Em 2014, Lula exigiu e o Santander entregou a cabeça da sua analista-chefe no Brasil

Em 2014, o próprio presidente mundial do Conselho de Administração do Santander, Emilio Botín, demitiu sua analista-chefe no Brasil, Synara Figueiredo, atendendo pedido direto de Lula, Dilma, PT e os sindicatos dos bancários atrelados ao lulopetismo. Synara produziu a recomendação ao lado, advertindo para o desastre que ocorreria na economia durante o governo Dilma, caso ela fosse eleita. Dilma foi eleita e o desastre ocorreu.

Synara obteve ganho na Justiça do Trabalho no ano seguinte, 2015, e foi indenizada. 

Acovardado diante das ameaças do governo Lula, Botin explicou a demissão:

— A pessoa foi demitida porque o banco, advertido, disse que tinha que ser demitida antes.

Ele foi ao beija-mão com Lula, que perdoou Botin.


— O presidente Lula é muito amigo meu, e para ele só tenho elogios.

27 comentários:

Anônimo disse...

Esse Polibio não tem o que fazer.
Temer e companhia acabando com o país e esse inútil procurando picuinha com o Lula.

Anônimo disse...

É de fecharem as contas no Santander!

Anônimo disse...

Pois é! Está analista é super competente e pode antever o caos dos desgovernos petistas. Felizmente saiu vitoriosa disso tudo é recebeu até indenização do banco. Fico questionando, por que ao invés de gastar dinheiro com estas psedo arte, porcaria mesmo, este Banco não dá ajuda a creches, orfanatos, asilos. Obviamente que está dinheirama que gastou com esta exposição faria muita diferença em dar dignidade humana aos desamparados. Acorde banco!!!

Anônimo disse...

Lendo isso penso na quantidade de empresas que até hoje devem financiar o nineFingers com mesadas, mensalinhos, presentes..

Emmanuel Carlos disse...

Espero que tenha rendido uma bela reclamação trabalhista ... Mas, isso o Santander não vai contar ....

Anônimo disse...

Um gesto autoritário de um Chefe do Executivo autoritário , sem compromissos com a Democracia , nos moldes das ditaduras bolivarianas. Não foi o único episódio. Este mesmo Chefe do Executivo tentou expulsar um jornalista estrangeiro, um Correspondente de Agência Internacional de Notícias, por ter sido chamado de bêbado, pelo jornalista. Desistiu de expulsar o profissional em face da repercussão internacional que o fato geraria.!!! Tia Glória .

Anônimo disse...

Botín diz que analista do Santander já foi demitido:


O analista responsável pelo informe econômico do Santander que sugeria deterioração da economia brasileira caso a presidente Dilma Rousseff (PT) mostre melhor desempenho nas pesquisas eleitorais já foi demitido, anunciou nesta terça-feira, 29, o presidente global do banco espanhol, Emilio Botín. O executivo, porém, não forneceu mais detalhes, nem disse se mais pessoas serão punidas.

Estadão - 29 Julho 2014

"A pessoa foi demitida porque o banco, advertido, disse que deveria demiti-lo, uma vez que (o analista) agiu mal", resumiu. O presidente global do Santander destacou que o analista não tinha autorização para emitir o relatório e chamou o episódio de "falha" e "coisa mal feita".

Botín também se esquivou de tecer comentários sobre as declarações da presidente Dilma, que nesta segunda-feira, 28, classificou a resposta do banco como "protocolar" e disse ser "inadmissível" que o mercado financeiro interfira na atividade eleitoral. Visivelmente incomodado com os questionamentos sobre o caso, ele se limitou a reafirmar que o informe, enviado a clientes do segmento Select (renda mensal superior a R$ 10 mil mensais) por meio do extrato bancário, não reflete a opinião do banco.

"A opinião foi de um analista, não é a opinião do banco Santander", ressaltou, durante coletiva à imprensa no III Encontro Internacional de Reitores, no Rio, realizado pelo Santander por meio do projeto Universia.

Após o ocorrido, o presidente do Santander no Brasil, Jesús Zabalza, foi encarregado de comunicar ao governo brasileiro que os executivos do banco espanhol estavam "chateados" com o que havia acontecido. Zabalza também enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff, mas seu conteúdo não foi revelado. (...)

Anônimo disse...

Presidente do Santander confirma demissão por informe sobre Dilma
Emilio Botín não deu detalhes de quem foi demitido:


30/07/2014 - O Globo

RIO — O presidente mundial do Santander, Emilio Botín, confirmou nesta terça-feira que demitiu uma pessoa pela emissão do informe de autoria do banco que relacionava a melhora da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas de intenção de voto à piora da economia brasileira. O empresário deu a declaração no início desta tarde durante a coletiva de imprensa realizada logo após o encerramento do III Encontro Internacional de Reitores, patrocinado pelo banco espanhol, realizado no Rio de Janeiro.

(...)

Lula também criticou carta do Santander enviada a correntistas: ‘essa moça não entende porra nenhuma de Brasil e de governo Dilma’
Lula critica carta do Santander e afirma que diretoria deveria demitir responsável
— A pessoa foi demitida porque o banco, advertido, disse que tinha que ser demitida antes — disse aos jornalistas, sem mais detalhes.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na noite de segunda-feira a demissão da pessoa da diretoria responsável pela emissão da análise, e disse que o Brasil é o país que mais dá lucro ao banco.

— Não tem nenhum lugar do mundo em que o Santander esteja ganhando mais dinheiro do que no Brasil. Aqui ele ganha mais do que em Nova York, mais do que em Londres, do que em Pequim, Paris, Madri, Barcelona —, disse o ex-presidente, ao participar da 14ª plenária da CUT em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. Botín já declarou que um quinto da economia do banco é obtida no país.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Lula mentiu quando disse que o banco ganha + $ no Brasil do que em NY, Londres, Pequin, Madri e Barcelona?

Anônimo disse...

A analista estava certa, como se comprovou.
E o banco estava errado.

Anônimo disse...

Executiva demitida pelo Santander pedia votos para Aécio no Facebook:

07/08/14 - Portal Sem Midia

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o banco Santander demitiu quatro pessoas por terem participado de um conluio que resultou em propaganda política enviada ilegalmente pela instituição aos seus correntistas “seletos”, ou seja, pessoas cuja renda ultrapassa 10 mil reais por mês.

Na matéria “Santander demitiu quatro por informe que irritou petistas”, o jornal chama de “informe” texto que figurou em extratos de conta-corrente que o banco enviou pelo correio aos seus correntistas mais abastados, e qualifica como “agressiva” a reação do PT pelo que o partido considera crime eleitoral.

A matéria ainda “acusa” o PT de ter “pressionado” o banco para que demitisse os envolvidos no envio do texto acima. Todavia, o vice-presidente de Comunicação do Santander, Marcos Madureira, nega: “Não recebemos, e nem aceitaríamos, qualquer tipo de pressão externa para adotar as medidas que tomamos”.

Vale comentar que a Folha não explica que tipo de benefício o governo Dilma auferiu com a demissão dos funcionários responsáveis pela propaganda política ilegal. Na verdade, quem se beneficia pelas demissões é o banco, pois podem ajudá-lo a evitar problemas com a Justiça Eleitoral, já que é ilegal fazer propaganda política por esse meio.

A propaganda política ilegal foi redigida pela agora ex-superintendente de investimentos do Santander Sinara Polycarpo. Além dela, três outras pessoas que poderiam ter impedido que cometesse o crime eleitoral por terem posições hierárquicas superiores também foram demitidas por não terem agido como deveriam.

Mas o mais interessante é que, ao visitar o perfil de Sinara no Facebook, descobre-se que, muito provavelmente, ela transformou suas idiossincrasias político-eleitorais em “analise” para os clientes de seu empregador.

O perfil da ex-superintendente de investimentos naquela rede social é “fechado”, ou seja, só os seus “amigos” virtuais podem ler o que ela escreve, mas, por alguma falha do Facebook, é possível acessar suas mensagens antigas.

Em 7 de abril do ano passado, por exemplo, Sinara compartilhou no Facebook reportagem da mesma Folha de São Paulo que afirmava que a presidente Dilma seria “leniente com a inflação”. Nesse compartilhamento, a ex-funcionária do Santander pôs um comentário: “Aécio para presidente”.

À época, a candidatura Aécio Neves não passava de especulação, mas Sinara já integrava o contingente de simpatizantes do PSDB que advogavam por sua candidatura. Como se sabe, sua preferência foi vencedora.

Parece bem provável que Sinara tenha feito muitas outras apologias ao ex-governador de Minas, o que sendo feito em seu perfil em uma rede social é absolutamente legítimo. Contudo, vender suas preferências políticas como “análise” aos clientes de seu empregador, não é. (...)

Marlene Gazzana disse...

A diretoria deste banco não presta, se curvam para um corrupto e agora fazem exposição apoiando e divulgando pedofilia e outros absurdos.

Anônimo disse...

Botin só tinha elogios para o super culto e maior corruptor da história do Brasil? Curioso....

Anônimo disse...

CASTELHANO é burro e socialista!


Anônimo disse...

Este banco para se redimir no mínimo tinha que vir a público pedir desculpas aos cristãos e aos brasileiros e ainda doar o dobro que foi gasto com esta exposição em ajuda à instituições de caridade. Isto é o que a população espera deste banco. Aí fará bonito.

Anônimo disse...

Jornalista inútil é a mãe,e Botin é um capacho covarde.

Anônimo disse...

Análise do Santander era plágio:

08/08/2014

Jornal GGN - O informe que o Santander enviou a clientes vips criticando os rumos da economia nacional sob comando da presidente Dilma Rousseff (PT) contém frases inteiras que foram extraídas de um relatório produzido por outro banco, o Fator, e circulava há um mês no mercado. A informação é da Folha de S. Paulo desta setxa (8), com base em apontamos do Valor PRO.

Segundo a reportagem, o texto foi publicado pelo Fator no dia 3 de junho é do economista Paulo Gala, professor da FGV. Ele não quis comentar se considerou plágio a investida do Santander com os mesmos apontamentos acerca do "pessimismo" e "falta de confiança" com o governo petista.

O episódio colocou o Santander em uma grande saia justa com o Planalto e culminou na demissão de quatro funcionários. Entre eles, Sinara Polycarpo, que, segundo publicação do Brasil 247 dessa semana, faz campanha para o candidato Aécio Neves (PSDB) nas redes sociais. O Santander informou que a opinião dos funcionário não reflete a posição institucional.

Outra empresa do mercado financeiro que decidiu afrontar a gestão de Dilma nos últimos meses é a Empiricus. Conforme mostrou o GGN, no final de junho, a consultoria produziu um vídeo e um relatório entiluados "O Fim do Brasil?"

Trata-se de um documento inspirado em um vídeo e um relatório da empresa Stansberry & Associates Investment Research (S&A). A versão estadunidense chama-se "End of America", foi publicada em 2010 e prometia, exatamente como a peça brasileira, uma crise muito mais danosa que a de 2008 caso o país não mude de presidente.

Em suma, o leitor é introduzido numa atmosfera de insegurança financeira e incitado a seguir dicas de quem "sabe do que está falando". Para saber onde aplicar o dinheiro, o leitor tem de assinar um contrato de consultoria com a empresa. (...)

Anônimo disse...

E o tempo demonstrou quem estava certo.

Anônimo disse...

Antes de informe, Santander fez doação de R$ 1,1 milhão para PSB



8 de Agosto de 2014 às 15:47



247 – Duas semanas antes de disparar o polêmico informe que causou a demissão de quatro funcionários, o Santander fez três doações que somam R$ 1,1 milhão ao Diretório Nacional do PSB, do candidato Eduardo Campos.

A carta, enviada para clientes de alta renda no Brasil, relacionava a reeleição da presidente Dilma Rousseff com a piora do quatro econômico no Brasil. Depois de causar um mal-estar com a divulgação do texto na imprensa, o banco pediu desculpas.

Como mostra reportagem do portal Uol, as doações estão registradas na primeira prestação de contas dos candidatos, comitês e diretórios dos partidos, que foi divulgada na última quarta-feira 6.

Anônimo disse...

E toca o berrante que a boiada está atenta
sex, 08/08/2014 - 13:42

Taí o "modus operandi" dos especialistas e analistas de mercado.

Toca o berrante e a boiada vai atrás.

Quando a gente escuta o "especialista" Mailson da Nóbrega - que deixou a inflação em 80% - dando as cartas é porque a coisa é a base do berrante mesmo.

E toca o berrante........

Anônimo disse...

O Delfim Netto comentou sobre essa
sex, 08/08/2014 - 13:16

bobagem desse banco estrangeiro, algo como:

"Agora em diante ninguém mais vai acreditar em relatórios de bancos."


E eu acho que banco nunca deve se meter em astrologia.

Anônimo disse...

Nova crise.
sex, 08/08/2014 - 11:16

Acho que cedo ou tarde uma nova crise ecônomica vai explodir. Mas não por causa de Dilma ou o PT, mas pela expeculação financeira selvagem, desonestas e sem limites que entidades como essa Empiricus promove. A crise de 2008 foi fruto de expeculação financeira e "liberalismo" ecônomico dos lobos de Wall Street.

Anônimo disse...

Analistas?
sex, 08/08/2014 - 11:08

Então é assim que se fazem as analises no mercado financeiro? Um "copia e cola" entre eles, operado por pessoas comprometidas com o candidato A ou B? Os clientes sabem disso? Sabem que estão sendo manipulados por um bando de preguiçosos que se aproveitam do cargo que ocupam para ferrar com a economia, espalhar o panico infundado e, de quebra, fazer campanha eleitoral? Que merda é essa? É sempre assim? Tem algum "trocadinho" por debaixo do pano para esses analistas espertos? É lixo puro e ainda querem cagar regras para o governo.

Anônimo disse...

Uma coisa ficou bem clara, ou o Brasil decente toma as rédeas do país ou os parasitas esquerdopatizados tirarão a nossa liberdade. Os "valores" da esquerda estão em destruir quaisquer valores que impeçam seu amoral plano de poder. A liberdade das esquerdas termina onde começa a liberdade do Brasil decente e qualquer transgressão a isto é crime.

Anônimo disse...

Impossível acabar com um país acabado pelo PT!

Temer tenta impedir uma guerra civil !!

Acorda

Anônimo disse...

Não éra plágio, é apenas panfletagem do sistema financeiro, que quer derrubar Dilma e se apossar ainda mais do Brasil, via Aécio. Não deu em 2014, mas depois de golpear a dilma, tá dando agora.

jorge.alves ribeiro disse...

Os bancos nunca ganharam tanto dinheiro como nos governos dos PTralhas, por isso ele era tão amigo do Lula. É de rir pra não chorar.

Anônimo disse...

Bem lembrado! Tinha me esquecido deste episódio. A analista estava coberta de razão. Ainda bem que não sou correntista deste banco. Quem tem conta deveria cair fora.