Artigo, Stephen Kanitz - O Que Me Preocupa Com Temer

Um país que não consegue identificar seus problemas jamais conseguirá achar as soluções.
O maior problema que irá travar o crescimento necessário para empregar 22 milhões em 2017 e assim evitar um populista de extrema esquerda em 2018, é nossa falta crônica de capital de giro.
Desde a minha primeira análise das maiores empresas, em 1974, essa falta era evidente.
Capital de giro é o lubrificante da produção, e nunca o tivemos.
O BNDEs só se preocupa com Capital "Produtivo", infraestrutura e máquinas.
Mas só isso não resolve.
É necessário investir em estoque de matérias primas, estoques em processo, estoques de produtos acabados, financiamento do atacado e do varejo, assuntos sequer tratados nos livros de Introdução à Economia.
E na recessão econômica, causada pela Matriz Econômica, as empresas consumiram o pouco de Giro que tinham.

Foi assim que sobreviveram o desastre Dilma.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

8 comentários:

Anônimo disse...

Brilhante.. com capital de giro formo estoques, e daí, vender pra quem cara pálida??????

Anônimo disse...

O DIAGNÓSTICO NÃO É PROBLEMA.

Uma meia dúzia de economistas é capaz de descrever claramente quais são os os problemas e as soluções para a nossa crise econômica!

Assim como na crise política, também na crise econômica existem milhares de diagnósticos...

O problema é: quem irá ter coragem para implementar essas mudanças, sabendo que é um remédio amargo e impopular?

Anônimo disse...

A politica do Temer/PMDB é o oposto do que prega o texto acima.
O governo está arrochando todos os setores visando diminuir o consumo para baixar a inflação.A inflação está baixando mas o desemprego aumenta e o setor produtivo está quebrando, inclusive a agricultura por causa da politica cambial

Anônimo disse...

O problema é que Temer é refém do Meireles, que só se preocupa com o mercado financeiro, o resto que se exploda.
Entenderam ?

Realista disse...

Muito bom o artigo. Mas quem é o autor?
No Brasil, infelizmente, o capital de giro há muito tempo é considerado como um "luxo do luxo que é o comércio".
A ideologia dominante se preocupa com a "produção" como a já pregada pelo guru dos idiotas úteis.
O comércio é o colchão, ou o "meio de campo" entre toda a estrutura produtora - industrial ou agropecuária - e o consumidor.
E esse "meio de campo" foi e continua sendo destruído pela ideologia aplicada dos fabianos, pelos seus mentores e pelos seus iniciados.
E quanto aos livros de Economia? Em publicações mais antigas o capital de giro foi muito considerado, mas a partir da década de 60 começou a ser tratado como luxo de burguês.

Chico Valente disse...

Fabiano é o comunista que trabalha quieto, oculto, suave, sem demonstrar pressa, trabalhando junto e enganando os incautos e os bem intencionados. Em momentos oportunos desviam o foco, os objetivos da sociedade e a boa lógica para melhor destruir as ações de bom senso.
São as verdadeiras pragas, vermes atuando dentro das ações das políticas e da economia da Nação, visando a sua destruição em favor de uma nova ordem mundial, que é a tirania dos poderosos.
Costumam se passar por bem intencionados. Todo cuidado é pouco.

Anônimo disse...

Temer foi golpe baixo, golpe errado, que emerdou a república...

Anônimo disse...

Não entendi nada, li e reli e não entendi. Polibio me ajude a entender...Sou um pobre engenheiro que trabalhou na Varig, na Embraer e na Aeritália e detestava as cadeiras de economia e depois detestava certos economistas...talvez faça um curso de economia...
Joel