Piratini quer pressa no plebiscito sobre estatais, mas PT, PCdoB e Psol temem ouvir o povo

Os custos do plebiscito para privatizar ou federalizar CEEE, CRM e Sulgás serão de R$ 25 milhões, caso ele ocorra ainda este ano, conforme deseja o governo. O projeto foi protocolado ontem na Assembléia.O governo teme nova manobra do presidente petista Edegar Pretto, que já tinha devolvido pedido anterior do governo, sob alegação de que o formato estava errado.

O valor foi admitido ontem pelo Piratini, ao enviar projeto sobre a convocatória para a Assembléia.

A oposição do PT, PCdoB e Psol não deram acordo para votar a revogação da norma constitucional que dispensaria  o plebiscito e dá sinais de que também não quero plebiscito.

Nos bastidores da Assembléia, existe a percepção de que dificilmente ocorra consulta para a venda das três empresas estatais ainda em 2017. Além da falta de tempo hábil (14 de junho é o prazo máximo para que o projeto passe em plenário) a oposição criará obstáculos, argumentando que é melhor deixar tudo para 2018, já que com as eleições o custo do plebiscito cairá  dramaticamente.