CNMP investigará ganhos de Deltan Dallagnol com palestras de R$ 30 mil a R$ 40 mil

O jornal Valor de hoje voltou a repercutir a decisão da CNMP, que decidiu alfinetar o chefe da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, que costuma receber entre R$ 30 mil a R$ 40 mil por palestra que profere:

- A Corregedoria Nacional do Ministério Público instaurou na quarta-feira um procedimento para investigar a comercialização de palestras por parte do procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba.


O procurador defende-se deste e de outros ataques, conforme postagem acima do seu Twitter.

39 comentários:

Anônimo disse...

E Lula? Não será investigado?

Anônimo disse...

Pois é! Dellagnol está corretíssimo! Não há em nossa lei nenhuma vedação que juízes,Ministros e procuradores esteja proibidos de fazer palestras, muito antes pelo contrário, as palestras são necessários para troca de conhecimentos e a formação acadêmica. A diferença é que as palestras de Lula é fruto direto do propinoduto como já foi amplamente divulgado pela imprensa, ao contrário, as palestras de Dellagnol é fruto de competência e trabalho árduo. E dá-lhe Dallagnol!!!! Parabéns pelo trabalho e pelas brilhantes palestras.

Anônimo disse...

Pois é! Dellagnol está corretíssimo! Não há em nossa lei nenhuma vedação que juízes,Ministros e procuradores esteja proibidos de fazer palestras, muito antes pelo contrário, as palestras são necessários para troca de conhecimentos e a formação acadêmica. A diferença é que as palestras de Lula é fruto direto do propinoduto como já foi amplamente divulgado pela imprensa, ao contrário, as palestras de Dellagnol é fruto de competência e trabalho árduo. E dá-lhe Dallagnol!!!! Parabéns pelo trabalho e pelas brilhantes palestras.

Anônimo disse...

O Lulla pode fazer palestras e a imprensa não critica. O Procurador não pode. Que pais de merda.

Anônimo disse...

Vai trabalhar direito seu Procurador....deixa de ser vedete e querer aparecer dando palestras, e leia mais ....principalmente a constituição. O bom juiz e a quele que trabalha em silencio.

Anônimo disse...

Mas ninguém investigará Gilmar Mendes, com suas palestras também milionárias, com suas viagens mundo afora, com sua milionária escola de direito, IBD, usando sua posição de ministro para promover essa fonte milionária de receitas?

Anônimo disse...

Convicção não é prova, admite Lava Jato. Mas é indício e indício basta:

FERNANDO BRITO · 23/06/2017 - O Tijolaço

A Folha publica hoje uma análise onde se indaga, no caso do julgamento do apartamento do Guarujá que a “Força Tarefa” da Lava Jato sustenta ter sido dado a Lula como “comissão” nos contratos da OAS na Petrobras, se indícios são suficientes para condenar o ex-presidente.

Vale a leitura, mas falta dizer que os indícios existem, neste caso, a partir de uma convicção que nasceu lá atrás, com aqueles três promotores paulistas que processaram a Folha por chamá-los de “patetas” – que puseram o ex-presidente no “lote” de uma denúncia de malversação de recursos no acordo que transferiu para a OAS um conjunto de prédios da cooperativa dos bancários de São Paulo.

Como se sabe, a Justiça arquivou a ação e absolveu os acusados. Menos um: Lula, sacado arbitrariamente do processo para ser submetido ao “tribunal especial” de Curitiba.

Então, as convicções foram se seguindo: se Lula visitou o apartamento, é porque ia ficar com ele. E se ia ficar com ele, claro que não ia comprar, ia ganhar da empreiteira. E se esta empreiteira tinha também contratos com a Petrobras, é lógico que isso era uma paga pelos contratos com a estatal.

E como os dirigentes que roubaram na Petrobras foram designados pelo Conselho de Administração da Empresa e o Conselho de Administração da empresa é nomeado por Lula, é lógico que ele nomeou os diretores para ganhar propina, em especial este apartamento no Guarujá.

Tudo se desenvolveu, durante mais de um ano, no terreno da hipótese e da suposição.

Não apareceu um documento que pudesse indicar que o apartamento foi ou estava sendo transferido para Lula.

Não havia, é óbvio, qualquer proporcionalidade entre contratos de bilhões e um mero apartamento de 240 metros quadrados. Não havia qualquer ligação objetiva entre estes contratos e o benefício alegado.

O que havia, além da visita ao prédio? Recibos de pedágio mostrando que Lula foi duas ou três vezes à baixada santista em cinco anos – certamente menos do que grande parte dos moradores de São Paulo, um porteiro de comportamento esquisito que diz que “todo mundo sabia” que o apartamento era de Lula e muita, muita convicção de que “tinha da ser de Lula”.

Então, à undécima hora, achou-se uma “prova testemunhal”. O ex-executivo da empreiteira, apodrecendo na cadeia, resolve confirmar tudo, apresentando fotos onde tomava “umas cachaças” com Lula e e-mails cheios de anotações de advogados sobre o que devia destacar. Ato contínuo, pediu ao doutor juiz um “desconto” polpudo em sua pena.

Qualquer um que tenha sido repórter de polícia lembra dos tempos em que o “doutor delegado” arranjava alguém, já bem atolado em outros crimes, para “assinar” mais um.

É este o resumo da ópera da “prova indiciária” neste caso, montado desde o início para “pegar o Lula”.

Como diz o promotor aposentado e professor de Processo Penal Afrânio Silva Jardim, escolheram o criminoso e passaram a procurar o crime.

Os promotores dizem que “faltaram explicações convincentes de Lula”, exatamente como definido pelo professor de Direito Penal Nilo Batista: “para quem deseja previamente a condenação do réu, a prova do processo é um mero detalhe” e, aó, passamos à estranha situação de inversão de ônus da prova penal: eu tenho de comprovar que não matei Dana de Tefé ou Odete Roittman.

Este é um processo que tem o final pronto desde o início. ...

PS: O homem da "convicção" não é esse Senhor Deltan?

Anônimo disse...

TIJOLAÇO: DR. DELTAN, O SENHOR PODE PROVAR QUE NÃO FOI “LAVAGEM DE DINHEIRO”?

Jornalista Fernando Brito questiona as palestras realizadas pelo procurador Deltan Dallagnol, que lhe renderam R$ 219 mil no ano passado; "Será que se deve quebrar o seu sigilo bancário e o de quem recebeu o dinheiro para ver se não tem 'lavagem de dinheiro', doutor?", pergunta Brito; "O doutor é uma figura pública, se apresenta como paladino da transparência, acha que a corrupção é 'sistêmica' e vem falar e cláusulas de confidencialidade?", questiona.

23 DE JUNHO DE 2017

Por Fernando Brito, do Tijolaço - O Valor traz a informação de que Deltan Dallagnol recebeu, ano passado, R$ 219 mil por remunerações de palestras onde ser apresentou como “estrela da Lava Jato” e o homem que vai prender o Lula.

Ao jornal, ele disse que “não controlou” os valores recebidos no ano passado com as palestras. “Foram dadas – segundo informações do próprio hospital [do interior paulista, que ele alega receber os recursos], porque eu não controlava isso diretamente – 12 palestras, que somaram R$ 219 mil”.

Será que se deve quebrar o seu sigilo bancário e o de quem recebeu o dinheiro para ver se não tem “lavagem de dinheiro”, doutor?

Dallagnol diz que não pode dizer quem pagou e quanto pagou, porque os contratos têm”cláusulas de confidencialidade”. Porque deveriam ser confidenciais contratos entre alguém que vai defender posições “cívicas” como as medidas contra a corrupção e empresas que foram se juntar a promoção de sua “ética” e “compliance”? Ainda mais quando tudo vai para a benemerência de um hospital infantil?

Ontem, ele foi a estrela de um evento promovido pela XP Investimentos. Diz o jornal que “Dallagnol não quis falar qual o cachê recebido’ pela palestra “no maior evento da América Latina para a indústria de investimentos”, conforme descrição da XP Investimentos. O ingresso para o evento custa R$ 800. O procurador, no entanto, disse que prestará as informações à Receita Federal e que em 2018 divulgará o total recebido esta ano.

O doutor é uma figura pública, se apresenta como paladino da transparência, acha que a corrupção é “sistêmica” e vem falar e cláusulas de confidencialidade?

Ele argumenta que tudo é legítimo, citando regulamentos que reconhecem “palestras como aulas, atividades docentes”.

Os alunos de ontem do Dr. Dalllagnol eram, então, a papa-fina da turma da bufunfa, aprendendo que é a corrupção “é uma causa que toca a todos nós porque recursos públicos desviados geram mal-estar e mortes ao nosso redor.”

Os 50% do orçamento público que saem para pagar juros aos alunos da escolinha do Professor Deltan não vêm ao caso.

PS: Se lula tem de provar que é inocente perante a Lava Jato, o mesmo remédio pode se aplicar ao nobre Procurador, ou Procurador tá liberado de dar explicação?

Mordaz disse...

A CNMP vai investigar também os ministros do STF e suas palestras?

Luiz Antônio disse...

O Procurador revelou também que os valores recebidos por suas palestras são doados para um hospital em Curitiba.
O hospital trata de crianças com câncer.

Anônimo disse...


OOOH!! Dellagnoll seja mais coerente. Dê um exemplo para esses coistados desses brasileiros que anseiam por bons exemplos. Será que é tão difícil não cobrar ou cobrar barato um pouco? Afinal vocês tem muitas regalias e ganham muito bem, todos sabemos.

Anônimo disse...

O ladrão (ops), o mais honesto do Brasil, antes da lava a jato, ganhava por "palestras"(que ninguém viu) em torno de 700, 850 reais. Um analfabeto, cachaceiro, que só diz besteira, até hoje. Elle pode dizer que faz palestras, já o procurador é investigado.

- Pq o CNMP não investiga os ministros do supremo que saem por aí a dar palestras...???

- A presidente do PT, ré na lava a jato, fez um discurso no senado, atacando as palestras do procurador Deltan e do juiz Sérgio Moro, só que ficou quieta com as "palestras" do 9dedos51.

Anônimo disse...

O anônimo de 10:33 falou tudo! Nem precisa de retoques.

Anônimo disse...

E qual é o problema dele fazer palestras e cobrar por isso? Paga quem quer ouvi-lo. E as palestras acontecem e podem ser provadas, ao contrário daquelas de Lula, que só serviam para esquentar o dinheiro de origem incerta que ele embolsava.

Anônimo disse...

Será que vai começar mais um assassinato de reputação?

Anônimo disse...

Lula precisa provar que é inocente porque é réu em diversos processos, Deltan não. Lula tem que provar à justiça. Despejar notinhas na imprensa se dizendo perseguido não serve para inocentar ninguém.

Anônimo disse...

Aiai... Lá vem o chato, chato aqui chato acolá...

Anônimo disse...

O bom juiz é o que julga com justiça. Ponto.

Anônimo disse...

Corretíssimo. Deve prestar essas informações apenas à Receita Federal. Aos petistas só resta catar outro factóide para tentar desviar a atenção da iminente condenação de Lula por Sergio Moro.

Anônimo disse...

Corretíssimo. Deve prestar essas informações apenas à Receita Federal. Aos petistas só resta catar outro factóide para tentar desviar a atenção da iminente condenação de Lula por Sergio Moro.

Anônimo disse...

Só a palavra do procurador não vale anonimo das 11:32, cade as "provas" que ele, enquanto procurador cobra dos investigados? Funcionário público não basta ser honesto, tem de provar que é honesto.

Unknown disse...

DÁ-LHE DALLAGNOL!!!
UM TAPA DE CARÁTER, HONESTIDADE, PROFISSIONALISMO, INTEGRIDADE E DIGNIDADE NELLES!!!
LEIAM, OS BONS:
http://www.oantagonista.com/posts/a-legalidade-das-palestras-de-dallagnol

Anônimo disse...

Dallagnol doou 45% a 60% de lucro de palestras em 2016:

23/06/2017 - Patricia Faermann

Jornal GGN - O coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, deu cerca de 12 palestras remuneradas no ano de 2016. Em nota pública, o procurador da República afirmou que optou "por doar praticamente tudo". A jornalistas nesta quinta-feira (22), disse que omitiria os valores para não "expor o contratante", mas que o hospital que recebeu suas doações contabilizou R$ 219 mil no ano passado. O valor, contudo, é quase a metade da média do que Dallagnol teria recebido, segundo dados divulgados pela própria agência de palestras. (...)

Questionado, o coordenador da Lava Jato respondeu que "não controla" os valores recebidos, mas que "foram dadas, segundo informações do próprio hospital, porque eu não controlava isso diretamente, 12 palestras, que somaram R$ 219 mil [em doações]. As destinações foram feitas diretamente pelas entidadas [filantrópicas] para a construção do hospital infantil".
(...)

Controversas
(...)
O que dizem as regulamentações? O argumento do procurador da República traz a tese de que suas palestras e participações em exposições se caracterizariam como "atividade docente". Para justiciar a lógica, citou a Resolução 34, de 2007, do Conselho Nacional de Justiça.

CNJ fiscaliza procuradores? O artigo 4º, letra A, da resolução estabelece que "a participação de magistrados na condição de palestrante, conferencista, presidente de mesa, moderador, debatedor ou membro de comissão organizadora, inclusive nos termos do art. 4º da Resolução CNJ 170/2013, é considerada atividade docente"...

Entretanto, a referência ao artigo é sobre a aplicação de atividades "desempenhadas por magistrados em cursos preparatórios para ingresso em carreiras públicas e em cursos de pós-graduação" (...)

Ainda, o artigo impõe que tais atividades devem ser acompanhadas e controladas pelo órgão do profissional. "A participação nos eventos mencionados no caput deste artigo deverá ser informada ao órgão competente do Tribunal respectivo em até 30 (trinta) dias (...)

Por fim, a resolução se aplica a magistrados, e não a membros do Ministério Público, que devem se submeter às decisões do Conselho Nacional do Ministério Público, e não da Justiça.

O que diz o CNMP? Como justificativa, Deltan Dallagnol mencionou também a "resolução do CNMP 73, de 2011, que trata das aulas". Ao acessar a resolução, logo em sua introdução, é exposto: "Aos membros do Ministério Público é vedada a acumulação de funções ministeriais com quaisquer outras, exceto as de magistério, nos termos do art. 128,II, 'd', da Constituição"...

Com o intuito de justamente aprofundar os limites de atuação de um procurador da República ou membro do Ministério Público, o CNMP criou a resolução. Entretanto, na exposta "importância de serem delineados os contornos objetivos da atividade de magistério" a regulamentação não traz uma linha sobre palestras ou exposições. (...)

Ainda, estabelece que o membro do Ministério Público só poderá exercer a docência "fora do município de lotação" em "hipóteses excepcionais" e quando "se tratar de instituição de ensino sediada em comarca próxima".
(...)
Por fim, o coordenador da Lava Jato faz referência ao Ato Ordinatório 3, de 2013, do Conselho Superior do Ministério Público Federal. O texto apenas menciona o preenchimento de um formulário eletrônico para o CNMP acompanhar "o exercício da atividade de magistério quando cumulada com as funções ministeriais" (...)

Anônimo disse...

estranho q as palestras milionarias de mais de 400 ,00 sim 10x mais caras q o molsuco disse que fazia os pelegos vermelhos nunca pediram p investigar - cinicos

Anônimo disse...

Lei de Gerson: Leve vantagem em tudo

Lei do Dellagnol: Malandro é malandro, mané é mané

Lei do Gilmar Mendes: A boca do STF é minha, porra

Anônimo disse...

Chapa esquenta para o zé do powerpoint: CNMP aceita representação contra ele:

Miguel do Rosário - O cafézinho

A gente sabe que não vai dar em nada, porque o CNMP só puniria Dallagnol se a Globo mandasse. E Dallagnol, assim como Moro, é mais um justiceiro da Globo.

Mas só o fato de aceitar a representação já é uma pequena vitória da justiça.

Dallagnol usa dados públicos da Lava Jato para ganhar dinheiro com palestras. E isso é, evidentemente, antiético.

A história de que “doou” o dinheiro para um hospital, o que ele tem de provar com documentos, não significa nada.

O que Dallagnol faz com o dinheiro é problema dele.

O nosso problema é que a gente paga um procurador para trabalhar e o procurador, ao invés de trabalhar, fica dando palestras em troca de cachê.

Anônimo disse...

Alguém avisa o anônimo da 15:28: Enquanto Presidente da República, portanto Servidor Público "nunca" proferiu palestras. Agora, depois do término do mandato de Presidente ele tem o "direito" de proferir palestras e cobrar o preço que quiser, é a Lei do mercado. Não existe impeditivo "legal! e nem "ético" que proiba um ex-presidente de fazer palestras e cobrar. Tomaaaaaaaaaa vagabudno

Anônimo disse...

Como disse uma pessoa o Dellagnoll doou para uma instituiçao que trata de crianças com cancer no Parana,mas o LULA que ganhou 30 milhoes em falsas palestras nao doou absolutamente nada!!!!!alem de nao ter declarado.A instituiçao recebia diretamente das entidades que bancaram as palestras e com o consentimento do Dellagnoll a instituiçao pode prestar as informaçoes.

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Anônimo disse...


Vá tomar um banho, petralha fedido.

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Anônimo disse...


Por que o Políbio Braga não diz que esse jornal se chama corretamente "Valor Econômico", que pertence à Rede Globo, que está conspirando contra a Presidência da República????

Os irmãos Marinho, donos corruptos da Rede Globo, foram barrados no BNDES pela economista nomeada por Temer, Maria Silvia Bastos.

Porisso que REDE GLOBO, LULADRÃO, JBS e demais conspiradores -
Rodrigo Janot, Edson Fachin, todo o STF, todo o TSE, que são quadrilhas de petralhas - querem tirar Temer à força da presidência da República, e com isso trazer de volta pro Planalto o fascínora petralha luladrão, seu "grande chefe", para continuarem nos roubando o dinheiro público através do BNDES e de todas as instituições possíveis!!

Vajra Prema disse...

Rodrigo Maia e outros políticos ganharam envelopes de bosta, merda...
daqui a pouco vão enviar tbém pra ti, Políbio... rsrs... e será bem merecido... Tu toma vergonha na cara, não nega tua raça, de comunista escroto. Apoiando as escusas o lado escuro e tentando fortalecer os bandidos. Tu não engana, não! Quem está contra a Lava Jato está contra o Brasil!

Vajra Prema disse...

Publica aí o lado de bem da coisa...isso é... se tu for capaz... rsrs...
http://www.oantagonista.com/posts/a-legalidade-das-palestras-de-dallagnol

Vajra Prema disse...

"Há um mal disfarçado interesse dos que acusam Dallagnol"
A Associação Nacional dos Procuradores da República também divulgou uma nota com esclarecimentos diante do "ataque indevido e mal informado" às palestras de Deltan Dallagnol:
"1. Não há qualquer ilegalidade na realização de palestras remuneradas por magistrados do Ministério Público e do Judiciário. A participação em evento como palestrante é atividade docente, permitida aos membros do MP e do Judiciário pela Constituição de 1988, como já reconhecido expressamente pelo Conselho Nacional de Justiça no art. 4°-A da Res. 73/2011. O Conselho Nacional do Ministério Público, na Res. 34/2007 que trata do exercício do magistério, não incluiu a realização das palestras entre as proibições a serem observadas pelos integrantes do Ministério Público.
2. A empresa MotiveAção nunca teve qualquer vínculo com o Procurador da República Deltan Dallagnol ou autorização para divulgar suas palestras. Provocada por ele, a empresa já reconheceu o equívoco de sua conduta e pediu publicamente desculpas ao Procurador da República.
3. A maioria das palestras proferidas por Deltan Dallagnol é gratuita. Quanto às remuneradas, embora seja claramente lícita a remuneração, o Procurador doa praticamente todos os valores recebidos para entidades filantrópicas e para custos e iniciativas que promovem a ética, a cidadania e o combate à corrupção.
4. Há um mal disfarçado interesse dos que acusam Deltan Dallagnol, indevidamente, em transformar um ato lícito e questão corriqueira em forma de ataque e descrédito a seu trabalho como coordenador e à Força Tarefa Lava Jato. Isto é inadmissível e não será tolerado.
5. Os membros do Ministério Público são regidos somente e tão somente pela Constituição Federal e pela lei. Tentativas espúrias de impor restrições aos membros do MPF sem qualquer amparo na legislação servem somente aos interesses de quem quer diminuir o órgão e impedir que siga desempenhando seu papel no combate à corrupção.
6. É do interesse público e da própria Justiça estimular que os membros do Ministério Público e Juízes participem de congressos técnicos, palestras e eventos científicos e de conscientização da sociedade contribuindo com seus conhecimentos e experiências para a construção do saber jurídico nacional e formação da cidadania, incluindo matérias como combate à corrupção, técnicas efetivas de investigação e respeito às garantias processuais. Impedir linearmente e em tese que membros do Ministério Público e Juízes participem de eventos e congressos seria uma forma de tolher a construção equilibrada do saber jurídico nacional e do exercício ético da cidadania, o que deve levar em conta a experiência não só da advocacia e de outras áreas do conhecimento, mas também de carreiras jurídicas como a dos magistrados do Ministério Público e do Poder Judiciário.
7. Atacar um Procurador da República, ademais, pelo lídimo exercício de suas funções e direitos é atacar a todos. Deltan Dallagnol tem o apoio dos Procuradores da República de todo o Brasil, congregados na ANPR."

Anônimo disse...

LÊNIO STRECK DESTRÓI TEORIAS DE DALLAGNOL PARA TENTAR CONDENAR LULA:

23/06/2017 - Brasil 247

Jurista Lênio Streck argumenta que as alegações finais do procurador Deltan Dallagnol para pedir a condenação do ex-presidente Lula não encontram base no Direito; "É possível, na ânsia de condenar, jogar para o alto tudo o que já se ensinou e escreveu nas mais importantes universidades do mundo sobre a prova e a verdade no processo penal?", questiona Streck, em artigo no Conjur ...

PS: Será que os blogueiros neo nazistas do blog ainda vão insistir que tem provas contra lula?