Governo deve arrecadar R$ 11 bi com alta de imposto sobre gasolina e diesel

O aumento de PIS/Cofins sobre gasolina e diesel deve garantir cerca de R$ 11 bilhões ao caixa do governo em 2017, segundo apurou o Estadão/Broadcast. O governo ainda está fazendo as contas para apresentar o relatório bimestral de receitas e despesas do Orçamento.

Segundo apurou a reportagem, não está descartada até o momento a possibilidade de um novo corte no Orçamento. É isso que o governo está tentando evitar no desenho que está feito para o envio do documento ao Congresso Nacional.


Para cumprir a meta fiscal de déficit de R$ 139 bilhões, o governo já bloqueou parte do Orçamento, o que provocou reclamações de vários órgãos e ministérios com a justificativa de que a restrição orçamentária está afetando os serviços públicos.

10 comentários:

Anônimo disse...

Mas os gafanhotos e as formigas sauvas já estão de olho para corroer a lavoura.

Anônimo disse...

Não vejo Marcel Van Hatten e outros "lutadores" de direita, reclamando do aumento de impostos, por que será?

Anônimo disse...

SEMPRE essa: aumento de impostos. Revoltante. Pra que um governo que gasta tanto?

Anônimo disse...

Dos 11 vão roubar 3!

Bando de corruptos, uma crise do cão, criada por políticos corruPTos e continuam aumentando impostos.

Deveriam diminuir o número de políticos, cassando ou caçando-os! A segunda opção é definitiva!

Anônimo disse...

cade o pato amarelo da fiesp??? cade os coxinhas??? cade a anaamelialemos que era totalmente contra aumento dos impostos.....lacaiedos.

Anônimo disse...

HÁ UM ANO, MAIA DIZIA QUE 'NÃO HAVIA ESPAÇO' PARA AUMENTAR IMPOSTOS:

REUTERS/Ueslei Marcelino
Em entrevista concedida em agosto de 2016, pouco depois do impeachment de Dilma Rousseff, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou qualquer possibilidade de o Congresso aprovar elevação de tributos por considerar que a sociedade não tem condição de pagar mais impostos; agora, porém, o deputado disse que não irá colocar objeções a um possível aumento de impostos para alcançar a meta fiscal.

20 DE JULHO DE 2017

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mudou radicalmente seu discurso em relação ao aumento de impostos em um ano.

Em entrevista concedida em agosto de 2016 ao jornal Valor Econômico, pouco depois do impeachment de Dilma Rousseff, o deputado descartou qualquer possibilidade de o Congresso aprovar elevação de tributos por considerar que a sociedade não tem condição de pagar mais impostos.

Agora, porém, Maia diz que não irá colocar objeções a um possível aumento de impostos para alcançar a meta fiscal. "É a única alternativa", disse em entrevista nesta quinta ao Estado de S.Paulo (aqui).

"Consultei vários economistas e ninguém me deu outra solução. "Não sou favorável à alta de impostos. Mas consultei vários economistas e ninguém me deu outra solução. Se não aprovar o que tem de ser aprovado, não há outro caminho que não seja aumento de imposto", afirmou.

"Tudo que o governo propôs os economistas que entendem de contas públicas propuseram. O governo foi até o limite, agora tem de ver se vai aprovar ou não", acrescentou.

PS: A casa grande não perdoa, para sair do "defict" eles aumentam os impostos e não estão nem aí para a classe mierda, trabalhadores e pobres.

Anônimo disse...

FICO FELIZ QUE TENHAM ENCONTRADO UM AUMENTO DE IMPOSTO PARA PASSAR PARA O POVO.
JÁ ESTAVA PREOCUPADO EM MANTER MEU ESPIRITO PATRIOTA, MAS AGORA COM ESTE AUMENTO DE IMPOSTO POSSO VOLTAR A SER PATRIOTA.

Anônimo disse...


Que esquisito este Brasil!
O governo aumenta impostos e as entidades patronais silenciam, ou seja, concordam.

Anônimo disse...

Claro! Vai saquear o povo novamente. E o nosso salário cada vez mais carcomido, minguado.

N e s t o r disse...

Suas vadias Francesas!
E agora?