Auditores fiscais "descobriram" como aumentar receita estadual gaúcha em R$ 5 bilhões por ano

Os auditores fiscais da Fazenda do Rio Grande do Sul anunciaram no fim de semana que descobriram a pedra filosofal capaz de resolver o aperto financeiro do governo do RS e listaram as cinco medidas que poderão  aumentar em R$ 5,075 bilhões a arrecadação anual do Estado.

Os auditores fiscais, representados pelo Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Tributária do Estado do RS (Sindifisco-RS, acham que o atual governo foca a sua atuação no Tesouro, sob o ponto de vista do combate às despesas.

Eis o que os sindicalistas sugerem, repetindo o que os próprios governos do PMDB, PT, PDT e PP já fazem ou fizeram ou explicaram porque não podem ou não puderam fazer

1) Economia em compras: R$ 1,52 bilhão
2) Substituição tributária: R$ 825 milhões
 3) Lei Kandir: R$ 1,5 bilhão
4) Isenções fiscais: R$ 690 milhões
O RS concede anualmente cerca de R$ 9 bilhões em incentivos fiscais a setores produtivos – levando em conta apenas os benefícios concedidos e sob o controle do Estado, não aqueles concedidos pela União. 
5) Reforço no combate à sonegação: R$ 540 milhões por ano.

15 comentários:

Anônimo disse...

A parte que lhes cabe, o número 5 deixaram em último lugar. Só poderia vir de sindicato mesmo!!

Anônimo disse...

Nossa! Agora vai! Como é que ninguém pensou nisso antes? Mas os nobres auditores esqueceram um item que poderia aumentar em mais 5 bilhões a receita do estado: o aumento da eficiência do serviço público em 400%. Notem, não é aumento de trabalho, apenas aumento da eficiência pra ficar em níveis, digamos, aceitáveis à média mundial.

Anônimo disse...

Economizar em compras é igual a aumentar a receita????? Não seria uma diminuição da despesa???

Anônimo disse...

Sindicato? Petralhas? Querem continuar os salários dos marajás.

Anônimo disse...

Toda matéria que tem origem em algum sindicato, é criminosamente falsa, e ideologicamente comprometida com o lixo da esquerda. Nem vou falar que essencialmente corporativista e de costas para a sociedade.

diego disse...

aumentar a arrecadação com substituição tributária significa em bom português aumentar impostos...

Anônimo disse...

Os servidores de outro órgão estadual também propuseram propostas para aumentar em 500 milhões por ano a arrecadação. O que o governo fez? Engavetou! Inclusive o deputado Pedro Ruas questionou porque um Estado falido nada fez com uma proposta de aumento generosa. Esse desgoverno faz o terrorismo e drama para que o Estado não tenha $$$ , até porque se tiver $$$ não conseguirá aprovar seus PLs.

É um governo cretino e incoerente. Aprova alguns PLs desnecessários que só trazem mais gastos e ignora ajuda financeira de quem propuser!

Anônimo disse...

Sindicato patronal pode receber dinheiro governo? Recebem!

Anônimo disse...

Pq esse sindicato deixou de dar essa sugestão ao mais incompetente governador que já tivemos - o atraso genro. Sindifisco, não perde por esperar, em 2018, elejam o atraso genro novamente, que o estado atingirá o fundo do poço literalmente.

Anônimo disse...

Irônico, não? Parte dos empresários acusam os servidores de serem sanguessugas, mas é só falar em cancelar as isenções (que nada mais é do que deixar de cobrar imposto para beneficiar alguns poucos) que parte do empresariado se revolta.
Se todos pagam imposto, empresário tem que pagar também! Afinal o imposto que se deixa de recolher por meio das isenções acabam sobrecarregando toda sociedade (que tem que pagar mais para que outros paguem menos ou não paguem - é, na verdade, uma bolsa empresário).
Quem é que 'suga' o Estado, afinal?

alex silva disse...

Kkkkkkk. Deixa de ser burro, animal. Quem aqui falou em aindicato? Sao auditores fiscais. Vai pesquisar pra saber o que eles fazem. Kkkkkkk

Anônimo disse...

R$ 9 bilhões em incentivos fiscais , eis o furo da bala....

Anônimo disse...

"Os auditores... representados pelo Sindifisco..." Quanto às medidas propostas: 1- Economia em compras = o estado pára. 2 - Substituições tributárias = aumento de imposto. 3 - Lei Kandir = produto exportado fica gravoso e as vendas caem. 4 - Isenções fiscais = aumento de imposto e vendas menores. 5 - Combate à sonegação = 1/3 dos devedores quebra, 1/3 aumenta os preços (vendas reduzidas) e 1/3 não existe mais.

Anônimo disse...

Como 6ª sugestão eu proporia a não participação dos funcionarios na arrecadação; como 7ª sugestão o pagamento pelos sindicatos dos salarios dos funcionarios cedidos, o contribuinte não os paga para fazerem trabalhos alheios a administração publica.

Anônimo disse...

Aprenda a ler, antes de chamar alguém de burro. Acima: "Os auditores fiscais, representados pelo Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Tributária do Estado do RS (Sindifisco-RS"