Rosa Weber é a nova relatora de inquérito contra Padilha e Marco Maia no STF

A redistribuição atendeu a pedido de defesa do ministro da Casa Civil. Maia e Padilha não quiseram saber de Edson Fachin como relator.

Além de Padilha e Maia, são investigados o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo e os ex-presidentes da estatal Trensurb Marco Arildo Prates da Cunha e Humberto Kasper. Os delatores Benedicto Junior e Valter Lana, ex-dirigentes da Odebrecht, narraram o repasse de propina aos investigados, identificados por apelidos. Padilha teria recebido R$ 1,49 milhão (Bicuíra), Maia R$ 734,7 (Aliado), Bernardo R$ 934,5 mil (Filósofo), Marco Arildo R$ 260,3 mil (Sucessor) e Kasper R$ 38,7 mil (Jornalista). Os cinco rebatem as suspeitas.

4 comentários:

Anônimo disse...

Fora o resto que devem ter recebido e ainda não foi investigado.

Anônimo disse...

PODE SER QUE ELA FAÇA UM TRABALHO HONESTO, MAS VAMOS ESPERAR.
PORQUE A MAIORIA DOS MEMBROS DO STF E STE SÃO A FAVOR DA SOLTURA DE POLÍTICOS CRIMINOSOS, PARA FICAR TUDO COMO ESTÁ.
É A MONARQUIA ABSOLUTISTA DOS TRÊS PODERES, CONTRA O POVO BRASILEIRO.

Anônimo disse...

ESTE STF E O STE RASGAM A CONSTITUIÇÃO TODA A HORA.
AS SUPREMAS CORTES DEVEM SER FORMADAS POR JUÍZES FEDERAIS SEM A INTERVENÇÃO DOS OUTROS PODERES, SENÃO FORMARÃO SEMPRE QUADRILHAS.

Anônimo disse...

Te cuida Padilha......