Assembleia aprova proposta que acaba com tempo fictício para benefícios a servidores. A PEC foi aprovada por 2/3 dos votos.

Proposta de Emenda à Constituição ainda terá de ser votada em 2º turno. O privilégio inaceitável custa caríssimo aos cofres públicos e precisa acabar. 

Depois de seis meses de idas e vindas, a base aliada de José Ivo Sartori conseguiu aprovar, na manhã desta quinta-feira, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que derruba o uso de tempo fictício de trabalho no serviço público estadual para a concessão de benefícios a servidores. O texto foi aprovado por 36 votos a 18 e vai para segunda votação na semana que vem.

É importantíssima vitória do governo, que agora precisa consolidar os 2/3 de votos que conseguiu, tudo para aprovar outras propostas ainda mais polêmicas. 

Havia resistências de partidos independentes, como o PDT, e da própria base, caso do PSDB. PT, Psol e PCdoB, mais poucos aliados do PDT, não conseguiram evitar o avanço.

A mudança não afeta diretamente a aposentadoria dos servidores. O tempo de contribuição para o INSS ou para outras instituições previdenciárias públicas continuará valendo. No entanto, o Piratini criou um dispositivo para evitar que licenças-prêmio não retiradas possam ser indenizadas. Atualmente, o Estado já não paga esta situação. No entanto, os trabalhadores conseguem o benefício judicialmente.

7 comentários:

Anônimo disse...

CRISE SÓ EXISTE PARA QUEM VIVE NA INICIATIVA PRIVADA...

HISTÓRIA DA VIDA REAL DE DOIS ENGENHEIROS...
PEDRO – INICIATIVA PRIVADA
JOÃO – SERVIDOR DO ESTADO

OS DOIS COMEÇARAM JUNTOS A TRABALHAR
NUM NEGOCIO PRÓPRIO , E DURANTE 20 ANOS
ATUARAM PAGANDO O INSS. A EMPRESA FOI
ENCERADA POR DIFICULDADES DE MERCADO.

PEDRO PROCUROU OUTRO TRABALHO.
PASSOU MAIS 15 ANOS E PEDRO COM 59 ANOS
E 35 DE INSS, DECIDE SE APOSENTAR...
RECEBE R$ 3.500,00/MÊS DE APOSENTADORIA.

JOÃO FEZ CONCURSO PUBLICO NO ESTADO.
PEGOU OS 20 DO INSS + 15 NO ESTADO,
VIROU INATIVO HOJE TEM 57 ANOS E RECEBE R$ 18.000,/MÊS.

E tem babaquara que diz o servidor contribui sobre
o teto para ter aposentadoria integral....P.Q.P

-Veja a prefeitura de POA, os servidores começaram
a contribuir em 2001 com 4,75%....P.Q.P

ESTAMOS FERRADOS....



Anônimo disse...

Os aliados do PDT editor são Enio BAcci e Juliana Brizola, os dois ficariam bem se estivessem no PT.

Anônimo disse...

BRASILEIROS VIVEM HÁ ANOS NA DITADURA!

AS FORÇAS ARMADAS FORAM CORROMPIDAS E SUCATEADAS.

O POVO VOTOU CONTRA O DESARMAMENTO, MAS LULA-DRÃO CAGOU PROS VOTOS DO POVO!

AS URNAS ELETRÔNICAS SÃO FRAUDADAS DESCARADAMENTE HÁ ANOS PELO LULOPETISMO E POR DIAS TÓFFOLI NO TSE.

NOSSOS VOTOS TAMBÉM SÃO ROUBADOS, ALÉM DO DINHEIRO E NOSSO TEMPO DE DESCANSO.

LEIS PREVIDENCIÁRIAS SÃO IMPOSTAS!

NOSSO DINHEIRO É ROUBADO E EXPATRIADO!

VAI PARA OUTROS PAÍSES COM DITADURAS.

NÓS TEMOS QUE TRABALHAR ATÉ MORRER, PRA SUSTENTAR VÁRIAS DITADURAS, ALÉM DA DITADURA NO BRASIL.

Anônimo disse...

LEIAM NO SITE IMPRENSA VIVA
JANOT, FACHIN E WESLEY FRIBOI - É DE ESTARRECER, CAUSRAM BILHOES DE PREJUIZO AO PAIS............... COMO DIZ A MATERIA

Anônimo disse...

E, assim, o tão criticado "Gringo" vai fazendo com coragem o que pode pra arrumar a casa.

Anônimo disse...

Aprecio e respeito A BRIGADA MILITAR e seus congeneres.
Mas aí o guri sai do serviço militar, com 19 aninhos e entra na BRIGADA.
19+25 anos= 44 anos e se aposenta com salario INTEGRAL.
ficou uns anos fazendo curso, a custa do dinheiro público, se formou na academia e vai trabalhar uns vinte anos. Como se aposenta aos 44 anos, vai ter uma existência até os 85 anos, com saúde do estado, e sem incomodação. 85-44= 41 anos de aposentadoria. Esposas novinha vive até os 90 anos, ou seja mais dez anos de desembolso do estado.
Então se beneficiou em cinco anos iniciais, fazendo curso, trabalhou 20 e aposentadoria própria de 41 anos e do cônjuge mais 10. 5+41+10=56 anos de salario ( pelo TETO) e mais 20 anos de trabalho tbm com salario.
56/20= 2,8 vezes de beneficio por ano trabalhado SIMPLES
LEGAL
Tem periculosidade, sim tem.

Marlene Gazzana disse...

Há muito que isto deveria ter acabado, aliás, nunca deveria ter o custo do