Presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República diz que críticas de Lula não são dignas de um ex-presidente

Lula não é um homem digno. Ele tenta politizar os julgamentos das 5 ações das quais já é réu por corrupção, movimento proposital para tentar escapar via eleições ou legislação às condenações inevitáveis. 

O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, divulgou nota neste sábado na qual afirma que as investigações da Operação Lava Jato são "sérias, técnicas e impessoais". A declaração é uma resposta da associação às críticas do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva à operação da qual é alvo. 


Nesta sexta-feira, durante a abertura do 6º Congresso Estadual do PT em São Paulo, Lula afirmou que os investigadores da Lava Jato já têm uma "tese pronta" e não "querem a verdade".O ex-presidente da República afirmou que investigadores da Lava Jato têm 'tese pronta' e não 'querem a verdade'. Presidente da ANPR diz que discurso de Lula repete fala de outros investigados. Lula faz duras críticas à Lava Jato e ameaça pedir prisão de quem o acusa.

4 comentários:

Anônimo disse...

Lula é um homem indigno. Não tem comportamento nem a dignidade de alguém que exerceu o mais alto cargo da nação. Seu comportamento envergonha os brasileiros honestos.

elias disse...

Bem feito.
Por que a justiça leva 10 anos para julgar um criminoso perigoso, sem escrupulos e terrorista?

ARS disse...

...Mas são perfeitamente coerentes com as falas de um chefão de organização criminosa, como a dos corruPTos.

Anônimo disse...

O nobre procurador quer que lula apenhe queto 24 hs por dia desses vagabundos a imprensa marrom glace e dos faXistas e nazistas de plantão? Tem Procurador do MPF que dá coletiva em Rede Nacional de Televisão acusando e já condenando lula e querem que ele fique queto?

Procurador do MPF, que é servidor público, deve cumprir a lei e falar nos autos, não para a imprensa do que ele acha.

Lula, como todo o Politico não só pode, como deve se defender em público, mesmo porque não é anti ético e nem contra a Lei.