Banco Rural favoreceu PT

Ministro relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa afirmou que os diretores do Banco Rural participaram de uma “cadeia de ilicitudes” para simular empréstimos e favorecer o PT e agências de Marcos Valério. Segundo Barbosa, o banco aceitou garantias insuficientes do ex-presidente do partido José Genoino e do ex-tesoureiro Delúbio Soares, também réus, para a concessão de empréstimo de R$ 3 milhões ao PT, que foi “rolado” por dez vezes pelo Rural.

. Ele começou a ler seu voto sobre o bloco do julgamento em que Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Ayanna Tenório e Vinicius Samarane são acusados da prática de gestão fraudulenta no banco. Barbosa não concluiu a exposição, que deve ser retomada na segunda, mas indicou que votará pela condenação.

2 comentários:

  1. Só a título de esclarecimento; todas as dez rolagens da dívida foram feitas sem nenhum pagamento dos juros?
    Quer dizer o PT pagou juros sobre juros?
    Mas que professor de matemática é o Delúbio que faz um negócio desses?
    Ele não sabe fazer contas?
    Esta é a maior prova de que os emprestimos foram ficticios, pois nenhum ser pensante e inteligente rola uma divida destas dez vezes com o acrescimo dos juros.
    é como uns trouxas que fazem dívidas no cartão de crédito e pagam só o minimo permitido; sobre o saldo devedor é acrescido um valor exorbitante.
    Nenhum professor de matemática que se preze aceitaria um negócio assim.
    Nem em Nova Brescia/RS no Festival da Mentira conseguiram contar uma mentira tão grande.

    ResponderExcluir

Prezado leitor: o seu comentário é de sua exclusiva responsabilidade, conforme dispõe o Marco Civil da Internet. O fato de ser utilizado o anonimato, não o exime de responsabilidade, porque a qualquer momento seu IP pode ser levantado judicialmente e a identidade do autor surgirá de maneira clara. O editor apenas disponibiliza sua via, sua estrada, para que o leitor utilize-a, mas não tem qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos aqui disponibilizados.