de Administração da Empresa. O senador defendeu que a comissão de fiscalização e controle do senado investigue o caso.

“Essa resposta dada pela Presidência da República não é suficiente. Não permite que os brasileiros possam conhecer quais foram efetivamente as motivações, as profundas motivações que levaram a uma negociata como essa, com dolo extremamente grave à sociedade brasileira e a sua mais importante empresa”, afirmou o senador Aécio Neves, do PSDB-MG, presidente do partido.

O líder governista no Senado, Eduardo Braga, do PMDB, disse que o próprio governo defende a apuração do caso.

“O governo da presidenta Dilma, em primeiro lugar, tem compromisso em combater qualquer tipo de malfeito. É óbvio que pode ter havido falhas. Falhas, se houver dolo, precisam ser apuradas com absoluta transparência. O governo apoia a apuração dessas transparências”, destacou o senador Eduardo Braga, PMDB/AM, líder do governo no Senado.

12 comentários:

  1. Gestão temerária, irresponsável, tendenciosa e ideologicamente conduzida. Resultado: Petrobrás quase falida, setor elétrico quase falido e a infraestrutura falida. Saúde, nem pensar, segurança somente para os petistas e educação nivelada por baixo, muito por baixo, no mesmo nível que a de Barba , o ávido leitor de gibis, sem ler os textos é claro, são muito difíceis! Fácil para os petistas é roubar e destruir o Brasil, mas são mães com Cuba, com a Venezuela, com a Argentina e com a Bolívia. Com tantos anões assim no nosso time de basquete, como participar de jogos da NBA sem dar vexames históricos? Pobre e apodrecido Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Será que os sgarbis da vida, vão atacar o editor e a oposição por mais essa roubalheira da quadrilha do mensalão...? ou vão ficar mudos, quietos, sem resposta...? assim como fazem com o delegado Tuma Junior...? não tem explicação pq o PT ainda não processou o delegado.

    ResponderExcluir
  3. Desde que o PT assumiu o PODER todos seus mandatários e cargos de comissão ficaram ricos. Vide O LULA e familia que se tornaram milionários.

    ResponderExcluir
  4. Essa negociata feita pelos PaTifes, é um caso de polícia e os (i)responsáveis por esse verdadeiro roubo a Nação, deverão responder criminalmente.Que conselho de administração é este que não leu o contrato original na integra e autorizou a compra dessa refinaria que estava sucateada e falida, baseada em um parecer de outro lacaio? Por favor , poupem-me e me respeitem, em querer que acredite nessa história da carrochinha. Os filhos do Tio Sam, devem estar morrendo de rir dos abostalhados ladrões, sub desenvolvidos, que compraram uma porcaria e pagaram um preço altíssimo por sucatas.O TCU deveria fazer essa camarilha de gatunos devolver o dinheiro ou pagar com cadeia. Eu não vi nenhum comentário do energumeno sgarbi.Não quisesses atacar o editor, seu mula sem cabeça? Onde estão os Ccs da quadrilha que não sze manifestaram sobre essa falcatrua petista até agora. Por mais fanático, louco, lunático, e sem vergonha na cara, que sejam os petistas, defender essa roubalheira , é demais até para eles, os pelegos comuuuuunistas!

    ResponderExcluir
  5. Esse é apenas UM dos casos. Ainda falta começar apurar a Gênesis, formada pela Petrobrás e a White Martins, monopólio e controle draconiano de preços também altamente lesivo aos interesses da empresa. Procurem por João Vinhosa, engenheiro que a anos denúncia o caso

    ResponderExcluir
  6. Adão e Eva também não sabia de nada mas mesmo assim foi expulso do paraíso.

    ResponderExcluir
  7. Cada enxadada uma minhoca.

    ResponderExcluir
  8. VEJAM só, quando se diz que só ladrão de galinha vai pra cadeia, estavam se referindo ao JOSE DIRCEU e sua turma.

    O ROMBO neste negócio é da cúpula MAFIOSA PTISTA! Está e esteve no último andar do edificio.

    De agora em diante, não poderemos mais defender este da livre iniciativa como eu, Sr. JORGE GUERDAU!

    Como poderemos, Sr. Jorge, colocar dinheiro nas suas empresas se o Sr. não lê o que assina?

    ResponderExcluir
  9. E onde estava a gerenta, competenta, espancadora de projetos, honesta até a medula ?
    Fala aí Sgarbi, onde estava essa adorável criatura, envolvida de corpo e alma nessa roubalheira descarada ?

    ResponderExcluir
  10. Mas bah assim os PT vão acabar com a barrosa...!

    ResponderExcluir
  11. Estamos atrasados, essa pilantragem aconteceu anos atrás, Dilma como todo bom "PETEBA" diz que não leu o que assinou(aprendeu com o seu mestre "BARBA")enfim, sempre o mesmo blábláblá que não leu, não sabia de nada, que foi enganada... Vejamos daqui uma/duas semanas se o discurso vai ser o mesmo, ou se vai alegar tentativa de "GOLPE".

    ResponderExcluir
  12. ONDE ESTAVAM OS MILITARES DA ÉPOCA QUANDO PRENDERAM ESSA SENHORA E NÃO A ENSINARAM BOAS MANEIRAS, OLHA HOJE QUEM SOFRE É O POVO BRASILEIRO POR UM ERRO DO PASSADO.



    EDUARDO MENEZES

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.