Temer diz que vai hoje ao STF para anular inquérito "viciado" por provas criminosas. E ataca duramente Joesley Batista.

O presidente anunciou que ainda hoje protocolará ação própria no STF para invalidar o inquérito aberto contra ele. já que a prova principal que deu suporte a ele foi obtida de modo ilícito e que além disto foi adulterada 50 vezes. Uma gravação adulterada 50 vezes provoca evidentes descontextualizações de qualquer diálogo - e é ato criminoso. Joesley mentiu, prestou falso testemunho, e a PGR, na melhor da hipóteses prevaricou ao não periciar o áudio antes de enviá-lo ao STF, como base de prova material para o pedido de inquérito contra Temer. 

O presidente Michel Temer acaba de falar para os jornalistas reunidos no Palácio do Planalto, sabendo que se dirigia aos brasileiros.

Blazer escuro, camisa branca sem gravata, o presidente falou durante 12 minutos para atacar duramente o empresário Joesley Batista, a quem tratou como "falastrão", "embusteiro", "mentiroso" e "criminoso":

- Ele comete crimes de toda ordem, ganha bilhões especulando com dólar e ações ao se antecipar à divulgação dos áudios, e agora passeia livre, leve e solto em Nova Iorque.

Michel Temer só atacou a PGR e o STF obliquamente ("Houve grande planejamento para o grampo e para a divulgação"). Ele também atribuiu a crise a grupos "interessados em voltar a roubar dinheiro público e quebrar o País", mas não disse que estava referindo-se ao PT e aos empresários escolhidos para obter facilidades nos contratos de obras e serviços, tudo em troca de propina.