Imposto sindical obrigatório pode voltar em texto no Senado

O projeto que pretende reformar as leis trabalhistas no Brasil em nome de uma modernização corre o risco de deixar de fora o fim da obrigatoriedade do imposto sindical.

Todo trabalhador com carteira assinada é obrigado a contribuir com o sindicato da categoria dele, mesmo que não seja filiado a nenhuma entidade sindical. O valor corresponde a um dia de trabalho por ano. A maior parte desse dinheiro fica com os sindicatos, que não têm obrigação de prestar contas.

Os deputados aprovaram dentro da reforma trabalhista o fim dessa obrigatoriedade. Pelo projeto aprovado na Câmara, cada trabalhador passa a decidir se autoriza ou não o desconto na folha de pagamento.

Mas para o projeto virar lei ele ainda terá que percorrer um longo caminho no Senado, e as centrais sindicais já entraram em cena para tentar reverter a decisão e reincluir o imposto sindical obrigatório.

Representantes dos sindicatos conseguiram abrir uma negociação. Em vez de acabar de uma vez só, a cobrança passaria por uma transição até passar a ser opcional.

21 comentários:

Anônimo disse...

Não creio que a contribuição sindical vá ser "posta pra fora" pelo congresso ou pelo sr. presidente da república. Os políticos precisam, necessitam - obrigatoriamente - do apoio dos sindicalistas. O Brasil é uma República Sindicalista, isso é verdade. Não há nada que se possa objetar.

Carlos Mota disse...

Estes politicos FDP, medrosos, ladrões, covardes, vão arriar as calças para estes sindicalistas espúrios e ladrões.
Os politicos arriam as calças e quem leva no traseiro é o trabalhador, sendo obrigado a sustentar esta corja de safados que são todos os sindicalistas.

Anônimo disse...

SERÁ UMA VITÓRIA DA CUT E DE TODOS OS SINDICATOS, que são nada mais, nada menos do que o exército de Lula e do PT!

TEMER, O MAIOR CABO ELEITORAL DE LULA!

Anônimo disse...

Essa cambada se sindicalistas...sempre mamando...PQP.

Anônimo disse...


FORA TEMER.

TEMER ROUBOU 40 MILHÕES DE DÓLARES DA PETROBRÁS.

LIBANÊS LA-DRÃO!!

Em 2018 o eleitor irá de ABSTENÇÃO.

Porque todo o político é LA-DRÃO.

Político agradece com TRAIÇÃO.

Não votaremos em CORRUPÇÃO.

Anônimo disse...


FORA TEMER.

TEMER ROUBOU 40 MILHÕES DE DÓLARES DA PETROBRÁS.

LIBANÊS LA-DRÃO!!

Em 2018 o eleitor irá de ABSTENÇÃO.

Porque todo o político é LA-DRÃO.

Político agradece com TRAIÇÃO.

Não votaremos em CORRUPÇÃO.

Anônimo disse...


FORA TEMER.

TEMER ROUBOU 40 MILHÕES DE DÓLARES DA PETROBRÁS.

LIBANÊS LA-DRÃO!!

Em 2018 o eleitor irá de ABSTENÇÃO.

Porque todo o político é LA-DRÃO.

Político agradece com TRAIÇÃO.

Não votaremos em CORRUPÇÃO.

Anônimo disse...

As Centrais Sindicais , além da força política têm muito dinheiro e, como se sabe, o dinheiro é um excelente argumento. Não será tarefa fácil acabar com a contribuição sindical obrigatória , fonte da força sindicalista .!!!

Anônimo disse...

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército:

Ex-capitão chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, mas foi absolvido pelo STM

Zero Hora. 15/05/2017.Rafaela Martins/Agencia RBS

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) admitiu, em 1987, que cometeu atos de indisciplina e deslealdade em relação aos superiores no Exército. Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo, que obteve a documentação com os dados da Superior Tribunal Militar (SMT), o então capitão foi acusado por cinco irregularidades e chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, em uma espécie de inquérito.

O caso, no entanto, chegou ao STM, onde Bolsonaro foi absolvido por oito votos a quatro. Bolsonaro foi julgado por ter escrito um artigo à Revista Veja, em 1986, sem pedir autorização dos superiores. No texto, ele defendia o aumento dos salários pagos às tropas. O ex-capitão também foi investigado por ter afirmado à mesma publicação, meses depois, que ele e outro oficial planejavam um ataque a unidade militares do Rio com bombas-relógio.

Em reportagem publicada pela Veja, na época, Bolsonaro explicava como se constrói uma bomba-relógio e dizia que o plano envolvia apenas "a explosão de algumas espoletas". A revista também divulgou esboços atribuídos ao ex-capitão.

Ao Conselho de Justificação e ao STM, Bolsonaro negou ter planejado qualquer ataque com bombas e citou dois testes grafotécnicos que resultaram inconclusos. Uma perícia da Polícia Federal (PF), entretanto, apontou que as anotações sobre o plano com bombas pertenciam a ele. A conclusão serviu como base para a decisão que o considerou culpado no Conselho de Justificação. No STM, o ex-capitão reconheceu a autoria do artigo, mas negou o plano envolvendo as bombas. Ele foi absolvido meses depois.

Os documentos obtidos pela Folha apontam que o deputado federal chegou a ser preso por 15 dias por "ter ferido a ética, gerando clima de inquietação na organização militar". Em 1987, Bolsonaro assinou um documento em que reconheceu ter cometido uma "transgressão disciplinar".

Procurada, a assessoria de imprensa de Bolsonaro afirmou que a reportagem "é idiota e imbecil" e perguntou "quem estava pagando" pela matéria. O assessor do deputado ainda disse que a "pauta é uma merda" e não quis anotar o telefone de contato do repórter para dar a versão do deputado sobre o tema. O parlamentar não se manifestou.

PS: Se Lula e Dilma, que não foram militares e tiveram a ficha montada pelo Regime militar a direita diz horrores, o que dirão de Bolsonaro, cuja dados são "oficiais" do STM? Subversivo? Vagabundo? Criminoso? psicopata? Bolivariano? Sindicalista? Garimpeiro?

Anônimo disse...

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército:

Ex-capitão chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, mas foi absolvido pelo STM

Zero Hora. 15/05/2017.Rafaela Martins/Agencia RBS

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) admitiu, em 1987, que cometeu atos de indisciplina e deslealdade em relação aos superiores no Exército. Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo, que obteve a documentação com os dados da Superior Tribunal Militar (SMT), o então capitão foi acusado por cinco irregularidades e chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, em uma espécie de inquérito.

O caso, no entanto, chegou ao STM, onde Bolsonaro foi absolvido por oito votos a quatro. Bolsonaro foi julgado por ter escrito um artigo à Revista Veja, em 1986, sem pedir autorização dos superiores. No texto, ele defendia o aumento dos salários pagos às tropas. O ex-capitão também foi investigado por ter afirmado à mesma publicação, meses depois, que ele e outro oficial planejavam um ataque a unidade militares do Rio com bombas-relógio.

Em reportagem publicada pela Veja, na época, Bolsonaro explicava como se constrói uma bomba-relógio e dizia que o plano envolvia apenas "a explosão de algumas espoletas". A revista também divulgou esboços atribuídos ao ex-capitão.

Ao Conselho de Justificação e ao STM, Bolsonaro negou ter planejado qualquer ataque com bombas e citou dois testes grafotécnicos que resultaram inconclusos. Uma perícia da Polícia Federal (PF), entretanto, apontou que as anotações sobre o plano com bombas pertenciam a ele. A conclusão serviu como base para a decisão que o considerou culpado no Conselho de Justificação. No STM, o ex-capitão reconheceu a autoria do artigo, mas negou o plano envolvendo as bombas. Ele foi absolvido meses depois.

Os documentos obtidos pela Folha apontam que o deputado federal chegou a ser preso por 15 dias por "ter ferido a ética, gerando clima de inquietação na organização militar". Em 1987, Bolsonaro assinou um documento em que reconheceu ter cometido uma "transgressão disciplinar".

Procurada, a assessoria de imprensa de Bolsonaro afirmou que a reportagem "é idiota e imbecil" e perguntou "quem estava pagando" pela matéria. O assessor do deputado ainda disse que a "pauta é uma merda" e não quis anotar o telefone de contato do repórter para dar a versão do deputado sobre o tema. O parlamentar não se manifestou.

PS: Se Lula e Dilma, que não foram militares e tiveram a ficha montada pelo Regime militar a direita diz horrores, o que dirão de Bolsonaro, cuja dados são "oficiais" do STM? Subversivo? Vagabundo? Criminoso? psicopata? Bolivariano? Sindicalista? Garimpeiro?

Anônimo disse...

O Brasileiro é atacado de todos os lados....O Governo arranca do coitado 5 meses do seu trabalho...esses fdp dos sindicatos sugam mais um dia....É o verdadeiro burro de carga o coitado...E em troca...não recebe nada...

Anônimo disse...

chega de imposto sindical, chega destes sindicatos pelegos, em paises de 1 mundo nao tem tanto sndicato.... e as negociaçoes sao diretas entre patrao e empregado o que gera bem menas açoes na justiça que levam anos e anos
fora imposto sindical
sim as reformas

Anônimo disse...

temer era vice da bandilma é do mesmo saco por isto foi escolido pelo pt- nao vale nada assim como a bandilma e o luladrao
temer fica até 2018- depois tchau querido
doria 2018

Jean Valente disse...

Políbio
Publique o nome dos parlamentares que votarem a favor do imposto sindical e contra o povo.
Serão esquecidos pela população honesta, trabalhadora e constituída por pessoas normais.

Anônimo disse...

Sindicato só cria dificuldades para vender facilidades. Botam bodes na sala e depois de muita "negociação" tiram os bodes que eles mesmos criaram. Criam problemas para os trabalhadores para depois posarem de grandes negociadores. Tudo o que fazem é para justificar a proprua existência. Se não infernizarem os trabalhadores, eles não vão ter o que fazer, não é mesmo?

Anônimo disse...

LULA LADRÃO as 17:30!

TUA QUADRILHA travestida de PARTIDO, PT, roubou e guardou nos países africanos.

Anônimo disse...

SINDICATOS SÃO PARTIDOS POLÍTICOS, nunca serviram aos trabalhadores, SEMPRE SE SERVIRAM do suor e sangue com base numa LEI FASCISTA!

Anônimo disse...

Os senadores que pensem bem se tem sindicalistas suficientes para reelegê-los.

Anônimo disse...

Então da teu dinheiro pra eles. Eu prefiro que cada um possa escolher, se deve colaborar com a milícia ou não.

Anônimo disse...

Quanto o teu PT roubou?

Anônimo disse...

ate poderiam cobrar, mas o trabalhador poderia optar por receber devolta