Sem dinheiro, governo adia reajuste do Bolsa Família

O Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pelo pagamento do benefício, informou que o Bolsa Família não será reajustado em julho, como estava previsto. Originalmente, a ideia era dar aumento de 4,6% no benefício, acima da inflação oficial acumulada em 3,6% nos últimos 12 meses.

O governo alega escassez de recursos. A média do Bolsa Família é de R$ 182 por família.

Em maio, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra chegou a informaro  que o programa contava com orçamento de R$ 30 bilhões e que a cifra já previa o dinheiro para bancar o reajuste, mas isto não se confirmou.

8 comentários:

Marco Belotto disse...

Para quem trabalhou, contribuiu para gerar riqueza, pagou previdência, o reajuste dos aposentados é apenas a inflação. Já para os que nada produzem e vivem às custas dos trabalhadores os aumentos são acima da inflação. Somente com muitos princípios para não cair na gandaia numa terra de espertalhões e vagabundos com nosso infeliz Brasil.

Anônimo disse...

Obvio que ia sobrar para os descamizados.

Anônimo disse...

Dê emprego, escola, saúde e segurança que esmolas não lhes farão falta. Simples. Ensina-lhes a trabalhar que o resto eles conseguem. Assim como os trabalhadores que com o seu suor sustentam o bolsa votos, os políticos, STF, PGR etc de Brasília.

Anônimo disse...

Tragam o dinheiro que saquearam do BNDES para o Joesley & Wesley de volta para o Brasil que não faltará para mais nada. Perdemos a conta de quanto dinheiro foi desviado para fora do Brasil. Vergonhoso

Anônimo disse...

Onde está todo o dinheiro recolhido através de pesados impostos que o brasileiro é obrigado a pagar? Saquearam tudo?

Anônimo disse...

Excelente notícia!
Torço para que não consigam encontrar recursos com o meu, o seu, o nosso dinheiro.
Que arrumem uma MP para acabar com esses malandros que só fazem filhos e jogam-nos para que a "sociedade" trate de criá-los.
Meus pais eram pessoas humildes, dignas e, mais importante, trabalhadoras. Educaram quatro filhos com inúmeros sacrifícios, dinheiro contado, recontado e esticado para que não faltasse alimento, roupa, remédio, luz, água, transporte, colégio para mim e meus três irmãos.
Agora temos essa boquinha de bolsa-família, há mais de 20 anos, e muito malandro que se autointitula "pobre" encontrou uma saída para continuar "pobre".
Vão se catar! Com o meu imposto, NÃO!

Anônimo disse...

E porque anunciou?????????????????
É trapalhada em cima de trapalhada.
Verdadeiros trapalhões......

Anônimo disse...

Bolsa-curral eleitoral!