Thompson Flores diz que sentença de Moro que condenou Lula vai entrar para a história

Eis o que disse hoje ao Estadão o presidente do TRF-4, Porto Alegre, o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, ao falar sobre o juiz Sérgio Moro:

- É um juiz muito preparado, estudioso, íntegro, honesto, cujo trabalho já está tendo um reconhecimento, até mesmo internacional. É um homem que está cumprindo a sua missão.

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), disse também que a sentença em que o juiz Sérgio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

Ele comparou a decisão de Sérgio Moro à sentença que o juiz Márcio Moraes proferiu no caso Vladimir Herzog - em outubro de 1978, quando condenou a União pela prisão, tortura e morte do jornalista.

CLIQUE AQUI para ler a entrevista conduzida ppor Luiz Maclouf Carvalho.

21 comentários:

Renato Penna disse...

O ilustre sr desembargador,acredito não age de modo imparcial,e não é permitido o magistrado dar opinião na imprensa em caso ainda em julgamento !

Anônimo disse...

O maior reconhecimento ao Moro vem dos petralhas, que o detestam. Vai Moro!

Anônimo disse...

VC DISSE TUDO.

Anônimo disse...

Dá-lhe Moro! O CORRUPTO de nove dedos deve ir para o fundo da jaula!

Anônimo disse...

Seu salario de 50 paus limpos nao e' suficiente, ele precisa dar o ar da graca, num belo escritorio, pensando que eh um lorde ingles, falando pra jornalistas.

Oh vaidade hein.

Anônimo disse...

Tipo de atitude que só beneficiá Lula, os holofotes e a vaidade livrarão os petralhas da cadeia.

Anônimo disse...

Não acredito no PJ brasileiro... o caso do Advogado de Santa Catarina mostra bem o que fazem os juizes dos tribunais superiores..quase todos tem seu preço...pagou..levou...

Anônimo disse...

O que vai entrar para a história vai ser o anão 9 dedos de volta ao Planalto em 2018 e levando esse País de vez para se tornar outra Venezuela!!!

Anônimo disse...

Só não inclua nessa panela da corrupção os juízes e desembargadores que estão cobrando a magistratura e aplicando a lei para punir a maior corja de ladrão e corruptos que já estiveram no comando político brasileiro durante nossa história. Bom infelizmente o povo brasileiro ainda continua infestado de fãs desses corruptos comandados por peti$tas, pmdbostas e psdbostas.

Anônimo disse...

Esperarei o resultado para depois acreditar que a Justiça realmente fez "justiça"!

Anônimo disse...

Leia-se as entrelinhas: deve ser o mesmo pensamento dos desembargadores colegas do presidente, que vão julgar a denúncia. Tá pelada a coruja!

fernando bender disse...

vai sim. na história escrita pelos rothshield e rockfeller.

Anônimo disse...

CHEFE DO TRF PRESSIONA PELA CONDENAÇÃO DE LULA:

Mesmo sem figurar entre os três desembargadores que julgarão os recursos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, colocou pressão sobre seus colegas ao dizer que "a sentença do juiz Sergio Moro é irretocável"; no entanto, na mesma entrevista, ele também não encontrou saídas para duas fragilidades da decisão: o fato de o triplex não ser de Lula e também a inexistência de conexão entre as reformas do apartamento e a Petrobras; "Proprietário é o que está no registro de imóveis", disse ele; "O delito de corrupção passiva, e isso o Supremo decidiu desde o caso Collor, diz que precisa haver um ato de ofício que justifique a conduta praticada e o benefício recebido. Eu diria, e até já escrevi sobre isso, e por isso falo à vontade, que este ato de ofício, a meu juízo, precisa ser provado. Essa vai ser a grande questão".

6 DE AGOSTO DE 2017

247 – O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, disse, em entrevista ao jornalista Luiz Maklouf Carvalho, publicada no Estado de S. Paulo, que a sentença do juiz Sergio Moro que condena o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

Com isso, ele pressiona os três desembargadores que irão julgar os recursos do ex-presidente, mesmo sem integrar este grupo de juízes. Ao ser questionado se gostou da decisão, Thompson não titubeou. "Gostei, isso eu não vou negar", afirmou. "Se eu fosse integrante da Oitava Turma, e se estivesse, depois do exame dos autos, convencido de que a sentença foi justa, eu teria muita tranquilidade em confirmar."

Na entrevista, no entanto, ele não encontrou saídas para duas fragilidades da decisão: o fato de o triplex não ser de Lula e também a inexistência de conexão entre as reformas do apartamento e a Petrobras.

"Proprietário é o que está no registro de imóveis", disse ele, ao se referir à questão da titularidade do triplex, que está em nome da OAS e foi cedido à Caixa Econômica Federal.

Sobre a inexistência de vínculo com a Petrobras, ele fez uma afirmação que, em tese, inocentaria Lula. "O delito de corrupção passiva, e isso o Supremo decidiu desde o caso Collor, diz que precisa haver um ato de ofício que justifique a conduta praticada e o benefício recebido. Eu diria, e até já escrevi sobre isso, e por isso falo à vontade, que este ato de ofício, a meu juízo, precisa ser provado. Essa vai ser a grande questão". (...)

PS: Definitivamente o Código de Ética da Magistratura foi para o lixo, juiz fala nos autos quando processo está em suas mãos, quando não está não dá pitacos na imprensa.

Façanha, o advogado do povo disse...

MORO É UM OBCECADO DE EXTREMA DIREITA, LOGO PASSARÁ, LULA, A QUEM DETESTO, "PASSARINHO"...

Anônimo disse...

Além da sentença de Moro, o TRF-4 também promete entrar para a história, mas pela porta dos fundos:

Kiko Nogueira - 6 de agosto de 2017 - DCM

Durante a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara, um deputado do PMDB soltou a seguinte frase: “A investigação é necessária, mas não é urgente”.

No caso de Lula, pode-se inverter essa máxima. A investigação é urgente, mas não é necessária já que o resultado está dado.

O presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, está poupando o trabalho dos três desembargadores que examinam os recursos do processo em que Sérgio Moro condenou Lula a nove anos e meio de prisão.

Segundo Thompson, a sentença de Moro “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

O repórter quer saber se ele curtiu. “Gostei. Isso eu não vou negar”, é a resposta.

“Eu digo, em tese: se eu fosse integrante da Oitava Turma, e se estivesse, depois do exame dos autos, convencido de que a sentença foi justa, eu teria muita tranquilidade em confirmar.”

Isso é que é sutileza.

Thompson não conhece Sergio Moro, o que não o impede de descrevê-lo: “É um juiz muito preparado, estudioso, íntegro, honesto, cujo trabalho já está tendo um reconhecimento, inclusive internacional. É um homem que está cumprindo a sua missão.”

No mês passado, o DCM deu spoilers sobre essa minissérie. O Jornal Nacional dedicou longos minutos a Thompson Flores no dia em que a condenação de Lula saiu.

Ele apareceu em seu gabinete, enquadrado com carinho pela câmera, declarando que até agosto de 2018, antes da eleição, Lula da Silva estará julgado em segunda instância.

A Lei Orgânica da Magistratura estabelece que juiz não pode falar fora dos autos, mas Gilmar Mendes já transformou isso numa piada.

O trabalho de apresentar estes homens à sociedade como guerreiros do povo brasileiro continua agora com o Estado de S. Paulo. (...)

PS: Triste, um desembargador com 30 mil livros de Direito se não entende e/ou não cumpre uma regra elementar da Lei Orgânica da Magistratura: "juiz só se manifesta nos autos"? De que serve tanta ostentação de saber jurídico se ela está a serviço da violação da presunção da inocência, do apoio público a indícios sem provas, do uso da mídia pra fazer pressão e induzir o tribunal a uma posição favorável à condenação?

Anônimo disse...

Presidente do TRF diz que sentença de Moro “é irrepreensível”. O recurso não vem ao caso:

FERNANDO BRITO · 06/08/2017 - O Tijolaço

Os três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal não precisam mais examinar os recursos que, esta semana, estão chegando a eles no processo em que Sérgio Moro condenou Lula. Ou melhor, devem ser simples despachantes, verificando apenas a idoneidade das provas, não a sua interpretação.

É que o presidente do Tribunal, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz – descendente de uma família de saber jurídico genético, que habita os tribunais superiores desde o século 19; este Carlos é o neto do neto do “original”, Carlos Thompson Flores, nomeado juiz em 1875, no Império – já decretou, no Estadão de hoje, que a sentença de Moro ” “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

– Gostei. Não vou negar.

O Doutor gostou? Então que se providencie logo a confirmação…

Não tem importância que a Lei Orgânica da Magistratura e seu Código de Ética digam que o magistrado deve “abster-se de emitir opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem, ou juízo depreciativo sobre despachos, votos, sentenças ou acórdãos, de órgãos judiciais, ressalvada a crítica nos autos, doutrinária ou no exercício do magistério”.

Não vem ao caso que Flores presida o Tribunal onde o recurso tramita e, assim, tenha influência sobre os desembargadores que irão apreciá-lo.

Como decidiu a maioria do Tribunal Regional Federal, Moro tem sempre razão e a lei deve ser posta de lado quando se trata de Lula.

Não é preciso nem, decorosamente, esperar o cumprimento das formalidades.

Anônimo disse...

O Desembargador Thompson Flores elogiou a tecnicidade da sentença do Juiz MORO , que outros Juristas já haviam comentado pela mídia . É só .!!! Tia Glória.

Anônimo disse...

Maravilha o trabalho do juiz moro foi irretocavel na condenaçao ha 9 anos do lurapio.... como disse o presidente da 4 regiao....está d acordo tambem com o q dizia o ex ministro falecido paulo brossard do stf q é tido como exemplo e sempre citado ate hoje pelos magistrados

Anônimo disse...

Olha o pelego pago la em cima vomitando asneiras se o magistrado tivesse dito q o teabalho do juiz moro nao ta bom ele estaria elogiando mas como ele disse que vai entrar pra hitoris pois é irretoxavel ele ja vem atacando... olhe mortadela este juiz q falou nao vai julgar o luladrao que é re u 6 x e condenado ele apenas disse q o trabalho é irretocavel isto é perfeitamente normal e aceito entao va estudar ao inves d dar pitaco ...o lula ja deveria estar preso ha mais d 1 ano ele e dilma obstruiram a justiça mas janot e stf livraram eles da jaula- ta bom ou quer q eu escreva mais....fale ai do$ assassinato$ dos 2 prefeitos do pt em 4 meses celso saniel d santo andre e toninho d campinas mais as 7 testemunas do assassinato d celso daniel sim 7 testemunhas todos mortos inclusive o medico legista fale ai quem mandou matar pois ate hoje nao se sabe

Anônimo disse...

CHEFE DO TRF SE IMPEDIU DE ATUAR NO CASO LULA:

Ao se declarar feliz com a sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão (saiba mais aqui), mesmo reconhecendo que ele não é dono do triplex do Guarujá (SP), o presidente do Tribunal Federal Regional da quarta região, Carlos Eduardo Thompson Flores, se mostrou impedido de atuar no caso; embora não seja um dos desembargadores da turma que atuaria no processo, ele poderia vir a ser chamado a resolver eventuais impasses, como demonstrou o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins; ao se colocar na torcida, ele não só pressionou os colegas, como também demonstrou não ter imparcialidade para acompanhar o caso; "Todo cidadão tem direito a um julgamento justo, imparcial e independente", lembra Zanin.

6 DE AGOSTO DE 2017

247 – Ao se declarar feliz com a sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão (saiba mais aqui), mesmo reconhecendo que ele não é dono do triplex do Guarujá (SP), o presidente do Tribunal Federal Regional da quarta região, Carlos Eduardo Thompson Flores, se mostrou impedido de atuar no caso.

Embora não seja um dos desembargadores da turma que atuaria no processo, ele poderia vir a ser chamado a resolver eventuais impasses, como demonstrou o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.

"Todo cidadão tem direito a um julgamento justo, imparcial e independente", lembra Zanin.

Ao se colocar na torcida, ele não só pressionou os colegas, como também demonstrou não ter imparcialidade para acompanhar o caso. (...)

PS: Caso tenha que decidir algum Recurso da Defesa e não se der por impedido, cabe Recurso para o STJ e STF, ai ele dança porque os Tribunais superiores não perdoam. Falou demais o juiz.

Anônimo disse...

E então??? Estão esperando o que para prender o Lula???? Prendam esse criminoso, já condenado por sinal!!! Prendam logo!!!!