Governo gaúcho veta uso de prédio público para elogiar a ditadura de Cuba e o açougueiro Che Guevara

Prédio do governo estadual não poderá abrigar livro com elogios à ditadura sanguiinária de Cuba e ao açougueiro Che Guevara.


A Associação Cultural José Martí/RS foi obrigada a mudar o local do lançamento do livro “Canto épico a la ternura”, do jornalista e professor cubano Santiago Feliú, que estava marcado para ocorrer no Centro Cultural Érico Veríssimo, Porto Alegre.

Segundo o vice-presidente da Associação José Martí, Ricardo Haesbaert, a CEEE suspendeu o contrato “por ordem do Secretário Estadual de Minas e Energia”, o que caracteriza “uma retaliação e oposição ideológica dignas de um estado de exceção”.

O secretário é do PSDB e pertence ao governo Sartori, PMDB, ambos de cortes democráticos, portanto adversários de ditaduras comunistas como as de Cuba e de alçiogueiros sanguinários como Che Guevara.

O lançamento do livro e o espetáculo musical, previstos, anteriormente, para o Centro Cultural Érico Veríssimo, ocorrerão dia 6 de junho, às 19 horas, no Solar dos Câmara, localizado na Rua Duque de Caxias, 968, na Assembleia Legislativa do Estado.

O presidente da Assembléia, Edegar Preto, é do PT, Partido que se caracteriza pela prática da corrupção e ideologicamente comprometido ciom a ditadura sanguinária de Cuba.


Santiago Feliú está em Porto Alegre para o lançamento da segunda edição do seu livro em homenagem à obra e ao pensamento de Che Guevara, assassinado na Bolívia, há 50 anos