Governo Sartori lançará, amanhã, novo programa de incentivo às PCHs

Será realizado nesta quinta-feira, 10h,  no Palácio Piratini, o lançamento do Programa Gaúcho de Incentivo às Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs e do 2º Seminário – O Potencial das Centrais Hidrelétricas na Matriz Energética da Região Sul - “Novas Diretrizes Hidrológicas para o Licenciamento Ambiental”. Na oportunidade, também ocorrerá a entrega dos 86 “status” de projetos de PCHs com viabilidade de licenciamento ambiental aos investidores. O investimento previsto nos 86 projetos é de cerca de R$ 3,0 bilhões, com a consequente geração de 45 mil empregos.

A programação
          
- 13h, terão início no auditório do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) – Rua Uruguai 155 – 14º andar os trabalhos do seminário com exposição do superintendente de Concessões e Autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Hélvio Neves Guerra, seguindo-se apresentação do diretor de Desenvolvimento Econômico da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina, Antônio Ricardo Machado Slosaski.

-  14h30min, haverá a apresentação pela equipe da Fepam das novas diretrizes de licenciamento ambiental para o setor de Geração Hídrica, Nova Portaria e Tabela de Preços.

- 16h será feita apresentação da política e ações do BRDE para fomento e incentivo ao desenvolvimento do setor no RS.

4 comentários:

Anônimo disse...

Com eleições a caminho, tudo é válido.

Anônimo disse...

E A ENERGIA FOTOVOLTAICA?

Justiniano disse...

A energia fotovoltaica é muito cara e precisa grandes áreas. Uma que tem na Califórnia tem a mesma área igual a muitos lagos de hidroelétricas e produz um terço das mesmas.

Tem muitos mananciais hídricos no RS, mas todos abastecido pelas condições pluviométricas, porque esse negócio de aquífero guarani é uma tremenda farsa, porque basta reduzir as chuvas que logo secam.

Em Lucas do Rio Verde, o rio Verde fica seis meses sem chover e baixa somente 50 cm, ou seja tem um aquífero (que não é o guarani) que continua a fornecer água ao rio, fosse aqui estavam todos rios secos.

Anônimo disse...

Poderia haver também um incentivo a geração de energia fotovoltaica em nível residencial, as chamadas micro usinas.