Na Azul, uma complexa dança das cadeiras

Nesta reportagem para o site e newsletter Brazil Journal, hoje, a jornalista Mariana Barbosa, conta que numa das trocas de CEO mais mal comunicadas da história recente, a Azul mudou as atribuições de seu fundador, David Neeleman (foto ao lado) mandou seu CEO para Portugal e promoveu dois veteranos que estão na companhia desde sua fundação.

Leia tudo para entender melhor o que acontece na Azul:

Como a lei que limita a participação do capital estrangeiro nas aéreas ainda não mudou, a Azul fez as coisas de forma a permitir que John Rodgerson, um cidadão americano, assuma de fato a operação, mas sem ocupar o cargo de Antonoaldo Neves, que deixa a companhia.


Como Rodgerson é americano, o artigo 181 do Código Brasileiro de Aeronáutica impede que ele assuma o cargo de Antonoaldo, de CEO da Azul Linhas Aéreas, a detentora da concessão. O inciso III do artigo 181 diz que a concessão somente será dada à pessoa jurídica que tiver "direção confiada exclusivamente a brasileiros."

CLIQUE AQUI para ler tudo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Coisa de Republica das Bananas, por isso esse lugarejo nao vai sair do fundo do buraco.

Anônimo disse...

É...SE FOR PELA VONTADE DA POLITICADA DESTA MERDA...O LUGAR DE PREFERÊNCIA DEVE SER OCUPADO POR ALGUEM INDICADO PELO GOVERNO.