Artigo, Marco Antonio Villa, O Globo - O tenentismo quer voltar

Estamento militar quer se recolocar na política. Tenta construir projeto intervencionista. Não sabe de onde partir.

Ao lado, os tenentes do Forte Copacabana, armados, para o confronto com as forças legais do Exército.

Em outubro de 1891, Joaquim Nabuco, em carta enviada ao amigo Aníbal Falcão, escreveu: “Já lhe respondi que se quisesse entrar novamente em política, primeiro assentaria praça (é um pouco tarde, não lhe parece?) por estar certo de que o melhor governo que a República pudesse dar ao país seria incapaz de receber direção que não partisse dos próprios quartéis. Vocês, republicanos, substituíram a monarquia pelo militarismo sabendo o que faziam, e estão convencidos de que a mudança foi um bem. Eu […] pensei sempre que seria mais fácil embarcar uma família do que licenciar um exército.”

Até 1889, os militares tinham papel pouco relevante na cena nacional. O militarismo era um mal platino. A sucessão de golpes de Estado, típica da região, era inexistente no Brasil. No Segundo Reinado (1840-1889), a maioria dos ministros do Exército e da Marinha foi civil. As atribuições das Forças Armadas estavam determinadas nos artigos 145 a 150 da Constituição. A obediência ao Poder Executivo era clara: “a força militar é essencialmente obediente; jamais se poderá reunir sem que lhe seja ordenado pela autoridade legítima.” (artigo 147).

CLIQUE AQUI para ler tudo.

14 comentários:

Anônimo disse...

Já passou da hora d os militares assumirem........ a democracia aqui não deu certo

Anônimo disse...

Cadê a autoridade legítima fora do povo! Governo criou um monstro caro, inchado, cheio de privilégios e sobre o qual perdeu o controle chamado setor publico. Governo corrupto que tenta 'escalpelar' o setor privado.Agora precisamos da FFAA.

Anônimo disse...

Villa?! 🤣🤣🤣🤣

Anônimo disse...

Faltou dizer que o único civil dos Dezoito do Forte era um gaúcho de Quarai, Octavio Correa, tombou com um certeiro tiro no coração, sem saber ao certo o que estava acontecendo.

http://blogdopolibiobraga.blogspot.com.br/2018/02/dica-de-livro-o-gaucho-otavio-e-os-18.html

Eduardo PoA disse...

Exato. Newton Cruz é morto? Poderia ser o Xi Jin Ping tupiniquim.

Anônimo disse...

O único civil dos dezoito do forte de Copacabana era meu conterrâneo da Quaraí Querência Querida.

Anônimo disse...

esse Villa...tsc, tsc...

fala tanto que nem pensa...

Anônimo disse...



TENENTES LEVARAM UMA SURRA!!!!




É sempre bom lembrar que foi do movimento tenentista que surgiu a Coluna Prestes...

Vargas fez a Revolução de 30 e esvaziou o tenentismo...

Anônimo disse...

O Villa as vezes se perde nos comentários e enfia os pés pelas mãos, mas 80% do que ele fala se aproveita e é o que o povo esta6vendo e gostaria de falar.

Anônimo disse...

Esse Villa fuma uma troço muito loco! O cara fala cada bobagem que chega a doer os olho de ouvir. Numa disputa de discursos entre ele e a Dilma a coisa ia ficar difícil de decidir.

Anônimo disse...

Corre Villa.. que os militareas vem vindo a galope....sem os militares nós aqui ainda estavamos no seculo XIX....o Brasil é uma nação muito atrasada culturalmente e sem governo forte se chega ao estado a que chegamos...conhece a piada do papagaio ?? pendure um na sua porta para avisar da chegada deles...A carminha também deve pendurar um na porta do Supremo....

Anônimo disse...

Não é o "tenentismo que quer voltar". É o povo brasileiro que está farto desta zona que se instalou no Brazil com estes trinta anos de governos civis fracotes.

Da minha parte, se os milicos toparem ajudar a botar ordem nesta zorra chamada Brazil, terão meu apoio e tenho certeza de toda a populaça que sofre na bagunça instituída pelos civis corruptos.

Anônimo disse...

Vargas foi um verme nazista!

ALMANAKUT BRASIL disse...

Intervenção Militar, Faxina Geral, Comissão da "Verdadeira" Verdade e restabelecimento da Ordem e Progresso é uma grande preocupação de quem parasita em órgão sustentados com dinheiro público, dominados por um governo e seus pinduras, há mais tempo do que o Regime Militar, o brando, ficou no poder!

A Fundação Padre Anchieta, com sua TV Cultura, criada na época dos militares, e a USP, são cabidões que estão na mira!