Análise - Melhoria do nível de empregos surpreende o mercado.

Nota-se certa moderação no ritmo do ajuste em curso do mercado de trabalho, conforme indicado pelos resultados da geração de emprego formal referentes a maio,diz análise que a equipe de economistas do Bradesco acaba de enviar ao editor. Leia tudo:

Os dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados ontem pelo MTE, apontaram para criação líquida de 34,2 mil postos de trabalho formais no mês passado. Vale destacar que esse resultado acabou surpreendendo de forma positiva as expectativas, uma vez que nossa projeção e a da mediana do mercado eram de 20,0 mil e 15,5 mil. Esse saldo positivo foi puxado principalmente pelo segmento agropecuário, com criação de 46,0 mil vagas no período.

Descontada a sazonalidade, o resultado passou de uma queda de 26 mil vagas em abril para outra de 7 mil vagas em maio, mostrando, portanto, ajuste menos acentuado do que os observados nos últimos meses. Para tanto, é importante destacar que o número de empregados admitidos está estável há quase um ano, ao passo que o de desligados tem caído, promovendo essa melhora nos resultados líquidos. Com isso, mantemos nossa visão de que o mercado de trabalho se recuperará lentamente ao longo dos próximos trimestres, à medida que as admissões ainda levarão algum tempo para crescer, respondendo de forma defasada à retomada da atividade econômica.

2 comentários:

Anônimo disse...

É o Brasil entrando nos Trilhos novamente depois da Passagem do Tsuname que tinha o tirado do Trilhos.Partidos da esquerda só sabem gritar, berrar, fazer oposição burra, já demonstraram em diversos paise, França, Inglaterra, Cuba, URSS, Venezuela e Brasil que definitivamente não tem a menor condições de Governar um carrinho de pipoca que leva a falência, incompetência aliada a corrupção sistêmica. .

Anônimo disse...

Graças a Lava-Jato empresários arriscam a trabalhar sem precisar pagar propinas, esperamos que assim continue.