Moro manda devolver iPads dos netos de Lula

O juiz Sérgio Moro mandou a Polícia Federal devolver os iPads dos netos de Lula apreendidos em março do ano passado, na operação Alethea.

Lula não aguentava mais a pressão dos netos.

9 comentários:

Smaibon disse...

Boa tarde, quero avisar ao ilustre jornalista que desde ontem não consigo twittar suas matérias. Desconfio que estamos sob censura.

Anônimo disse...

e aí coxinhas? esse canalhinha ainda eh teu ídolo? ehehehe.....abaixo o mimimi coxonha contra o extermindo de coxinhas

Anônimo disse...

SOMOS TODOS JUIZ MORO

Anônimo disse...

e as calcinhas encontradas no sitio?

Anônimo disse...

ESTAS SEM NAMORADO HOJE?
CARENTE EM PLENO DIAS DOS NAMORADOS?

Anônimo disse...

Faltou grana para comprar Ipads?
Isso é um problema muito grande.
Fico preocupado com isto, pense bem os netos do maior ladrão do Brasil sendo pressionado pelos netos.

Anônimo disse...

Obrigada, Polibio, por nos oferecer um pouco de humor nesses dias pavorosos.
Queria ver a carinha dos netinhos e do vovô ao receberem as tranqueirinhas de volta.

Anônimo disse...

Dono da Odebrecht, Emílio diz que não teve negócios com Lula
POR FERNANDO BRITO · 12/06/2017

emilio

Nas centenas de textos que a imprensa publicou sobre os documentos da Odebrecht, Lula é referido do o “o amigo do seu pai”, numa referência ao relacionamento entre Emílio, dono da empreiteira que leva seu nome pai de seu presidente, Marcelo, com Lula.

Aliás, Marcelo Odebrecht diz que tinha um mau relacionamento com o ex-presidente: “O Lula nunca gostou de mim. Quem sempre tratou de tudo com ele foram o meu pai e o Alexandrino (Alencar, diretor de relações institucionais)”disse ele num depoimento à Procuradoria Geral da República.

Portanto, nada mais natural, se houvesse pedidos de Lula, estes fossem feitos a Emilio Odebrecht ou dele fosse de conhecimento.

Hoje, na sua reinquirição de Sérgio Moro ao patriarca da empreiteira, Emílio, na desccrição insuspeita de O Globo, “negou envolvimento em contratos firmados entre a Petrobras e Odebrecht que teriam sido celebrados em troca de uma futura compra de um terreno para o Instituto Lula”.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, também perguntou se Emílio manteve reuniões com outros ex-presidentes da República que antecederam Lula no cargo. O empresário confirmou:

— Desde a minha entrada na organização, praticamente todos ex-presidentes. Discutia várias coisas de interesse nacional, aquilo que era importante para o Brasil continuar crescendo – disse Emílio(…)

A outra pessoa que Marcelo Odebrecht disse ter relacionamento com Lula, Alexandrino Alencar, no seu depoimento, dias atrás, também negou ter tratado com o ex-presidente do tal terreno para o Instituto mas, ao contrário, havia recebido a incumbência do próprio Marcelo, que também o informou que o valor seria apropriado de uma suposta conta “Italiano”.

É de supor que, se Lula fosse pedir um terreno, o pediria àqueles com quem tinha relacionamento mais próximo. E ambos dizem que não pediu nada a eles e, muito menos, que fosse posto na conta de isso ou aquilo.

Como diz o ex-delegado federal Armando Coelho Neto, Lula está sendo processado pelo crime do “IA”: Ia receber, ia ganhar, ia se apropriar. Se é que ia, não foi.

Não foi, mas vai ser condenado por Sérgio Moro, Se não pelo triplex, pelo sítio; se não pelo sítio, pelo prédio; se não pelo prédio, pelos caixotes.

Mas certamente por ser o favorito nas eleições de 2018, como convém a processos que só tem de sólido o interesse político.

Anônimo disse...

tô com a tua mãe....ehehe..corninho