PGR pede de novo a prisão do senador Aécio Neves

Aécio jantou,domingo, com o presidente Temer, e está em plena articulação política.

 A Procuradoria-Geral da República pediu de novo a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG). A PGR pretende anular decisão anterior do ministro Marco Aurélio, que negou outro pedido de prisão e determinou o retorno do parlamentar, no mês passado, às atividades no Senado.

É o terceiro pedido sucessivo feito pela procuradoria para prender o senador.

Janot pede que, caso a decisão não seja reconsiderada, o Supremo aplique outras medidas alternativas à prisão; entre estas, estariam: proibição de contato de qualquer espécie, inclusive por meios remotos, com qualquer investigado ou réu na "Operação Lava Jato" ou em algum dos seus desmembramentos; proibição de ingresso em quaisquer repartições públicas, em especial o Congresso Nacional, salvo como usuário de serviço certo e determinado ou para o exercício de direito individual desde que comunicado previamente a essa Corte; proibição de deixar o país e obrigação de entregar os passaportes.

7 comentários:

Anônimo disse...

Jantar com o presidente e crime? Janot libera os Batistas que cometeram 245 crimes, não investiga os crimes de Dilma e persegue os opositores do PT, será que estamos na Venezuela.

Anônimo disse...

E um senador pedir dois milhões escondido a um criminoso (245 crimes) na maior intimidade é normal?

Anônimo disse...

Aécio é PSDB, não tem com o que se preocupar...

Anônimo disse...

Anônimo das 08:09
De acordo com seu raciocínio, matar 2 pessoas não é tão ruim quanto alguém que mata 500 portanto, considerando os 500 o que matou 2 pode ser solto.
Bandido predileto?
Me poupe.

Anônimo disse...

Puta que pariu...pensei que só Mortadelas fossem idiotizados.

Anônimo disse...

JANOT: AÉCIO SOLTO É PRIVILÉGIO ANTIRREPUBLICANO:

O terceiro pedido de prisão formulado pelo procurador-geral Rodrigo Janot contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil e acabou flagrado num esquema de R$ 2 milhões em propinas, toca num ponto relevante; segundo Janot, quando determinados personagens são colocados acima da lei, como se fossem intocáveis, evoca-se a ideia de um "privilégio antirrepublicano"; indiferente às denúncias, Aécio abriu uma crise no PSDB ao retomar o comando do partido para determinar que os tucanos fechem de vez com o golpe de Michel Temer; tanto ele como Temer estão entre os três políticos mais repudiados do País, com rejeições de 90% e 94%, fazendo companhia a Eduardo Cunha; leia a íntegra do pedido de Janot.

1 DE AGOSTO DE 2017

247 – O terceiro pedido de prisão formulado pelo procurador-geral Rodrigo Janot contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil e acabou flagrado num esquema de R$ 2 milhões em propinas, toca num ponto relevante.

Segundo Janot, quando determinados personagens são colocados acima da lei, como se fossem intocáveis, evoca-se a ideia de um "privilégio antirrepublicano".

Indiferente às denúncias, Aécio abriu uma crise no PSDB ao retomar o comando do partido para determinar que os tucanos fechem de vez com o golpe de Michel Temer (saiba mais aqui).

Tanto ele como Temer estão entre os três políticos mais repudiados do País, com rejeições de 90% e 94%, fazendo companhia a Eduardo Cunha (leia aqui). (...)

PS: Esse pode pedir música no Fantástico é tri denunciado. Mas.... é "inimputável", portanto não pode ser processado e nem condenado, como todo tucano.

Anônimo disse...

Anônimo 10:13, temos que investigar todos com o mesmo rigor, vejo diferença entre matar dois ou 500 pessoas, ou seja duplo homicídio ou genocídio. Janot perdou o genocida amigo e persegue o homicida, se provado os dois devem ser apenados. A falta de cumprimento das leis por parte do MPF vai reconduzir Lula ao poder, seremos uma nova Venezuela.