Queda do IBC-Br de março foi puxada pelo recuo dos dados de varejo e serviços

O IBC-Br, proxy mensal do PIB, registrou queda de 0,44% na passagem de fevereiro para março, descontados os efeitos sazonais, conforme divulgado há pouco pelo Banco Central. O resultado surpreendeu positivamente os analistas de mercado, que previam recuo de 0,90%. Na comparação inter-anual, houve alta de 1,0%, acumulando queda de 2,6% nos últimos doze meses. 

Esse resultado, que reflete as quedas nas vendas do varejo e do setor de serviços divulgadas na última semana, reforça a projeção feita pelos economistas do Bradesco, que esta manhã passaram os dados ao editor, que há mais tempo estimam cenário de que a retoma da economia será bastante gradual.

Um comentário:

Anônimo disse...

Recessão, simples assim.