Artigo, César Augusto Trinta Weber, Jornal do Comércio - Maconha livre, a falsa noção do certo

O artigo US Adult Illicit Cannabis Use, Cannabis Use Discorder, and Medical Marijuana Laws, recentemente publicado no JAMA Psychiatry, um dos mais respeitados periódicos científicos do mundo em psiquiatria reacende o polêmico tema da legalização da maconha. De acordo com o estudo, a liberação da maconha em alguns estados americanos colocou no mercado, para a alegria dos traficantes, mais de 1 milhão de usuários com base na comparação entre as prevalências de consumo de maconha e portadores de transtornos mentais devido a ela, em estados onde foram aprovadas leis autorizando o "uso medicinal" da maconha com os outros estados em que esta lei não existe.

Os argumentos contrários à legalização da maconha ganham força à medida que sustentam a tese de que, regularizada na forma da lei, poderia ter um efeito estimulador ao uso deliberado.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

26 comentários:

Anônimo disse...

Tudo besteira de pseudomoralista, quem quer usar maconha vai usar se for liberado pelo menos o estado ainda pode arrecadar impostos com a venda além de regulamentar o mercado e tirar os traficantes do negocio no momento que legalizar a produção, mas fazer estes "homens de bem" entender isso é duro, gente que vive em uma lógica religiosa e quer impor aos outros esta lógica, sou da opinião de que se a pessoa quer usar que use, mas com regulamentação do estado que vai evitar a propagação da violência por meio do trafico de drogas, mas é dureza fazer esse "povo de bem" entender isso são os mesmos que são contra o aborto com a justificativa que toda a vida é importante, mas são favoráveis a pena de morte, para constar sou favorável aos dois pois não sou hipócrita, cada pessoa sabe o melhor para si e não cabe o estado dizer o que pode ou não fazer e não vai ser moral religiosa que vai melhorar isso

Anônimo disse...

FHC é a favor da liberação da maconha. No Uruguai está liberada a droga e a criminalidade aumentou enormemente.

Anônimo disse...

alias a proibição tem funcionado muito bem quase ninguém usa maconha, caro editor proibir não resolve o problema olha o exemplo da lei seca americana nos anos 1920, apenas fez com que a criminalidade achasse um nicho de mercado o mesmo é com as drogas no momento de liberar e o estado regulamentar quem vai comprar de traficantes se pode comprar de distribuidores legalizados? Tenho uma opinião sobre isso tudo deve ser liberado e a responsabilidade é única do usuário se quer usar que use, não cabe ao estado limitar o direito do cidadão, não cabe ao estado colocar a religião como norteador das leis quem se diz liberal e ao mesmo tempo é contra aborto, legalização das drogas não é um liberal verdadeiro, sou favorável a legalização das drogas, liberação do aborto, liberação do porte irrestrito de armas, pena de morte para crimes graves e quanto menos estado na vida individual das pessoas e nada de moralismo religioso

Anônimo disse...

Uma questão complexa. Lembro apenas, a questão da Argélia com os franceses incentivando e dando até para o uso da população, a pretexto de sanar a fome e manter seu domínio. E a China, com a questão do ópio. Assunto prismático, que nos leva a uma profunda questão - o futuro do Estado como conhecemos hoje. Os próximos 100 anos, mudarão radicalmente o mundo.

Anônimo disse...

Só jerico defende a liberação do uso de qualquer tipo de droga, se estão fazenfo N campanhas contra o uso do tabaco, proibindo fumar em vários ambientes, é no minimo incoerência, para não dizer estupidez fazer campanha para uso de drogas mais devastadoras, maléficas. Acredito que tem interesses poderosos por trás dessas campanhas da descriminalização da maconha.

Anônimo disse...

ao anônimo 9 de julho de 2017 20:05 não é INCENTIVAR O USO é apenas liberar a venda com regulamentação do estado, tirando o traficante do negocio, te pergunto conhece traficante de cerveja? no momento que é proibido vão continuar usando, a diferença quando liberaliza é tirar o criminoso do negocio, por que usar vão usar de qualquer jeito e não estou falando em incentivar podem fazer mil campanhas contra etc.. mas sei que é difícil certas pessoas terem capacidade cognitiva de entender isso

Anônimo disse...

É uma falácia que liberando o uso da maconha acaba o tráfico, o Tabaco é liberado e o contrabando, tráfico, corresponde a mais de 30% do cigarro consumido no Brasil.

Anônimo disse...

Sou plenamente favorável a que tu tenha o direito de fumar. Só tem que respeitar o espaço dos outros já que ninguém é obrigado a compartilhar a fumaça do teu cigarro. O mesmo vale pra maconha, caso seja legalizada. E tomara que seja pois, apesar de não gostar nem do cheiro, não quero o estado gastando uma dinheirama dos impostos pra combater uma planta!

Anônimo disse...

Acontece que o Uruguai fez a coisa pela metade liberando somente a posse. A produção e a distribuição continuou nas mãos dos traficantes por isso a criminalidade.

Anônimo disse...

Concordo. Incoerente proibir cigarros, até redução sal x maconha.

Anônimo disse...

Qualquer psicotrópico, medicamentos que alteram as funções mentais, só podem ser vendidas com receita médica retida pela farmácia. A maconha é uma droga que altera profundamente as funções mentais e o comportamento do individuo. Por que deveria ser liberada?
Isso nem merece qualquer discussão. Definitivamente deve ser deixado em claro que o lobby da maconha é feita por traficantes e esquerdistas que buscam destruir a família e o indivíduo. O aborto, o assassinato de seres indefesos também é defendida pelos comunistas. Comunistas lucram com as drogas e o aborto. Essa gentalha é assassina por natureza!

Anônimo disse...

Incrível, mais a esqurda falaciosa teima e se apegar na premissa do se é bom para algumas formas de doenças neurológicas, pasmem, então é saudável.
Traficantes comemoramm a entrada de mais um milhão de nóias no faturamento da orcrim. Novas armas serão comoradaa para assassinar coxinhas idiotas que contribuíram para o boom econômico dos chefes do tráfico.

Anônimo disse...

O sujeito poderá sair para dar aquela fumadinha no horário de trabalho, como observo em shoppings, principalmento no caso daquelas empresas de call center que temos aqui, em shopping da cidade onde resido. Saem para fumar, já que não permitidos em locais fechados ou específicos. No caso, imagine o sujeito saindo para fumar sua bagana e depois voltar legalzão para o trampo, chapadão, para atender ou ligar para clientes.
Se tudo pode ser agora liberado, como defendem os progressistas de plantão, futuramente também será liberado, além da maconha, o uso da cocaina, do ópio, heroina, e depois o sujeito vai operar um torno mecânico, uma fresadora, uma guilhotina, uma empilahdeira...

Anônimo disse...

Sou a favor da proibição, inclusive de bebidas com alta concentração de álcool, afinal já está provado cientificamente que, qualquer quantidade já é prejudicial a nosso organismo. Entendo que quem defende a liberação de drogas é porque já faz uso delas. Essa gente deveria se matar com facas na jugular, assim pouparia seus familiares de vivenciarem seu declínio físico e espiritual.

Garivaldino Ferraz disse...


Muitos "liberais" defendem a liberação da comercialização da maconha - e as demais drogas, mais tarde - sob o argumento de que o Estado não deve interferir na vontade individual dos cidadãos. Esquecem um pequeno detalhe: o crescimento da demanda dos serviços públicos de saúde - já precários - pelos imbecis que se lançarão nas drogas e depois irão exigir prioridade no atendimento sob o argumento de que usaram algo lícito. Como sempre, os "caretas", os "contribários" (contribuintes otários) continuarão a pagar a conta da farra e, quando necessitarem, pagarão serviços particulares porque o Estado só sabe lhes extorquir e fazer a "distribuição social" do produto do trabalho de um número cada vez menor de contribuintes, para um número cada vez maior de beneficiários. Essa conta não vai fechar!

Anônimo disse...

Vai estudar burro.

Anônimo disse...

Baita resposta, otimo argumento realmente tu es uma mente privilegiada, mas realmente dispenso o teu conselho se eu estudar vou ficar parecido contigo prefiro continuar burro hahahaha

Anônimo disse...

Anonimo das 23:29 Hs com liberação aumentará o número de noias e aumentará o problema de Saúde pública , o Estado vai gastar muito mais para atender os viciados, isso aconteceu com o cigarro, as campanhas atuais contra o cigarro foi desenvolvida nos EUA depois de descobrirem que a despesa em saúde pública para atender um cidadão fumante era maior que a receita dos impostos pagos pelas industrias de cigarros. Americano vê, em primeiro lugar, custo benefício.

Anônimo disse...

Quem quer liberar a maconha deve responder as 3 perguntas antes:
- você embarcaria num avião sabendo que o piloto usa maconha?
- você se submeteria a uma cirurgia sabendo que o médico usa maconha?
- Você contrataria para babá do seu filho uma pessoa que usa maconha?
lembrando que estaria tudo liberado e qualquer reação sua seria preconceito.

Anônimo disse...

Para custear os gastos com saúde altos impostos na venda e produção das drogas, melhor do que ocorre hoje em dia

Carlos Mota disse...

Quanto preconceito; quanta opiniãozinha de merda aqui. Em vez de opinarem, alguns psicopatas julgam uma pessoa por sua opção entre usar ou não a droga e até mesmo por emitir a opinião favorável à liberação da canabis.
Quem apoia a não proibição, apoia a liberdade; a liberdade de qualquer um fazer de sua vida o que quiser, sem esta paranóia imunda de religiosidade ou de ser politicamente correto.
Se as pessoas respeitassem mais as opiniões uma das outras, a convivência entre todos seria melhor.
Qualquer um pode ser contra o cigarro, o álcool, drogas ilícitas, mas não pode ser contra alguém desfraldar uma opinião que seja contrária a sua.
Ninguém é dono da verdade e ninguém tem 100% razão, embora todos tenhamos o dever de saber conviver com a diversidade de opiniões.
Por isto somos chamados de racionais e embora muitos externem aquilo que pensam, parecem estar ainda vivendo na idade média, sob o jugo do tirano medo das coisas espirituais.
Por vezes a frustração por não terem tido coragem de transgredir o estipulado pelo uma vez na vida, torna algumas pessoas muito chatas para conviverem com a liberdade de opinião.

Anônimo disse...

Primeira coisa, isso não é discussão para gente leiga. Aprovar um simples fármaco como uma aspirina requer anos de estudo e bilhões d dólares de investimentos. Existem agências reguladoras responsáveis pela liberação desses fármacos como a FDA nos Estados Unidos e a ANVISA no Brasil. Envolve muitas áreas da medicina e farmácia como estudos in vitro de citotoxicidade, mutagenicidade, estudos farmacológicos e toxicidade em animais de laboratório, dentre muitos outros. O estudo em humanos é a última fase. Ó setor de medicamentos é extremamente regulado em todos os países.
Agora chega um cara aqui que não entende porcaria nenhuma e se acha no direito de dar pitacos sobre liberação de drogas.
Agora vocês sabem, parem de ser ridículos.

Anônimo disse...

Mas o cara tem que ser muito nóia pra achar que os traficantes irão sair do mercado simplesmente porque o governo entrou. E aí pra defender a opinião faz uma barafunda misturando aborto, religião e liberdade. Se tu sempre compraste a erva de um traficante vais, chegar pra ele e dizer:" pois é mano, a partir de agora vou comprar o bagulho na farmácia,porque lá tem o selo da Anvisa." e ele vai te responder: "isso, legal, tem que manter o trampo dentro da lei."

Anônimo disse...

Ao Anônimo 10 de julho de 2017 18:06 pensa assim, se tu pensa é claro, para que vai ter traficante se o produto é legalizado, sei que é necessário ter um minimo de capacidade cognitiva para entender isso, em relação a ser nóia NUNCA USEI,mas defendo o direito de quem quer usar se na tua ridicula historinha tu quis ser engraçado foi apenas estúpido, em relação "misturar" aborto e religião se tua capacidade de interpretação não consegue analisar que estava falando de LIBERDADE INDIVIDUAL e apenas exemplificando com outras lutas dos tais homens de bem que querem meter moral religiosa goela abaixo de quem não acredita, mas novamente não espero que tu entenda isso seria pedir demais

Garivaldino Ferraz disse...


Anônimo de 10 Jul 17 - 21:45:
O cigarro é um produto com venda legalizada e liberada no Brasil. Deve ser por isso que não há contrabando desse produto para o Brasil, não é mesmo????

Anônimo disse...

Se acabarem com as drogas, por tabela, vão acabar com as ideologias esquerdopatas, da supremacia gayzista, da supremacia feminazi e, graças a Deus, os espetáculos grotescos de cagadas e mijadas em fotos e execução no PAREDON de cuspidas.
XOOOOOO ...... MORTADELAS!