Janot pede inquérito contra Serra. Decisão caberá ao STF.

A Procuradoria-Geral da República pediu a abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o senador José Serra (PSDB-SP) sob a suspeita de que ele teria recebido dinheiro sujo na campanha eleitoral à Presidência da República em 2010. O caso tem a ver com a delação de Batista, um dos donos da JBS.  Joesley contou em depoimento que Serra teria lhe procurado, na sede do grupo empresarial JBS, em São Paulo, para pedir financiamento para a disputa eleitoral presidencial de 2010. O delator disse que passou R$ 7 milhões não contabilizados, e outros R$ 13 milhões oficialmente declarados - totalizando R$ 20 milhões para a campanha presidencial.

Serra pode pegar até 5 anos de prisão.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do senador negou as acusações.

10 comentários:

Anônimo disse...

Escolheu a melhor foto do arquivo? ta virando algo do tipo antagonista.

Gilson Carvalho de Oliveira disse...

Cadê o processo contra o lulla? No PT as flechas não acertam?

Anônimo disse...

Como o contador da JBS fechava o balanço com tanto pagamento por fora?

A PF e RF tem que conversar com este contador sobre os artifícios para legalizar os crimes confessados pelos Fiboys.

A Auditoria que assinou balanço não percebeu nada de errado?

A CVM não vai mandar refazer o balanço como a Petrobras foi obrigada a fazer???

Anônimo disse...

Mas como pra petista delação não vale...

Anônimo disse...

O lula é com o moro, não tem foro privilegiado.

Anônimo disse...

Durante os 13 anos do PT o gordao seboso, double de Jo Soares, nada fez. Agora imbui-se de uma sanha moralizadora.

Em resumo, seu Janot petista, vai pra Cuba. Ao menos la suas camadas adiposas serao derretidas, pois nao ha o que comer.

Anônimo disse...

não vai dar em nada....tucano preso só no zoo.....no stfzinho tudo dominado com gilmar e careca...

Anônimo disse...

cREDO! o sERRA ESTÁ COM CARA DE QUEM ESTÁ MORRENDO.
Esther

Ricardo A. N. Dornelles disse...

Os militares sabiam de tudo e tinham toda a razão até o menos daninho e pernicioso dos "exilados" - o Serra - não passa de um "amigo-do-alheio"!

Anônimo disse...

José Serra usou empresa de família ligada à Globo para receber caixa 2 da JBS:

06/07/2017 - Cíntia Alves

A LRC - da mesma família que detém a EPTV, afiliada da Globo no interior de São Paulo - recebeu R$ 6 milhões da JBS em 2010, após pedido de Serra. Além disso, outros R$ 420 mil teriam sido pagos ao tucano por meio da APPM Análises e Pesquisas, de Paeco e Lavareda.

Jornal GGN - Uma empresa da família Coutinho Nogueira - dona da EPTV, afiliada na Rede Globo no interior de São Paulo - foi usada por José Serra (PSDB) para receber R$ 6 milhões da JBS via caixa 2, na disputa eleitoral de 2010, aponta o Ministério Público Federal.

O nome da empresa e a sugestão para que seus responsáveis sejam interrogados consta no pedido de abertura de inquérito contra Serra, que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal na quarta (5).

Alguns jornais da grande mídia divulgaram o nome empresa, a LRC Eventos e Promoções, mas omitiram a relação de seus donos com a Rede Globo.

De acordo com a delação da JBS, Serra pediu "pessoalmente" a Joesley Batista uma contribuição eleitoral em 2010. A doação de quase R$ 20 milhões foi distribuída assim: R$ 13 milhões foram repassados regularmente, com registro na Justiça Eleitoral; R$ 6 milhões foram pagos por meio da LRC e outros R$ 420 mil, transferidos à APPM Análises e Pesquisas.

À PGR, Joesley afirmou que houve "emissão de nota fiscal da LRC Eventos e Promoções para simular a aquisição de um camarote na Fórmula 1".

Em maio, Época Negócios publicou a seguinte fala do delator: "Eles deram nota de patrocínio de um camarote de um autódromo de Fórmula 1, como se nós tivéssemos comprado um camarote de Fórmula 1. E teve realmente esse camarote. Teve realmente essa corrida de Fórmula 1. Só não podia custar R$ 6 milhões. Aí nós compramos esse negócio lá por R$ 6 milhões."

A revista também apontou que a LRC é "empresa de um amigo de infância de Serra."

Há anos, a LRC vende oficialmente ingressos e translado aéreo do GP Brasil de Fórmula 1.

Hoje ela tem entre seus sócios administradores Fernanda e Roberto Coutinho Nogueira, filhos de Luís Roberto Coutinho Nogueira, morto em 2014.

O pai de Luís Roberto é José Bonifácio Coutinho Nogueira, ex-secretário de Agricultura e Educação de São Paulo e fundador do grupo EPTV. Ele também foi o primeiro presidente da Fundação Padre Anchieta e dirigiu a TV Cultura.

Atualmente, o Grupo EPTV, com quase 40 anos, é dirigido por Antonio Carlos Coutinho Nogueira e José Bonifácio Coutinho Nogueira Filhos, tios dos donos da LRC.

Em 2010, ao lado de Antonio e José Bonifácio Filho, Serra prestigiou o lançamento da TV Digital em Ribeirão Preto. Em 2012, a família Coutinho Nogueira virou sócia da família ACM, ao comprar um terço da TV Bahia.(...)

PS: Serre e Rede Globo, tudo a ver.