Pperação Lucas da PF ataca corrupção no Ministério da Agricultura em cinco Estados

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã, em cinco estados e no Distrito Federal, uma operação para desarticular um esquema de corrupção envolvendo novamente servidores do Ministério da Agricultura e empresas do setor agropecuário fiscalizadas pela pasta. As investigações apontam que o esquema criminoso movimentou cerca de R$ 3 milhões entre 2010 a 2016. Cerca de 120 policiais federais, segundo a corporação, atuam na Operação Lucas para cumprir 62 mandados judiciais em Tocantins, Pará, Maranhão, São Paulo, Pernambuco e Brasília. Ainda de acordo com a PF, os agentes cumprem 10 mandados de prisão temporária, 16 de condução coercitiva e 36 de busca e apreensão. A Justiça Federal também determinou o bloqueio de contas bancárias e a indisponibilidade de bens móveis e imóveis que somam R$ 2,2 milhões.

A operação desta terça, batizada de Lucas, não tem relação com a Carne Fraca, que desmontou, em março.

De acordo com a assessoria da PF, a investigação teve início a partir da denúncia de que frigoríficos e empresas de laticínios fiscalizadas pelo Ministério da Agricultura teriam sido favorecidas em processos administrativos, "por meio do retardamento na tramitação e anulação de multas".

3 comentários:

Anônimo disse...

http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2017/05/noticias/regiao/2111001-advogados-de-taquara-receberiam-propina-de-operadora-telefonica-para-prejudicar-clientes.html

Ainda falta achar os 'aliciadores', ou seja, aquelas pessoas que procuravam tem tinha ações e encaminhavam para os advogados.

Justiniano disse...

Enquanto crime contra a saúde pública for 4 a 5 anos de cadeia vai continuar essa farra dos laticínios e frigoríficos.

A tal fiscal da vigilância federal de Tocantins chegou a pagar o curso de medicina dos dois filhos com propinas de frigoríficos. Eita Brasil!!


Tem considerar crime gravíssimo para a saúde pública, pois afeta toda a população em especial crianças e idosos, com penas de 30 anos de reclusão, certamente mudaria essa impunidade.

EU ACUSO! disse...

Às fronteiras escancaradas, às fronteiras, ó PF!