Safra recorde de grãos continuará forçando a queda dos preços dos alimentos.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou ontem a nona estimativa para a safra de grãos de 2016/17, que está em período de colheita no País. A área plantada recorde alcançará 60,5 milhões de hectares, o que representa expansão de 3,7% ante a safra passada, e a produção total de grãos deve atingir o nível histórico mais elevado de 234,3 milhões de toneladas, avançando 25,6% em relação à safra anterior. 

Pelo sexto mês consecutivo, a Conab revisou suas estimativas: na comparação com o mês passado, a produção total foi revisada para cima em 2,3 milhões de toneladas, com destaque para 910 mil e 1 milhão de toneladas a mais de soja e milho, nessa ordem. Assim, as duas maiores safras, de milho e soja, chegarão aos níveis recordes de 93,8 e 113,9 milhões de toneladas, subindo 41,0% e 19,4% ante a safra passada, respectivamente. 

CLIQUE AQUI para saber mais dados. O material é todo dos economistas do Bradesco, conforme texto que o editor acaba de receber.

2 comentários:

Anônimo disse...

Só se for no teu país porque no Brasil real está tudo subindo e a economia completamente parada.

Anônimo disse...

A queda do preço dos produtos agrícolas é causado pela política cambial do Temer/PMDB, já que a cotação internacional do milho e soja continua estável - igual ao ano passado. Sá não vê isso a bancada ruralista.
Este governo está destruíndo o único setor que dá certo no Brasil que é o setor agrícola