Do PT ao PSOL, esquerda do Brasil poupa Maduro de críticas e apoia Constituinte

Reprimida e contabilizando 100 mortos nas suas fileiras, todos assassinados pelos esbirros de Maduro, a oposição não reconhece o governo bolivariano.

Apesar da escalada da violência em Caracas, partidos defendem que nova Carta é "via democrática"
Manifesto de intelectuais de esquerda inclui brasileiros e critica "cegueira ideológica" de apoiadores, conta a repórter Marina Rossi na edição brasileira do espanhol ElPaís.

Leia tudo:

Enquanto a Venezuela vive uma escalada das tensões sociais que já ultrapassa 100 dias, parte consistente da esquerda brasileira poupa o presidente Nicolás Maduro das críticas e apoia a controversa eleição para integrantes de Assembleia Nacional Constituinte, convocada para este domingo. Representantes e lideranças de diferentes partidos ouvidos por EL PAÍS e um especialista em relações internacionais apresentaram se alinham ao Governo chavista. Os que aceitaram falar com a reportagem – alguns preferiram se omitir sobre o tema – defendem o bolivarianismo, evitam criticar Maduro e acham pertinente a convocação da Constituinte agora, como uma tentativa de se restabelecer a ordem.

Embora defendam a convocação das eleições como uma “via democrática” para a remediação da crise, ninguém se aprofundou nas opiniões sobre a Constituinte em si. 

CLIQUE AQUI para ler mais.

20 comentários:

Alberto disse...

Todos "farinhas do mesmo saco"!

Anônimo disse...

É uma gente sem cultura, sem humanidade e sem noção. Esquerdopatia não tem cura, felizmente derrotamos essa linha de pensamento obscuro e corrupto que queria implantar uma ditadura comunista vermelha bolivariana no Brasil, com o Estado atrelado a megas empresários para explorar e escravizar o povo.

Anônimo disse...

É uma gente sem cultura, sem humanidade e sem noção. Esquerdopatia não tem cura, felizmente derrotamos essa linha de pensamento obscuro e corrupto que queria implantar uma ditadura comunista vermelha bolivariana no Brasil, com o Estado atrelado a megas empresários para explorar e escravizar o povo.

Anônimo disse...

Nojenta foi a cobertura so Jornal Nacional ontem (29/07) dando cobertura a esta fake constituinte, aliás a GLOBO é especialista em notícias fake.

Anônimo disse...

Nojenta foi a cobertura so Jornal Nacional ontem (29/07) dando cobertura a esta fake constituinte, aliás a GLOBO é especialista em notícias fake.

Anônimo disse...

Que nojo.isso dá asco.

Anônimo disse...

É tudo jogo de cena desta escumalha de esquerda. No fundo, no fundo todos elles apoiam a ditadura bolivariana que destruiu a Venezuela.

Brasileiros - é o que nos espera se este pessoal da esquerda continuar a enganar e voltar ao poder no nosso país. Elles vão destruir completamente o que ainda resta do Brasil.

Para a esquerda do Brasil, se o dilema se apresentar, vejam o que elles escolhem: Brasil X Cuba => Cuba
Brasil X Venezuela => Venezuela
Brasil X China => China
Brasil X Islam => Islam.
Brasil X FSP => FSP

Para esta cambada da esquerda o Brasil sempre ficará debaixo e submisso a essas ditaduras.

sempre mais disse...

E não poderia ser diferente. PT
PSOL,PCdoB,PSB e outros de esquerda são ditadores igual a Maduro. São iguais!

Anônimo disse...

O que está para acontecer na Venezuela é o sonho da esquerda vagabunda do Brasil. Lá está acontecendo o que eles queriam para cá. O sonho desta gentalha é o Lula na mesma posição..metendo a mão nas riquezas...e este Monte de Excrementos ganhando sem trabalhar.

Anônimo disse...

GASPARI: CONSULTORIA DE MEIRELLES É DEZ VEZES MAIOR QUE A DE PALOCCI:

Elio Gaspari destaca, em sua coluna desta domingo, o tamanho da consultoria do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; "Entre 2015 e 2016, a empresa de consultoria do ministro Henrique Meirelles faturou R$ 217 milhões, ou cerca de US$ 60 milhões. Em 2011, o mundo veio abaixo quando revelou-se que Antonio Palocci faturara R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria, num só ano", escreve.

30 DE JULHO DE 2017

247 - O volume movimento pela consultoria de Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, é dez vezes maior do que a do ex-ministro Antonio Palocci, destaca Elio Gaspari em sua coluna neste domingo.

"Entre 2015 e 2016, a empresa de consultoria do ministro Henrique Meirelles faturou R$ 217 milhões, ou cerca de US$ 60 milhões.

Em 2011, o mundo veio abaixo quando revelou-se que Antonio Palocci faturara R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria, num só ano.

(...)

Uma das mais famosas firmas de consultoria de grife do mundo, a do ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger, não revela seus números. Em 1986, quando ele ainda estava no auge da forma e da fama, soube-se que ela faturou US$ 5 milhões.

A empresa de Kissinger tem a sua grife, mas nela estiveram craques como Timothy Geithner, o celebrado secretário do Tesouro de Obama durante a crise financeira mundial."

PS: Resumo da Opera: Ministros da Fazenda, porém um faz parte dos 4 Ps (preto, put...pobre e petista) um está preso (Palocci) o outro (meirelles) é do Mercado não tem o nome jogado na merda do ventilador da imprensa marrom glace, não é investigado pelos herois da PF e MPF, muito nenos responde processo.

Anônimo disse...

FOLHA RIFA TEMER E PEDE QUE ELE SEJA INVESTIGADO

Depois de arcar com o ônus de apoiar o golpe que solapou a democracia brasileira e um governo apoiado por apenas 5% dos brasileiros, a Folha de S. Paulo reviu sua posição e pediu neste domingo, num longo editorial, que Michel Temer seja investigado por corrupção, o que levaria ao seu afastamento do cargo; "Deixar de investigar indícios tão fortes de irregularidade seria votar a favor de uma política, um sistema e uma visão de país que não podem continuar a ser o que são. Mudá-los, dentro da democracia, do direito à defesa e do equilíbrio institucional, tem um custo de incertezas e eventuais injustiças. Mas não há como não enfrentá-lo, e já", diz o texto do jornal de Otávio Frias Filho.

30 DE JULHO DE 2017

247 – Depois de arcar com o ônus de apoiar o golpe que solapou a democracia brasileira e um governo apoiado por apenas 5% dos brasileiros, a Folha de S. Paulo reviu sua posição e pediu neste domingo, num longo editorial, que Michel Temer seja investigado por corrupção, o que levaria ao seu afastamento do cargo.

"Deixar de investigar indícios tão fortes de irregularidade seria votar a favor de uma política, um sistema e uma visão de país que não podem continuar a ser o que são. Mudá-los, dentro da democracia, do direito à defesa e do equilíbrio institucional, tem um custo de incertezas e eventuais injustiças. Mas não há como não enfrentá-lo, e já", diz o texto do jornal de Otávio Frias Filho.

Leia, abaixo, a íntegra: A decisão que urge

Experimentando índices elevadíssimos de impopularidade, o presidente Michel Temer (PMDB) se aproxima de mais um difícil teste político-institucional com a votação na Câmara dos Deputados, marcada para esta semana, da denúncia contra ele apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

Os fatos que fundamentam a peça acusatória são, a esta altura, largamente conhecidos.

Numa conversa estranha agenda oficial, em 7 de março, o presidente da República indicou ao empresário Joesley Batista, da JBS, o nome de seu assessor de confiança Rodrigo Rocha Loures como interlocutor nos diversos assuntos e pendências que o grupo empresarial mantinha com o poder público.

Semanas depois, em 28 de abril, flagrou-se Rocha Loures com mala contendo R$ 500 mil, que lhe havia sido entregue por um executivo da JBS. Conforme a denúncia, o próprio Temer seria o destinatário da propina, a caracterizar o crime de corrupção passiva. (...)

Anônimo disse...

A união das esquerdas na América Latina foi costurada no FORO DE SÃO PAULO. Nada a estranhar , portanto, do apoio do PT e outros partidos de esquerda à ditadura de MADURO .!!!

Anônimo disse...

TEMER TORROU R$ 4,1 BI EM EMENDAS PARA SE SAFAR:

Para conseguir o apoio parlamentar necessário para barrar a denúncia de corrupção apresentada por Rodrigo Janot, Michel Temer torrou R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária; Temer montou ainda uma verdadeira maratona de reuniões: recebeu mais de 160 deputados e senadores; o peemedebista, no entanto, não deve ter muito tempo para comemorar; antes de deixar o cargo, Janot apresentará uma nova acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa.

30 DE JULHO DE 2017

247 - Michel Temer tanto manobrou que deve conseguir escapar da primeira denúncia da Procuradoria-Geral da República feita contra ele.

O peemedebista recebeu mais de 160 deputados e senadores, acelerou emendas parlamentares, lançou “pacotes de bondades”, manteve como aliado Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu eventual sucessor, e se beneficiou das “ruas vazias”.

Desde 17 de maio, quando veio à tona o conteúdo da delação premiada do empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, Temer recebeu em seu gabinete no Palácio do Planalto 133 deputados federais e 30 senadores. Após a denúncia chegar à Câmara em 29 de junho, Temer iniciou uma verdadeira “blitze política” para receber deputados e convencê-los a votar contra a abertura de investigação no Supremo Tribunal Federal. Em um único dia, recebeu 30 parlamentares.

O peemedebista atendeu a interesses da base, como a liberação de R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária. A pouco mais de um ano das eleições de 2018, a oferta de recursos para obras em municípios tem como objetivo ajudar deputados e senadores a colher dividendos em suas bases eleitorais.

No entanto, uma nova denúncia contra Temer, com a acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa, deve ser apresentada por Janot, que vai deixar o comando do Ministério Público Federal no dia 17 de setembro. Novas delações também podem voltar a conturbar o ambiente político.

As informações são de reportagem de Isadora Peron e Carla Araújo no Estado de S.Paulo.

PS: Farra do boi?

Anônimo disse...

Todo o povo tem o governo que merece!

Anônimo disse...

Lista de Furnas, usada em processo por Gilmar, é anexo da delação de Valério:

28/07/2017

Jornal GGN - Uma versão da famosa "lista de Furnas" virou um anexo da delação premiada de Marcos Valério junto à Polícia Federal, segundo informa o Painel da Folha desta sexta (28).

O documento já foi descreditado pelo próprio publicitário no passado e usado pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, para processar a CartaCapital. O magistrado arrancou R$ 507 mil da revista em indenização. "Gilmar aparecia no papel como destinatário de R$ 185 mil", comentou a coluna. Ao lado de seu nome, aparecia 'AGU'."

A lista "enumera repasses de propina a dezenas de autoridades. A peça é controversa. Anos atrás, outras versões da planilha foram encontradas com Nilton Monteiro, o estelionatário que fez a chamada 'lista de Furnas'. Na ocasião, o próprio Valério disse que os papéis eram falsos", publicou.

Segundo a coluna, Valério ofereceu a versão da lista na delação que tentou fechar com o Ministério Público de Minas Gerais. Mas a Promotoria rejeitou o acordo com o réu do mensalão, que terá a colaboração analisada pelo Supremo Tribunal Federal, já que cita nomes com foro privilegiado, como Aécio Neves.

Com Gilmar, a controversa consiste no fato de Valério alegar que "elaborou o documento em 1999. Mendes, porém, só foi nomeado advogado-geral da União em janeiro de 2000."

Procurado, o advogado de Gilmar já avisou que se a lista for usada, "tomará novas medidas."

Além do ministro, empresários, políticos e outras autoridades são citadas.

PS: Essa gente não aprende? Delação Premiada só cola se for contra o PT, lula, dilma ou alguém ligado ao PT, a República de Curitiba que o diga.

Anônimo disse...

Cúmplices de bandidos são o que? BANDIDOS, e 2018 está chegando para eliminá-los de vez.

Anônimo disse...

O argumento de Temer:

30.07.17 - O antagonista

Nas conversas com 133 deputados e 30 senadores sobre a denúncia por corrupção passiva, Michel Temer, segundo o Estadão, "usou o argumento de que, se nem mesmo ele está seguro contra o avanço da Operação Lava Jato, imagine como ficaria o destino dos parlamentares que também são alvo de investigações".
É o argumento mais convincente em Brasília.

PS: O traira/PMDB/PSDB não brinca em serviço.

Ultra 8 disse...

A lavagem cerebral do marxismo cultural granscista por aqui,terá absoluto sucesso.

Povo burro,futuro sinistro.

Anônimo disse...

Muito simples!! Vamos aproveitar e mandar essa gentalha toda pra lá.

Anônimo disse...

NO Brasil, o PT comprou todo mundo mas não conseguiu controlar as policias e as forças armadas por mais que estes estejam infestadas de comunistas. A primeira coisa que o Chaves fez foi controlar o exército. Sem armas não existe poder absoluto.