Sogro da filha de Fachin é chefe de uma das empresas da JBS

O sogro da filha do ministro do STF Edson Fachin é chefe em uma das empresas da família do empresário Joesley Batista, levantou reportagem da Folha de S. Paulo. O acordo de colaboração premiada de Joesley foi homologado no Supremo pelo magistrado.

De acordo com o jornal paulista, Marcos Gonçalves é pai de Marcos Alberto Rocha Gonçalves, casado com uma das filhas do ministro e sócio fundador do escritório Fachin Advogados e Associados, do qual o ministro se afastou ao assumir o cargo no STF.

Marcos Gonçalves trabalhou por 16 anos para o grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley, e agora seria chefe de compra de gado do Mataboi Alimentos, frigorífico administrado por José Batista Júnior, o mais velho dos irmãos Batista. Este foi presidente da JBS entre 1980 e 2005, se candidatou ao governo de Goiás e passou a integrar o Conselho de Administração.

18 comentários:

Anônimo disse...

O Ministro FACHIN ,do STF, por essas razões, deveria ter-se declarado impedido para julgar ações da JBS. Ao invés disto, homologou a Delação Premiada dos BATISTA em tempo recorde, permitindo que viajassem para os EUA impunes e imunes . Fica mal para a sua biografia e para o STF .!!! Tia Glória .

jose alberto disse...

A ' coisa ' está clareando .
Para derrubar o Temer está valendo tudo, canalhas da justiça juntamente com a Rede Globo e o PT !!!

Acorda Brasil !!!

Anônimo disse...

O golpe de maio da JBS, Globo, Janor e Faquim descarrilhou o trem da retomada economica....A minha empresa que tinha vinte contratou em Abril mais cinco funcionários e agora em Agosto vou demitir quinze funcionários....e coloquem na conta desses FDPs que acabaram com o pais....Com o judiciario politizado e controlados por militantes politicos os brasileiros vão conhecer as maiores profundezas do inferno....Se não pararem pelas armas o judiciario politizado, vamos ficar pior que a Síria....fiquem atentos...

Anônimo disse...

O brasil deveria mudar de nome e passar a se chamar Republica da Corrupção do Brasil, Está tudo dominado. Corruptos todos. E daqui a pouco o Rodrigo Maia será o presidente do brasil... Que vergonha.

Anônimo disse...

POLIBIO QUEM MONTOU A CONCENTRAÇÃO DE FRIGORIFICOS NAS MÃOS JBF....


VINICIO PRATINI DE MORAES-- GAUCHO SAFONEIRO EX-MINISTRO, QUANTO GANHOU PARA DESMONTAR OS PRODUTORES DE CARNE ???????

Anônimo disse...

Resumindo toda famiglia Fachin é rica e feliz.
E o povo que se ... FERRE.

Unknown disse...

Dizem que o cunhado do genro do filho do primo do tio do sobrinho do... vão catar coquinho!!!

Anônimo disse...

a alta esfera federal do Bananistão é uma delicia...

todos se conhecem e nunca ha crise...

sempre ha emprego para todos...

Anônimo disse...

A Globo é refen da chantagem do Palocci e do PT.

Pelo que resta de Brasil disse...

Fechem o STF!

Anônimo disse...

NA minha CASA não entra mais produtos da JBS e também nada de GLOBO na TV.

NÃO COMPRO PRODUTOS DE CRIMINOSOS E NEM ME SUBMETO A GOLPISTA DA GRANDE MIDIA!

Anônimo disse...

É terrível isso tudo. É exatamente essa gente que quer derrubar um presidente da república para atender interesses próprios, cada dia mais evidente. Espero que a Câmara seja brava e resiste ao golpismo barato e reheitem a Denúncia mequetrefe recheada de ILAÇÕES contra a presidência.

Anônimo disse...

Vdd. Dias sombrios virao.

Anônimo disse...

Cada dia q passa me convenco q o acidente q matou Zavascki e a vontade do Fachin em assumir a lavajato, nao foram por acaso.

Anônimo disse...

So um Trump para salvar o Brasil dos esquerdopatas.

Anônimo disse...

Que venham as armas...

Anônimo disse...

Lava Jato fracassou no combate à corrupção e criou algo parecido com uma seita:

Joaquim de Carvalho - 7 de julho de 2017 - DCM

Procuradores fazendo a obra das 10 medidas: como os 10 mandamentos.
Uma leitura da postagem mais recente do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima dá a exata medida do tipo de seguidor que a chamada República de Curitiba criou, com a Operação Lava Jato.

São pessoas que parecem sinceras na crença de que os procuradores de Curitiba estavam passando o Brasil a limpo e não, como está evidente, encetando uma perseguição que resultou na queda de um governo democraticamente eleito.

Agora que o serviço está feito, foram descartados, e a Lava Jato desfeita como força tarefa, como explicou o delegado Igor Romário de Paula, coordenador da Lava Jato e um militante antipetista nas redes sociais, um revoltado online.

São manifestações que parecem extraídas de uma seita. Um seguidor escreveu, em letras maiúsculas: “NÃO DESISTAM… PELO AMOR DE DEUS…”

Em outro comentário, ele postou um versículo bíblico:
“Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenham uma vida tranquila e sossegada, em toda piedade e honestidade”(1 Timóteo 2:1-6).

Uma seguidora acrescentou: “Mateus 5”.
Este mesmo seguidor saiu na defesa enfática do procurador, quando uma voz dissonante perguntou a Carlos Fernando o que ele está fazendo em Berlim, na Alemanha, onde fez a postagem:
“Passeando em Berlim? Quem esta pagando? Enquanto isso quem esta trabalhando na lava jato? Menos holofotes e mais provas.”

Contrariado, o seguidor fez questão de responder:
“Sai fora, invejoso… Ele não trabalha de graça, gasta o dinheiro do jeito que quiser. Tenho uma preguiça de gente que vive às custas dos outros, e quer generalizar.”

A mulher que citou Mateus 5 entrou na conversa: “Está de férias…. 3 anos… Menos, amigo, menos…. Quem paga é ele mesmo.” . “Estamos orando por você, Carlos…”, garantiu outro internauta.

Alguns perguntaram se havia algum grupo organizando manifestação. E outros pregaram a necessidade de uma revolta armada:
“Resta somente, e infelizmente, o poder armado para frear essa organização criminosa. Não vejo outra opção, infelizmente. O povo virou refém dessa quadrilha.” (...)

Mas, à medida que avançou, ficou claro que a chamada República de Curitiba tinha um objetivo definido: destruir o PT e influir no jogo eleitoral. A corrupção era pretexto.

As descobertas referentes a adversários políticos do PT foram ignoradas, ao mesmo tempo em que se criava a imagem de que Lula era o chefe da quadrilha e precisava ser preso.

A República de Curitiba entregou a parte da sociedade brasileira não o combate efetivo à corrupção, mas argumentos para o discurso de ódio.

Quando saiu do controle do juiz Sérgio Moro e dos procuradores de Curitiba, a Lava Jato chegou ao coração do sistema corrupto e encontrou aqueles que conspiraram para derrubar a presidente Dilma Rousseff.

Os seguidores dos procuradores de Curitiba acham que o fim da Lava Jato é obra exclusiva de Michel Temer e seus cúmplices.

Não é. A decisão foi compartilhada.

O delegado Igor de Paula, que anunciou o fim da operação que ele coordenava, é um braço operacional de Sérgio Moro há muito tempo.

Quando as primeiras investigações relacionadas ao tema tiveram início, meados da década passada, eles já trabalhavam juntos.

Igor pedia autorização para grampear empresas e até advogados, e Moro deferia tudo, às vezes contrariado até o Ministério Público Federal, numa época em que Deltan Dallagnol ainda não estava lá.

Eles não dizem, mas certamente acham que, destruindo o ninho, matam a serpente. Agora é tarde.

A Lava Jato já feriu Temer e Aécio. Rodrigo Maia, o Botafogo, não está livre. E tudo isso estava fora do roteiro.

O que sobrou em Curitiba é um pequeno grupo de procuradores que parecem acreditar que estavam mesmo em um trabalho messiânico e que continuam alimentando seus seguidores.

Anônimo disse...

O golpista do golpista: Maia, o meninão de Temer, apunhala o chefe em praça pública:

Kiko Nogueira - 7 de julho de 2017 - DCM

Quis o destino que Michel Temer tivesse uma morte política horrível, proporcional a seu nanismo moral, compatível com sua traição à democracia.

Rodrigo Maia, seu fiel escudeiro até ontem, é o golpista do golpista.

A declaração peremptória de Tasso Jereissati na quinta, dia 6, foi combinada com Maia, relata Lauro Jardim no Globo.

O DEM, segundo Lauro, “não quer em momento algum aparecer publicamente como autor de movimentos para derrubar Temer” — como se isso fosse possível.

“Se vier essa delação (de Eduardo Cunha) não sei nem quem vai ser citado, quem não vai ser, mas vai ser um semestre terrível para nós”, disse o tucano. “Está na hora de buscar alguma estabilidade”.

“Se vier um afastamento pela Câmara, ele (Maia) é presidente por seis meses. Se Temer renunciasse já seria diferente, mas, se passar a licença para a denúncia, aí ele é presidente por seis meses e tem condições de fazer, até pelo cargo que possui na Câmara, de juntar os partidos ao redor com um mínimo de estabilidade para o país”.

Caminhamos para a “ingovernabilidade”.

Temer conseguiu ressuscitar o DEM, um partido de nome fantasia, versão mais meia boca do velho PFL, e será trocado por uma miniatura que promete ao “mercado” fazer o que painho não fez.

Em maio, o presidente da Câmara já tinha colocado a cabeça para fora.

Depois dos protestos que resultaram em quebra quebra em Brasília, Maia cobrou que o chefe “repusesse a verdade” com relação à convocação das Forças Armadas.

Assim foi feito.

Na ocasião, lembrei de Nero, o imperador romano que, segundo a tradição, tocou fogo em Roma e tocou harpa enquanto via as labaredas arderem.

O historiador Suetônio conta que ele foi declarado, quando perdeu seu reinado de terror, inimigo público.

Passou a ser perseguido pela guarda pretoriana, que teve a seu lado até virar um pária.

Fugiu de Roma pela Via Salária com seu secretário Epafrodito. Ao ver um soldado romano se aproximando, Epafrodito não titubeou: ao invés de proteger Nero, o apunhalou nas costas.

As últimas palavras de Nero são famosas: “Que grande artista morre comigo”.

Temer vem falando suas últimas palavras, todas de uma boçalidade impressionante, a longo desses dias (“Crise econômica não existe”, afirmou em seu passeio solitário no G-20 na Alemanha).

PS: A que ponto chegamos. Ressuscitaram o DEM de ACM, ACM Neto e Maia: o atraso do atraso. Nessa altura já estão fazendo mil vigarices contra o traíra que traiu o ilegitimo. Tudo farinha do mesmo saco.