Justiça do Trabalho media greve na GM de Gravataí, mas paralisação continuará até segunda-feira

A reunião de mediação entre trabalhadores e donos da GM de Gravataí ocorreram na Justiça do Trabalho, Porto Alegre,  às 9h30.

. Uma nova proposta foi construída através da negociação entre as partes oferecendo reajuste salarial de 9,5% (sendo 7,22% referente ao INPC e o 2,3% de ganho real), Piso Salarial de R$ 1.200,00, Abono Salarial de R$ 3 mil e PPR de R$ 9.650,00 para 100% das metas. Sobre a Jornada de Trabalho, a proposta é de 41 horas semanais a partir de 1º de maio e de redução para 40 horas a partir de abril de 2014. Também foi incluído quinquênio de 1% a cada 5 anos.

. A partir de agora o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí levará a proposta para aprovação em assembleia única às 15h de segunda-feira (29/04). Até lá a greve continua.A condição imposta pela Justiça foi de os dias parados deverão ser compensados em banco de horas através do trabalho em sábados que seriam não-produtivos nos próximos meses.

. Durante os debates o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí ressaltou a diferença expressiva dos salários dos trabalhadores gaúchos na comparação com o recebido em montadoras de outros estados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.