Daniel Martins de Barros, Estadão - O que esperar quando se está envelhecendo

Nós teremos de aprender coisas novas, incluindo outra profissão.

Nas últimas décadas, cada geração que chega à terceira idade é surpreendida de alguma forma. Meu avô se assustou com a longevidade – falecido aos 91 anos, ele não imaginava viver tanto. Quando meus pais se tornaram idosos, já não achavam que iam morrer logo, mas nenhum dos dois antecipou que estaria trocando de emprego depois dos 60 anos. Isso me faz pensar qual será a surpresa que aguarda a próxima geração de idosos.

A pergunta é pertinente – essencial, talvez – porque minha família não é um caso isolado. A tendência é geral. Desde os anos 1960, a expectativa de vida ao nascer do brasileiro aumentou três décadas. Quando meu avô se tornou adulto, em meados do século 20, a expectativa de vida não alcançava os 50 anos; quem passava dos 65 não vislumbrava mais do que uma década à frente. Atualmente a expectativa de vida ao nascer supera os 75 anos, e quem passa dos 65 espera viver mais quase 20 anos. Enquanto geralmente as pessoas são surpreendidas pela morte, essa foi uma geração surpreendida pela vida. E, como não imaginavam viver tanto, muitos não se prepararam para enfrentar os desafios impostos pelo envelhecimento, das doenças às reservas financeiras.


A surpresa da geração seguinte, os atuais idosos, não foi estar vivo, mas estar trabalhando na terceira idade. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

10 comentários:

Anônimo disse...

Esse artigo só pode ter sido encomendado por quem quer acabar com o direito a aposentadoria, ou seja, temer e Meireles.

Anônimo disse...

A CORRUPÇÃO SE INSTALAR E SEM FORÇAS PARA PODER MUDAR ?

Anônimo disse...

Na atualidade verificar que o trabalho sério e honesto não valeu a pena.

Anônimo disse...

O bom mesmo é receber a bolsa ditadura...

Anônimo disse...

Os mais jovens que segurem a falta de condições físicas disfarçadas por um discurso fantasioso , os esquecimentos naturais (os tratamentos médicos não conseguiram até agora fazer os neurônios acompanharem as outras evoluções) e o que é pior...o parar do mundo na década em que tinham 40 anos...
Haja paciência com o "vovô" e com a "vovó" que acham que o mundo parou... que tudo não evoluiu... e que não faz mal nenhum brincar de estar numa década perdida onde o mundo deles era suuuuper moderno...
Quem está escrevendo este cometário é alguém que se aposentou na hora certa para não se transformar em uma "moderna de antigamente" para seus colegas...
Se idosos querem voltar a trabalhar ...então é hora de se transformarem em empreendedores , ou seja, em pessoas que empregam jovens , e não em pessoas que tiram vagas deles...

Anônimo disse...

E o brasileiro continua querendo se aposentar aos 50 e outros mais caras-de-pau ainda, na faixa dos 40 anos. E sem contribuir o SUFICIENTE para isso, como se fossem umas férias eternas. Nenhum problema se for com uma aposentadoria particular, na iniciativa privada, daquelas que a gente só usufrui enquanto tiver fundo construído durante a vida de trabalho... No saco sem fundo da pública, aquela que se empurra a conta para os filhos e netos taparem o rombo, não pode continuar da forma que é. Idade limite de 65 anos hoje, daqui a 10 anos, já vai ter que 70 anos o limite, senão mais.

elias disse...

Artigo perfeito. Lucido. Real.

Parabéns efusivos ao autor.

Anônimo disse...

Uma boa alternativa é manter a humildade do aprendiz. Muitos idosos perdem isso antes de tudo o mais.

Anônimo disse...

esperar por doenças, pelo tedio e pela morte...

como ja dizia Neil Young na musica "My,my, Hey, Hey":

"É melhor queimar de uma vez a se apagar aos poucos"

Anônimo disse...

MERDÔNIO" UM NEURÔNIO DE MERDA

O CARA DIZ QUE O IDOSO DEVE DAR EMPREGO A JOVEM E NÃO TIRAR TEM "MERDÔNIO" NO CEREBRO AO INVES DE NEURONIO.

PORQUE NÃO TE CALAS?