Mercosul + Chile, Colômbia, Guiana e México pedem restabelecimento da democracia na Venezuela

O bloco Mercosul pediu nesta sexta-feira à Venezuela o restabelecimento da ordem institucional e que o governo de Nicolás Maduro e a oposição iniciem um diálogo que permita um "arranjo político crível".

O comunicado conjunto foi emitido pelos Estados-membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) bem como Chile, Colômbia, Guiana e México, que se reuniram na cúpula de chefes de Estado na cidade argentina de Mendoza. Na nota, os países reiteram sua "profunda preocupação com o agravamento da crise política, social e humanitária" na Venezuela.

Além disso, o texto faz "um apelo urgente pelo fim da violência e pela libertação de todos os detidos por razões políticas".

Os países signatários da declaração exigem o restabelecimento "da ordem institucional, a vigência do Estado de direito e a separação de poderes, dentro do pleno respeito às garantias constitucionais e aos direitos humanos".


A declaração não foi assinada por alguns dos países que participaram da cúpula, como Bolívia, Equador e Suriname.